10 dicas para montar um portfólio de foto-sub

Foto: Clécio Mayrink

A palavra portólio é uma contratura das palavras porta (pasta) e fólio (papéis).Ou seja, pasta de cartão para guardar papéis, desenhos, estampas, etc. (Aurélio). Mas para os fotógrafos, têm um significado mais definido: Um conjunto de fotografias sobre um tema.

Muitas vezes o iniciante em fotografia deseja compor uma mostra de seu trabalho para uma revista, galeria de exposição, jornais, clientes, etc… Em várias ocasiões, fica muito difícil de saber o que colocar ou que não colocar. Não estamos dizendo que devam ser feitas desta forma, mas aqui apresentaremos algumas sugestões para montar o que chamamos de portfólio.

Inicialmente, um portfólio deve representar seu trabalho como um todo; contando “uma história” do que você é como fotógrafo. O portfólio muda com o tempo e experiência e por isso deve também ser atualizado de tempos em tempos, e dependendo do avanço do aprendizado pode-se mudar ao longo dos anos e até em poucos meses. Mas vamos nos ater ao presente momento em que você já tem uma determinada quantidade de fotos e queira formar seu trabalho.

Aqui temos algumas dicas de como o iniciante pode fazer seu próprio portfólio que pode funcionar bem para você.

1) Forneça um material variado

Uma variedade do material (corais, peixes, naufrágios, etc..) selecionado fotos no formato horizontal e vertical para possibilitar ao editor trabalhar de acordo com a formatação das páginas. É verdade que fotos verticais fazem capas de revistas de banca de jornal; pois o formato vertical chama mais a atenção neste tipo de mídia, mas atualmente muitos livros de arte e fotografia estão utilizando o formato horizontal.

2) Associe com fotos dos lugares

Para uma revista, selecione de 15 a 20 fotos incluindo ainda algumas fotos de paisagem terrestre dos lugares onde mergulhou, desta forma possibilitará ao editor trabalhar de forma mais ampla.

3) Diversifique seu material

Na hora de escolher suas fotos, procure sempre manter um equilíbrio entre fotos paisagem submersa com grande-angular, paisagem com mergulhador, macro e se houver coloque algumas em supermacro também.

4) Faça diferente

Ao selecionar suas fotos dê destaque àquelas diferentes, as que causem o impacto a serem vistas. Fotos muito coloridas podem ser interessantes, mas até um peixe pálido desde que fotografado por um ponto de vista diferente, com um enquadramento pouco visto, pode ser “a foto”.

5) Respeite suas limitações e de seu equipamento

Procure fazer a foto de acordo com o equipamento que lhe é disponível, assim terá resultados bem melhores. Nem sempre ter equipamentos modestos quer dizer não ter fotos de qualidade. Basta fazer de acordo com o que seu equipamento pode lhe oferecer de melhor.

6) Dê qualidade as suas imagens

Se estiver utilizando equipamentos de filme, faça o escaneamento sempre em alta resolução, mesmo que seja para recomprimir de 26MB TIFF para 130Kb JPG. A qualidade de um scanner próprio de filme permite captar uma riqueza de detalhes que não há como ser reproduzida por escaners domésticos que têm opção para slide / negativo. Se você não tem scanner próprio então vá até um digilab e solicite um escaneamento em alta resolução.

7) Ajuste a mídia desejada

Se for um portfólio somente para mostrar em monitor, normalmente a resolução em tela de computador na maioria é de 72dpi, mas já existem monitores de 96dpi, então procure sempre usar como padrão um dpi mais alto. Isso possibilitará pessoas que têm melhor multimídia apreciar melhor seu trabalho.

8) Peça ajuda na hora de escolher

Não deixe de procurar alguém mais experiente para ajudá-lo na escolha das fotos. Até profissionais de gabarito fazem isso. Muitas vezes uma foto chama a nós mesmos muita atenção pela dificuldade realizada, mas às vezes as fotos simples é que costumam atrair mais o público. Tenha isso em mente !

9) Evite sempre que possível:

Utilizar uma objetiva inadequada para o assunto – Por exemplo: Fotografar com grande-angular um minúsculo peixe no centro da foto. Ou ainda, fazer uma foto de paisagem com uma objetiva de ângulo estreito.

Auto-retratos – É muito tentador para o iniciante, mas fotografias submarinas como “auto-retrato” ou com uma foto do mergulhador parado em pé sendo fotografado com alguma coisa ao fundo (como um navio, corais etc..) somente da cintura para cima é uma boa forma de registrar eventos, mas não compõe bem um portfólio.

Absurdos – Fotos que apresentam manipulação dos seres marinhos ou agressões a estes como um mergulhador montado numa tartaruga ou puxando o rabo de uma arraia pode parecer ao leigo até um ato de bravura, mas para muitos será duramente criticado em virtude da consciência ecológica que temos hoje.

Sujeira – Colocar fotos com backscatter (aquelas poeiras causadas pelo flash), pois por melhor e mais interessante que seja o assunto estraga a foto como apreciação.

10) Faça um ajuste digital

Foto-sub não se trata de fotojornalismo que requer a veracidade no assunto, mas de arte. Não há nenhum problema em realizar manipulação digital para esse tipo de fotografia. Ninguém irá proibi-lo de manipular sua fotos, embora seja mais interessante quando se aproximam em cores/contrastes da realidade. Só por curiosidade; para muitos concursos é permitida, mas para outros é exigido a comprovação do negativo/positivo no caso de máquinas de filme para comprovação ou do RAW nas câmeras digitais, porém portfólios também não são para concursos; ou seja: Abuse no possível dos recursos que temos hoje.

Fazer correção de brilho, contraste, saturação, alguma nitidez e até borrachas clone do Photoshop são muito importantes para melhorar seu trabalho. Mas não se engane; quando uma foto é ruim, é ruim mesmo. Acredite, será bem mais fácil pegar sua tralha de equipamentos e ir mergulhar novamente ao invés de tentar transformar uma foto mal tirada na obra de sua vida.

Muitas vezes ter uma atitude profissional é melhorar o que você é até para um fotógrafo amador. Desde selecionar fotos a atualizar um portfólio é uma tarefa tão difícil quanto mergulhar e fotografar; exige bom senso e paciência, mas será recompensada pelas boas fotos apresentadas !

Christian Sgarbi

Instrutor de fotografia pela ADS International, desenvolveu a primeira revista virtual de fotosub no país, a Virtualfotosub e atualmente integra a CEDSU (Comissão de Evento Digital Submerso).