Submarinos do eixo na costa brasileira

Grande parte da história da segunda guerra é totalmente desconhecida pela maioria da população brasileira. É muito comum ouvir comentários de pessoas afirmando que o Brasil nunca viu uma guerra de perto.

Estas pessoas estão erradas.

Na costa brasileira, diversos conflitos entre nações aconteceram. E o mais recente deles foi na segunda guerra mundial. Com o objetivo de afundar o maior número possível de navios mercantes e aleijar o esforço de guerra aliado, os países do eixo, Itália e principalmente a Alemanha enviaram para as águas do Oceano Atlântico seus submarinos.

A maior quantidade destas embarcações pertenciam à Alemanha e são conhecidos por U-Boats.

Esta é a abreviação para “Untersseboot”. Os alemães detinham um Know-how muito grande tanto em construção, como em treinamento e táticas de guerra submarina.

Esta excelência causou à marinha mercante, perdas significativas e alertou aos comandos aliados de que um contra ataque era necessário e vital para se ganhar a guerra.

A partir de 1943, o processo de ataque aos “caçadores silenciosos” se iniciou em todo o oceano Atlântico.

No Atlântico Sul, principalmente na costa do Brasil isto também ocorreu com o fornecimento, pelos americanos, de aviões, treinamento da presença de soldados, navios e da criação da base militar de Parnamirim Field em Natal. A base de Parnamirim foi inicialmente criada com o objetivo de facilitar uma invasão aliada à África mas acabou sendo usada como apoio à patrulha costeira.

Na costa brasileira, centenas de navios foram afundados. Algumas destas vítimas já foram localizadas e são mergulhadas atualmente. Alguns deles: Campos, Elihu B. Washburne e Itapagé.

Dos vários submarinos que atacaram e afundaram navios na costa brasileira, alguns encontraram aqui seu destino final. Foram destruídos por cargas de profundidade de aviões, e navios metralhado. Um destes submarinos, o U-199 foi atacado e afundado por uma tripulação brasileira, fato que causou grande satisfação à população. O avião que realizou este feito foi batizado mais tarde de “Arará” e sua tripulação condecorada.

Os submarinos afundados na costa brasileira são: U-128, U-161, U-164, U-199, U-507, U-513, U-590, U-591, U-598, U-662 e o italiano Archimede.

Devido a sua natureza de caçador, por ser um tipo de embarcação mais raro, o naufrágio de submarinos desperta muito interesse nos mergulhadores de naufrágio.

No Brasil, a ânsia de ter localizado um submarino alemão já gerou vários boatos de descobrimento deste tipo de embarcação mas nunca, nada foi provado.

Alguns “pesquisadores”, ao anunciar que descobriram o destroços de um U-boat avisam: “Achei um u-boat mas pode ser que seja um navio emborcado (de cabeça para baixo).” A verdade é que qualquer pessoa que tenha gastado um pouco mais de seu tempo e analisado a foto de um submarino saberá, com pouco esforço, a diferença entre um casco de um navio e um de U-boat. Nos Estados Unidos e Europa, submarinos foram localizados e são mergulhados frequentemente.

Atualmente, o mais famoso deles, o U-869, é a estrela principal do livro da moda – “O último mergulho”.

O nosso desejo é que em breve, os boatos se cessem e que se confirme a localização do naufrágio de um U-boat na costa brasileira.

Fotos gentilmente cedidas por: Captain Jerry Mason, USN

Rodrigo Coluccini
Criador e proprietário da Revista Deco Stop, foi um dos responsáveis pela divulgação em larga escala das informações sobre naufrágios no litoral brasileiro, fato antes restrito a poucos. É co-autor do manual de naufrágios da certificadora PDIC. Seu trabalho é citado em vários livros atuais sobre história maritima brasileira confirmando a importância de seu trabalho.