WD TV – Uma solução para os cinegrafistas submarinos

Já algum tempo, venho dizendo que o Blu-Ray, ou leitor de discos digitais com até 50 gigas de capacidade em armazenamento, não teria futuro, e que logo logo, ele seria mais um vexame da indústria mundial, face o alto custo de produção, requerimento de mídia, crescimento exponencial e baixo custo dos chip´s flash drive, e as vantagens que este último trás.

Hoje, o mercado já começa a dar sinais de que está deixando a tecnologia do Blu-Ray de lado, com a chegada dos leitores de flash drivers, apelidados erroneamente de WD TV.

Mas o que é um WD TV ?

O WD TV é nada mais do que uma pequena caixinha que faz a interface (comunicação) entre um pen drive (ou um HD externo) com a televisão. Ou seja, se você possui vídeos ou fotos armazenados em pen drive / HD, o WD TV permitirá que eles sejam exibidos em sua TV como se estivessem gravados em um DVD, por exemplo.

Vale ressaltar que WD TV, foi a sigla lançada pelo fabricante de discos rígidos (HD´s) Western Digital para seu leitor de arquivos, e esse nome está se popularizando e tornando-se o nome “oficial” para este tipo de equipamento.

Voltando ao “WD TV”, esse aparelho só traz vantagens ao usuário, e a grande maioria desconhece tal equipamento. Ele custa em média nos Estados Unidos, a bagatela de U$ 95. Há inclusive, um modelo que grava as imagens da TV em um drive interno, saindo U$ 100 mais caro.

Imagens HD e Full HD

Imagens em alta definição geram grandes arquivos, dificultando a exibição por exemplo, na casa de amigos, em eventos ou coisas do tipo. A criação do WD TV veio primeiramente para resolver esse problema.

Para se ter uma idéia, uma hora de vídeo em Full HD, gera algo em torno dos 16 gigabytes, sendo impossível gravar esse arquivo em um DVD comum, que suporta no máximo de 4.7 Gb.

A solução que o mercado havia encontrado, era gravar esses arquivos em mídias Blu-Ray, e agora, pode-se gravar esse vídeo em um pen drive / HD, ligando-o diretamente no WD TV, e assistir aos vídeos de forma simples, rápida e sem o stress quanto à necessidade de discos digitais Blu-Ray, que além de caros, podem apresentar falhas durante a reprodução e gravação.

Os WD TV´s possuem saídas HDMI, Vídeo Componente e RCA, permitindo a exibição das imagens em qualquer aparelho de TV.

No caso do WD TV da Western Digital, é a vantagem dele possuir duas entradas do tipo USB, permitindo a conexão de um pen drive / HD, e na outra entrada, a conexão de um adaptador wireless, criando uma conexão wireless entre o WD TV e um computador qualquer para a transferência de vídeos / fotos. Há também uma entrada para a conexão via cabo, para ligar seu WD TV a um roteador wireless, caso queira.

Dessa forma, você poderá editar um vídeo, e fazer a transferência dele via rede sem fio ou pelo cabo diretamente para o pen drive / HD que estiver conectado ao WD TV. O processo é seguro, porém, requer um conhecimento básico para configurar essa rede. É importante ressaltar, que o adaptador wireless deverá ter uma velocidade mínima de transmissão de dados e que seja compatível com o WD TV. Esses detalhes podem ser encontrados no manual do WD TV.

Hoje, o WD TV resolve um problema que eu tinha, que era justamente poder exibir meus vídeos de mergulho em qualquer local e sem ter que carregar um aparelho do tamanho de um DVD player convencional, tendo em vista que quase não há usuários de Blu-Ray no Brasil. Agora, basta levar um pen drive com o WD TV, que é muito pequeno, para garantir a exibição dos vídeos a todos.

WD-TV-Frontal

Com isso, meu DVD player foi aposentado e o custo do Blu-Ray player e do gravador de Blu-Ray para o computador, foram economizados. Aliás, sempre que olhava para esses aparelhos, lembrava do fiasco do Video Laser que a Sony lançou no passado e que ninguém comprou.

A tecnologia está muito rápida e a onda dos chip´s e redes sem fio é agora, e tudo leva à crer que num futuro próximo, as TV´s já terão entrada USB e de cartão de memória, e players de DVD, Blu-Rays e demais, deverão sair do mercado.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.