Vídeo-Sub: Mini-DV, Mini-DVD ou HDV ?

Sem dúvida, essa é uma das perguntas mais comuns que a gente escuta por aí, e realmente, essa quantidade de siglas só dificulta nosso entendimento.

Basicamente a coisa funciona assim…

Câmeras Mini-DV

São câmeras que gravam imagens em pequenas fitas DV, com duração em torno de 60min.

A imagem gerada é crua, isso é, uma imagem sem compressão de dados. Para se ter uma idéia, 1 hora de vídeo em DV, gera algo em torno dos 13 aos 15 gigabytes de dados, um número 2 a 3 vezes maior em kbytes, se comparado padrão Mini-DVD.

Mini-DVD

Muitos acreditam que tudo que tenha a sigla DVD, é o que há de melhor qualidade, o que é um grande erro !

As câmeras que trabalham com o formato Mini-DVD, são câmeras que gravam em pequenos DVD´s, cujo tamanho não exceda os 2.8 gigabytes, e normalmente não gravam mais que 30min em imagens.

Esse padrão foi criado por puro marketing, pois a tecnologia é cara (um Mini-DVD de qualidade é mais caro que uma fita Mini-DV) e voltada para o consumidor amador. Tanto que a coisa não pegou, que a cada dia vemos menos câmeras Mini-DVD à disposição nas lojas.

Face ao pequeno espaço para a alocação dos dados (gravação das imagens), as imagens passam por um processo de compressão de dados, o que acarreta numa perda sensível de qualidade da imagem.

HDV

Em tempos de imagem em Alta Definição ou High Definition (HD), o HDV chegou firme e forte, e como o próprio nome diz, são imagem captadas em alta definição.

Mas como pode uma câmera HD gravar em uma fita Mini-DV ? Não são padrões diferentes ?

Uma fita Mini-DV grava dados e o que foi feito para se conseguir isso, foi a diminuição na velocidade de gravação na fita. Com a fita rolando em menor velocidade, uma forma de gravação diferenciada e formato de compressão de dados sem perda de pixels, se consegue gravar o dobro de dados na mesma fita Mini-DV, normalmente utilizada nas câmeras Mini-DV tradicionais. Saiba aqui um pouco mais sobre o HDV.

O futuro

Como já havia dito em outro artigo em 2007, o futuro serão os cartões de memória, como já está acontecendo, e vou explicar por que.

Alguém lembra dos chamados LaserDisc que a Sony tentou implantar na década de 80, logo após a inclusão do CD no mercado ?

Isso é a mesma coisa do Blu-ray de hoje em dia.

Blu-ray é uma tecnologia criada por um consórcio de empresas como a Sony, JVC e outras, para criarem um padrão de disco parecido com o DVD, porém, com a capacidade de armazenamento de mais dados. Resumindo, criando-se um disco com maior capacidade, as imagens em HD poderiam ser exibidas em players sem compressões de dados.

O problema, é que o vídeo literalmente “cru”, precisa de muito mais espaço para armazenar os dados (kbytes) necessários e os discos de DVD atualmente comercializados não permitem isso.

Para se ter uma idéia, um DVD comum desses que alugamos em locadoras, pode gravar até 4.7 gigabytes, enquanto que um disco Blu-ray possui54 gigabytes. Resumindo, quase 12 vezes mais que o DVD comum.

Depois de muito brigarem, a Sony conseguiu padronizar o formato Blu-ray, mas como disse, não vai emplacar.

Motivos:

Alto Custo

O custo de um aparelho que exiba imagens contidas em um disco Blu-ray ficou muito caro e acima do esperado. Poucas pessoas compram o aparelho nos Estados Unidos, agora imagina no Brasil ?

Quantas pessoas já chegaram até você e comentaram que compraram um player de Blu-ray ?

Tecnologia

Vejo a tecnologia em computação como uma coisa boa e uma desgraça, pois quanto mais rápida ela é, mais ela ajuda a humanidade e ao mesmo tempo nos prejudica, pois você espera comprar um aparelho que dure pelo menos uns 2 anos, o que não vai acontecer com o Blu-Ray.

Ora, porque vou comprar um aparelho que consegue ler os discos Blu-ray de 54 Gb, se já existem pen drives para serem lançadas com 128Gb ?

Não é mais fácil fabricar um aparelho que leia os vídeos contidos nas pen drives como já são os CD Players MP3 de carros ?

Certamente isso vai acontecer e muito em breve, pois a fabricação de um pen drive tem um custo muito inferior ao da produção de um disco Blu-ray, e não tem porque comprar um player Blu-ray e usá-por um 1 ou 2 anos no máximo.

Além disso, encontramos vários modelos de câmeras que estão gravando diretamente em cartões de memória e a tendência é tirar o chip e colocá-lo diretamente nas TV´s para assistir aos filmes.

Em no máximo 2 anos, as TV´s à venda terão entradas para cartão de memória (isso se já não houver !), permitindo você assistir seus vídeos e fotos diretamente do cartão introduzido na TV.

A cada dia a evolução dos equipamentos eletrônicos está mais rápida. Hoje, o vídeo HDV é sem dúvida o que há de melhor qualidade em imagem. Se você pretende comprar uma câmera, leia e estude bastante antes de comprá-la, pois as variedades disponíveis no mercado são grandes e há muito produto ruim sendo comercializado, e nem tudo tem a qualidade HDV esperada.

Portando, fique atendo ao produto desejado. Estude muito antes de comprá-lo e troque idéias com outros amigos.

Clecio Mayrink

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount).

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou como consultor para a ONU, UNESCO, Segurança Pública, além de diversos órgãos públicos no Brasil.