Varadero, Cayo Santa Maria e Cayo Las Brujas

Foto: Clécio Mayrink

Com tudo mudando no planeta, apesar do tipo de regime político, Cuba também não poderia ficar para trás, e o país começa a sofrer pequenas alterações em sua administração política, que pode ser percebida pelos turistas que visitam a grande ilha de Fidel Castro.

Recentemente visitamos a ilha de Cuba juntamente com um grupo de brasileiros, para conhecer uma nova área destinada ao turismo e mergulho.

A empresas relacionadas com turismo em Cuba, estão investindo cada vez mais para ampliar as atrações e atrair mais turistas ao país. Consequentemente, isso irá gerar mais capital e empregos para a já tão carente população cubana. Visitando a ilha, não é difícil perceber que investimentos estão sendo realizados, o que tornará a ilha de Cuba, um dos destinos ainda mais interessantes no Caribe.

Chegamos lá em voo promovido pela companhia aérea Cubana, saindo de São Paulo e descendo no aeroporto de Havana, capital de Cuba. Passamos por um processo rápido imigratório, e após uma certa demora em receber as bagagens, fomos recebidos por nosso guia local, onde pegaríamos um ônibus até o balneário de Varadero, uma cidade distante 150Km da capital, podendo ser alcançada em 2h de ônibus, destino esse, já conhecido por muitos brasileiros.

Cuba-Varadero

Varadero

Localizada em uma península, a cidade de Varadero é repleta de hotéis, como é o caso da rede Meliá Hotéis, que dispõe de diversos hotéis ao longa da península, trazendo diversas opções de estadia. No nosso caso, ficamos hospedados no Meliá Marina Varadero, que está localizado bem na ponta da península, onde inclusive, dispõe de uma operadora de mergulho chamada Gaviota, pertencente à uma rede de operadoras de mergulho, hotéis e atrativos turísticos, já  bem conhecidos por lá. A operadora é bem estruturada, possui equipamentos novíssimos para aluguel, e conta com uma equipe sempre bem humorada e atenciosa.

No que diz respeito à Varadero, a região se tornou um balneário, e vêm recebendo muitos turistas de diversas partes do mundo, sendo a sua grande maioria, canadenses e europeus. Com suas extensas e belíssimas praias, Varadero se tornou o local preferido dos turistas provenientes de países frios, que buscam passar suas férias em um local quente e com praias de águas cristalinas e de temperaturas mais elevadas.

Após uma noite de descanso, fomos mergulhar no naufrágio da famosa fragata russa 383, que encontra-se de pé e tendo a sua parte mais funda aos 26m de profundidade. O naufrágio encontra-se inteiro, permitindo inclusive, algumas penetrações. Lotada de vida marinha, o mergulho impressiona pela quantidade de Peixe-Leão (Lion Fish) vivendo em seus escombros. É um mergulho muito bacana, pois a fragata encontra-se de pé, permitindo ao mergulhador avistar seus canhões apontados em direção à proa do navio, com toda a beleza natural que foi se formando ao redor do naufrágio. Vale a pena ressaltar que a temperatura da água girava em torno dos 30 / 31°C e visibilidade por volta dos 20m.

O segundo mergulho foi realizado em um ponto denominado La Barriga, onde encontramos logo na descida, alguns escombros de um antigo e pequeno naufrágio ocorrido naquela região. Um mergulho muito tranquilo, com água extremamente quente e visibilidade beirando os 25m. Durante o mergulho, avistamos também, diversos corais e dezenas de moreias pintadas e verdes, que deram um show à parte ao mergulho.

Finalizada a operação, retornamos ao hotel chegando em apenas 20min de navegação. O local possui um mar extremamente calmo, e as pessoas com tendência ao enjoo não terão problemas, pois apesar dessa região estar sob a influência do mar do Atlântico, o relevo natural da região faz com que o mar não tenha grandes ondulações, onde navegamos sem dificuldades. Aliás, a embarcação também contribui bastante, pois ela é extremamente espaçosa (formato americano), e os mergulhadores não terão o mínimo problema de espaço durante a montagem dos equipamentos.

Após uma boa ducha e com todos prontos para sair, decidimos conhecer um pouco do centro de Varadero, que como imaginava, é um local relativamente simples, onde é possível tomar a bebida mais famosa de Cuba, a “Cuba Libre”. Aliás, o rum Havana Club é fabricado em Cuba, que por sinal, na cidade de Varadero existe até uma pequena boate também chamada Havana Club, que acredito ser patrocinada pela marca.

Para regressar ao hotel pegamos um táxi, que levando em consideração que quase 100% da frota de Cuba é composta por veículos fabricados na década de 50, regressamos em um deles, que era simplesmente um Bel Air 1954 sem capota, onde pudemos curtir um regresso com uma noite estrelada ao som de músicas antigas. Aos amantes de carros antigos, sem dúvida, Cuba será um paraíso, pois à todo o momento vemos carros bem antigos e muitos deles em excelente estado de conservação.

Cayo Santa Maria

Após algum tempo em Varadero, fomos para Cayo Santa Maria, considerada uma nova região destinada ao turismo, contemplando também hotéis cinco estrelas novíssimos.

