Todo equipamento de mergulho é projetado e testado arduamente, para evitar a possibilidade de acidentes, uma vez que o sistema usado pelos mergulhadores engloba cilindros de alta pressão.

Para haver segurança e extinguir a possibilidade de acidentes, foram criadas diversas normas internacionais para que os fabricantes sigam determinados padrões e mantenham a linha de produção condizente com eles.

O padrão de roscas é um deles e quando falamos sobre torneiras e manifolds (usados em cilindros duplos), é fundamental conhecer o tipo de padrão aplicado na rosca do produto, que pode ser em milímetros ou polegadas. Hoje encontramos os padrões BS 3643 (rosca paralela de 25mm) e a ISO 228 (rosca paralela de G3 / 4 polegadas). Olhando a foto abaixo, parecem idênticas, mas não são. Infelizmente é possível que uma válvula de rosca em milímetros seja inserida em um gargalo de cilindro com rosca G3 / 4 pol.

Usando uma válvula em um cilindro com rosca diferenciada, o usuário estará sob risco iminente de acidente grave por causa da pressão, e literalmente a torneira (ou manifold) pode sair do cilindro de uma hora para outra, pois a força exercida na base da válvula de um cilindro de mergulho é da ordem de vários milhares de quilogramas.

Em 1997, a antiga escola e operadora de mergulho CIMA, no Rio de Janeiro, teve sua estação de recarga totalmente danificada (leia o artigo aqui) justamente por esse motivo. Estavam recarregando um cilindro duplo que usava um manifold com rosca incompatível. Como é impossível verificar se as roscas são compatíveis, quem faz o serviço de recarga fica sem saber se as roscas estão ok.

Antigos manifolds à venda no Brasil

Sabemos que por volta de 15 anos atrás, o Brasil importou certa quantidade de duplas de cilindros de aço e manifold com rosca em milímetros, e devido ao tempo transcorrido, já existe a possibilidade desses cilindros começarem a não passar nos testes hidrostáticos e inspeções, e com isso, criando a possibilidade dos proprietários destes equipamentos começarem a vender os manifolds usados em sites como o Mercado Livre, por exemplo.

É aí que mora o perigo, pois quem compra esse tipo de produto normalmente não sabe o tipo de rosca  que foi adotada na fabricação, e ao utilizá-lo em um cilindro incompatível, poderá sofrer um grave acidente.

É preciso estar atento ao tipo de rosca aplicada no produto antes de usá-lo. Na dúvida, procure um especialista certificado pela PSI para obter a orientação correta e ficar livre de transtornos futuros.

E lembre-se: Jamais instale uma toneira ou manifold em um cilindro de mergulho, sem ter a certeza do tipo de rosca aplicada em ambos.

Colaboração: Miguel Lopes

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986, participando da primeira turma de Dive Master da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho e fotografia / vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência quando o assunto é mergulho e naufrágios para a mídia e órgãos públicos no país, e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO.