Infelizmente alguns instrutores de mergulho acabam esquecendo de comentar com seus alunos de curso básico, sobre um detalhe na hora de abrir o registro do cilindro de mergulho e o posicionamento do manômetro.

O manômetro em si, é um equipamento fabricado para medir a alta pressão proveniente dos cilindros de mergulho, mas sabe-se que apesar de raríssimos, já ocorreram alguns problemas / acidentes no momento em que os registros são abertos e o gás sob alta pressão alcança o manômetro.

Basicamente dois tipos de problemas podem ocorrer durante a abertura do registro:

  • Estouro da mangueira
  • Estouro do vidro

O estouro da mangueira pode ocorrer devido ao ressecamento da mesma devido ao uso prolongado, exposição ao sol, e principalmente, pela validade vencida do produto. A probabilidade desse tipo de acidente é muito baixa, mas existe.

Quanto ao estouro do vidro do indicador do manômetro, este sim poderá causar lesões ao mergulhador desatento, pois o vidro poderá saltar em direção ao seu rosto, devido à força da alta pressão do cilindro.

Isso pode ocorrer devido algum tipo de problema de fabricação ou baixa qualidade do material utilizado pelo fabricante.

Para evitar esse tipo de problema, o mergulhador deve abrir o registro do cilindro de mergulho com uma das mãos, e com a outra, segurar o manômetro com o vidro virado para o chão, pois caso ele venha se soltar do corpo metálico, será lançado para o chão e não contra o corpo do mergulhador.

Parte interna que saltou do manômetro – Foto: Carlos Momoli

Sabemos que esses problemas sãos raros, e em mais de 30 anos de mergulho nunca presenciei tal fato, mas se o risco existe, devemos seguir o protocolo e eliminar qualquer possibilidade de acidentes desnecessários.

Meu amigo e instrutor de mergulho Carlos Momoli passou recentemente por uma situação onde o vidro do manômetro saltou inesperadamente, e nada ocorreu, porque seguia o protocolo de abrir o registro segurando o manômetro virado para baixo.

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e no autônomo em 1986, participando da primeira turma de Dive Master da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver e Advanced Cave Sidemount / No Mount, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência em mergulho e naufrágios para diversas entidades como ONU, UNESCO e diversos órgãos públicos no Brasil.