A viagem foi um pouco longa, algo em torno de cinco horas de estrada, porém, acaba sendo bem interessante, pois a viagem pela estrada permite conhecer a ilha de Cuba de forma mais profunda, uma vez que passamos por antigas cidades que ainda mantém o visual da década de 50. Além disso, passamos pela cidade de Santa Clara, importante cidade histórica cubana, onde ocorreu a chamada Batalha de Santa Clara em 1958, promovida por Che Guevara, durante a Revolução Cubana. Em Santa Clara, está o memorial sobre Che Guevara, onde encontram-se os restos mortais do guerrilheiro e alguns utensílios usados por ele.

A visitação é imperdível e após a visitação ao memorial, saímos da cidade e seguimos em direção à Cayo Santa Maria, passando por uma estrada estreita e com o mar em ambos os lados, o que nos fez parar algumas vezes para tirar fotografias.

Durante o período em que estivemos em Cayo Santa Maria, passamos pelos hotéis Iberostar e Playa Cayo Santa Maria, todos eles cinco estrelas e com uma infraestrutura excelente, tendo acesso direto a praia inclusive. Por lá, saímos para mergulhar utilizando também a estrutura da empresa Gaviota, face a qualidade fornecida por eles, que como em Varadero, possuíam o mesmo tipo de embarcação e equipamentos de aluguel novíssimos.

Durante os mergulhos encontramos corais, pequenos cânions e peixes curiosos que nos seguiam durante todo o tempo. Cayo Santa Maria, é uma área protegida da pesca e caça, e além da baixa visitação de mergulhadores no local e por se tratar de uma atividade relativamente nova por lá, a região encontra-se muito bem preservada, onde tivemos mergulhos tranquilos e sem correntes, permitindo boas imagens.

Após alguns dias regressamos para Havana, onde nosso guia nos levou até os pontos turísticos e históricos da chamada Havana velha, onde nossa equipe pode conhecer um pouco mais da história da ilha de Cuba, ver como é feito um charuto, e conhecer de perto todo o passado histórico do país que aos poucos, começa a passar por pequenas transformações com sua nova administração.

Sem dúvida, a ilha de Cuba ainda guarda muita coisa à ser descoberta pelos visitantes, tanto dentro como fora d´água, e regressamos ao Brasil com uma grande vontade de retornar e conhecer os diversos outros pontos de mergulho que o país reserva aos mergulhadores.

Cuba-Forte

Dicas

O dólar não é a moeda mais recomendada à ser levada pelos turistas. Recomenda-se levar euros ou dólar canadense, pois o dólar americano sofre um deságio em torno de 10 à 15% em razão dos problemas políticos entre Cuba e os Estados Unidos. Por lá existem dois tipos de moedas, o peso cubano e o CUC, sendo essa última, a moeda utilizada nos pólos turísticos. O peso cubano é utilizado somente pela população cubana e onde os turistas não frequentam.

Por lá, encontramos tomadas com 110 e 220 volts, portanto, é interessante levar produtos eletrônicos que sejam bi-volt.

Antes de viajar à Cuba, o brasileiro precisa levar um passaporte válido e tirar um visto previamente.

No que diz respeito à comunicação, devido ao embargo dos Estados Unidos e ao tipo de administração da ilha, o uso de telefonia e principalmente da internet é extremamente complicado, mesmo estando hospedado em hotéis cinco estrelas. Na maioria das vezes, não conseguíamos ligar para o Brasil e o acesso pela internet é extremamente lento ou inexistente. Se você for pra lá, tenha em mente que terá problemas de comunicação e não pense que conseguirá levar o seu notebook e trabalhar nas horas vagas, pois dificilmente irá conseguir. A utilização de telefonia e internet são caros e não garantidos.

A segurança em Cuba existe e em nenhum momento tivemos a sensação de que poderíamos ser furtados ou roubados, mas independente disso, como em qualquer lugar do mundo, devemos ser precavidos e não deixar objetos valiosos à vista. Lembre que é um país onde a população ganha muito mal e acima de tudo, somos turistas.

Uma boa dica, é dar uma gorjeta para todo e qualquer serviço, pois será sempre muito bem-vindo, e certamente você será melhor atendido. Se levarmos em consideração que um médico em Cuba ganha U$ 30/mês, 1 CUC (mais ou menos 1 euro) de gorjeta é um agrado e tanto, e você  sentirá a diferença.

Como ir

Para chegar em Cuba é preciso visto de entrada, e uma operadora de turismo pode providenciar isso à você. Eventualmente você pode ter dificuldades na aquisição dos bilhetes aéreos diretamente com a companhia aérea. Para evitar dores de cabeça e ter a certeza de uma viagem segura e tranquila, recomendo a Oxigenação Turismo, como a melhor opção de operadora no Brasil, para programar toda a sua viagem, evitando todo e qualquer transtorno.

Agradecimentos

  • Sandro César da Oxigenação Turismo pelo convite;
  • Dino da HavanaTur por toda estrutura disponibilizada.
Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.