Camboinhas

Data: Primeira semana de junho de 1958

GPS: 22° 57,644′ S / 43° 3,793′ W (PA)

Localização: Praia de Camboinhas – Niterói-RJ

Profundidade (m): 0 – 4

Visibilidade (m): 1 – 3

Motivo: Encalhou

Estado: Desmantelado e enterrado

Carga

Tipo: Cargueiro

Nacionalidade: Brasil

Dimensões (m)

Deslocamento (t):

Armador:

Estaleiro:

Propulsão:

Fabricação:

Notas: eu encalhe causado por forte ressaca, originou o nome pelo qual são conhecidos atualmente a praia e o bairro da região oceânica de Niterói. A primeira tentativa de resgate, ainda sob a forte ressaca, resultou num segundo encalhe, desta vez do navio resgatista, que mais tarde foi desencalhado, salvando-se do desmanche imposto ao Camboinhas, irremediavelmente preso ao seu destino final.

A Praia passou a ser chamada de Camoinhas, devido ao encalhe do navio.

Ainda hoje é possível divisar as pontas de seu cavername abandonado na praia, quando a maré baixa.

 

Publicado na Revista O Cruzeiro jun/jul de 1958

Cargueiro Camboinhas – encalhado em Itaipú – Niterói – RJ

O Camboinhas, encalhou na primeira semana de junho de 1958, e a corveta Angostura, durante forte ressaca, na tentativa de reboca-lo, também encalhou. Só no dia 2 de julho, durante a maré alta e fortemente puxada pelos rebocadores Tristão, Triunfo e Tridente e pelas corvetas Imperial Marinheiro e Solimões, foi desencalhada.

Imagens