Um Mergulho no Sertão do Ceará – Operação Água Boa

Uma equipe de mergulhadores do Clube do Mar do Ceará desbravou o sertão cearense para retirar do fundo de um lago, uma embarcação afundada !

Histórico   

Durante o carnaval de 2009, a empolgação tomou conta do foliões de Paramoti-CE, e no sítio Água Boa não foi diferente. Com um deck as margens do lago de mesmo nome, os convidados que ali comemoravam o feriado resolveram dar um passeio de canoa. Essa embarcação tipo “canoa canadense”, possui 4m de comprimento, 1m de largura e capacidade para 4 passageiros.

Lagoa-Ceara2

Pelo menos 8 futuros pessoas embarcaram na canoa, que logicamente, não aguentou o peso de seus passageiros e foi ao fundo.

Partimos de Fortaleza com a missão de mergulhar para localizar e resgatar essa embarcação naufragada.

Seriam 100km adentro do sertão cearense, direção oposta a que costumamos mergulhar.

Apesar do lago ser pequeno a visibilidade esperada seria 0,5m ou menos, isso triplica o tamanho de qualquer pequena área de busca subaquática.

Coletamos as informações necessárias para “afinar” nossa área de busca e depois de prepararmos todos os equipamentos, fomos para a água.

Após um breve mergulho de reconhecimento atingimos uma profundidade média de 9m, chegando a 14m em alguns locais.

Confirmamos a visibilidade (que chegava a zero em algumas áreas) e a inviabilidade de uma busca circular pois constatamos a presença de muitos galhos e arbustos submersos. Esses obstáculos se mostravam um perigo real, visto que poderiam nos machucar, prender e/ou danificar nossos equipamentos (furar nossos coletes).

Em água salgada, a madeira apodreceria e duraria poucos meses, o que não acontece em água doce.

Subimos e acertamos os últimos detalhes e sinalizamos o centro da área, e dele, partiríamos para uma busca em “U”, visto que uma busca circular seria inviável pela quantidade de galhos e restos de arbustos presentes no fundo do lago.

Lagoa-Ceara3

A busca

Retornamos determinados a iniciar a busca “em U”, e logo após os primeiros minutos de mergulho, demos de cara com o que procurávamos. Não acreditávamos que a tínhamos encontrado tão rápido mas quando subimos à superfície, devido à ausência de pontos de amarração na canoa, a corda que havíamos prendido se soltou. Fizemos “marcações de terra” a fim de facilitarmos sua localização e sinalizamos o novo ponto de busca.

Após vários mergulhos ainda não havíamos localizado a embarcação.

Engraçada a ironia, pois não tivemos nenhuma dificuldade para encontrá-la da primeira vez…

Mudamos de estratégia e encontramos a danada. Amarramos o cabo de sinalização (desta vez bem amarrado) e subimos para comemorar !

Traçamos a estratégia para que a canoa pudesse, depois de 1 ano, ver a luz do dia novamente.

Lagoa-Ceara4

 

Recuperação

Decidimos usar de improviso um “balde elevatório” que ajudaria em sua reflutuação, onde injetaríamos ar nas extremidades da embarcação a fim de diminuir a força de empuxo.

Mergulhamos com visibilidade zero e amarramos nosso dispositivo elevatório na canoa. Com os nossos octopus, inflamos o balde e a proa.

Lentamente e sem nenhum esforço, a canoa começou a flutuar. Controlamos a subida esvaziando o balde, inclinando-o para deixar o ar escapar, e logo estávamos na superfície e a comemoração da equipe de terra foi grande ao ver a cor da canoa novamente.

Amarramos a uma árvore na beira do lago até decidirmos como retirá-la da água. A melhor maneira seria rebocá-la até uma área menos acidentada e usando nossas nadadeiras como propulsores, a arrastamos na direção acordada.

Sucesso !

A primeira busca e recuperação bem sucedida no sertão do Ceará !

Participaram da “Operação Água Boa”, os seguintes integrantes do Clube do Mar do Ceará: os mergulhadores Rennan Almeida, Marcus Davis, e a equipe em terra, Karla Prudente e Rayana Nascimento.

Lagoa-Ceara1

Marcus Davis Andrade Braga
Formado em publicidade e propaganda pela FIC. Mergulha há mais de 15 anos, é instrutor de mergulho pela PADI #196258, instrutor de primeiros socorros pela EFR e supervisor de mergulho formado pelo Corpo de Bombeiros do Ceará, instituição para qual presta consultoria. Fotógrafo e pesquisador de naufrágios, já participou de diversas matérias e programas de televisão relacionados a mergulho. É coordenador do Clube de Mergulho do Mar do Ceará, grupo envolvido no desenvolvimento da prática de mergulho autônomo, na preservação ambiental e na pesquisa e localização de naufrágios no estado.