Spiegel Grove: Um navio histórico e que se moveu sozinho…

Para quem não sabe, a costa do estado da Flórida nos Estados Unidos, é um dos locais com um dos maiores números de naufrágios artificiais do mundo. Com dezenas de navios, são encontrados também, aviões, torres de petróleo, e até tanques de guerra. Resumindo, o que há de material pesado e não mais utilizado, é preparado e afundado com o objetivo de criar recifes artificiais e novos pontos turísticos para os mergulhadores.

Dando continuidade a este seguimento, os americanos decidiram afundar um dos maiores navios de guerra da marinha americana, o USS Spiegel Grove, navio pertencente à classe Thomaston, do tipo Dock Landing Ships.

Este navio ganhou o nome Spiegel Grove, como homenagem à residência de Rutherford B. Hayes, o 19º presidente dos Estados Unidos.

O Spiegel Grove foi comissionado em 8 de junho de 1956, sob o comando do capitão S. Filippone. O navio atuou em diversos treinamentos em todo o mundo, vindo à ser descomissionado em 2 de outubro de 1989.

Com a baixa do serviço militar, o Spiegel Grove foi transferido para a administração marítima americana, e em 1998, foi transferida sua propriedade para o estado da Flórida, que já havia realizado um levantamento para a realização do afundamento e torná-lo um recife artificial na região de Key Largo.

Após alguns problemas no andamento do projeto, o navio finalmente foi rebocado para o estado da  Flórida e afundado em 17 de maio de 2002, sendo aberto ao mergulho recreacional em 26 de junho de 2002. Na ocasião, em uma semana apenas, mais de  100 mergulhadores estiveram no local para conhecer o grande navio.

Problemas durante seu afundamento

Devido ao tamanho do navio Spiegel Groove, um grande planejamento foi realizado para rebocá-lo e afundá-lo a 10 Km da costa, dentro do parque estadual Florida Keys National Marine Sanctuary, e o que aparentemente indicava que tudo corria bem, apareceu um problema de logística, fazendo com que o navio “fizesse água” de forma incorreta, e adernar durante seu afundamento. O final desta triste história no dia do afundamento, foi que o Spiegel Grove acabou ficando de cabeça para baixo, ferindo o orgulho americano e desanimando os participantes do projeto.

Apesar de todo esse transtorno, a equipe responsável pelo afundamento do mais “novo recife artificial americano”, acabou movendo um grande número de participantes e equipamentos, onde com um excelente trabalho, conseguiram virar o Spiegel Grove, deixando-o de lado, melhorando as condições de mergulho no naufrágio.

Fato misterioso

Sem dúvida nenhuma, um fato inesperado e até difícil de acreditar, ocorreu… No ano de 2005, com a passagem do furacão Dennis pela Flórida, acabou “virando” o Spiegel Grove, deixando-o em posição de navegação. Isso mesmo !   O furacão virou este grande navio de 155m de comprimento e que se encontrava de lado.

Para se ter uma ideia da força que o furação liberou, basta dizer que o Spiegel Grove possui quase o dobro do tamanho do cuter USS Duane, que para quem o conhece, terá uma boa noção de tamanho dessas crianças.

O mergulho no Spiegel Grove é imperdível e sua visitação deve ser obrigatória na programação daqueles que pretendem conhecer os belos naufrágios nas águas quentes e claras da Flórida.

De fato, chego à conclusão que os americanos tem muita sorte, pois além das excelentes condições de mergulho, conseguem facilmente afundar navios para se tornarem recifes artificiais, e agora, contam com as forças da natureza para dar uma ajuda final.

Dados

  • Comprimento: 160m
  • Largura: 26m
  • Calado: 5.8m
  • Tonelagem: 11.525 T
  • Propulsão: 2 turbinas / 23.000 HP
  • Velocidade Máxima: 39 Km/h
  • Acomodação: 610 tripulantes
  • Carga: 8 helicópteros + 21 botes de operação
  • GPS: 25° 04′ 00.2″ N / 80° 18′ 00.7″ W

Colaboração Especial: Juliana Caruso

Clecio Mayrink

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount).

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou como consultor para a ONU, UNESCO, Segurança Pública, além de diversos órgãos públicos no Brasil.