Cuidados ao viajar quando for mergulhar

É sempre bom que tudo corra bem durante uma viagem, mas quem nunca teve algum tipo de problema ou esqueceu algo importante a ser levado ?

A cada viagem, é aconselhável tomar alguns cuidados, principalmente se for uma viagem internacional, pois será difícil e mais complicado resolver os problemas estando longe de casa. Com algumas dicas básicas, você poderá ter uma viagem mais tranquila.

Veja abaixo alguns pontos importantes:

Check-list

Talvez a grande maioria das pessoas não faça uma checagem dos itens a serem levados na viagem. Com um check-list, dificilmente você esquecerá algo importante ou imprescindível, como um equipamento por exemplo. Além de um procedimento simples, trará a garantia de que não algo caia em esquecimento.

Voo

Se você pretende viajar ao exterior e necessita realizar um voo nacional até uma capital de onde partirá o voo internacional, procure chegar um dias antes. Isso evitará transtornos inesperados.

Por exemplo, algum tempo atrás, um amigo deveria sair do Rio de Janeiro para pegar um voo internacional que sairia do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. No dia em questão, havia uma forte e densa neblina que encobriu toda a capital paulista, fazendo com que os aeroportos de São Paulo ficassem fechados praticamente o dia inteiro e atrasando todos os voos. Com isso, ele acabou chegando no aeroporto de Guarulhos 5:30h depois do previsto, e perdeu o voo internacional. Como os voos eram de companhias diferentes, a situação piorou ainda mais.

Documentação

Esquecer documentos é coisa séria e poderá lhe causar transtornos. Esquecer o certificado de mergulho por exemplo, poderá fazer com que você deixe de mergulhar na maioria dos lugares. Em outros, talvez com a boa vontade da operadora em querer fazer uma confirmação junto à certificadora se você é ou não certificado, possa lhe ajudar, mas de qualquer forma, você acaba perdendo tempo com isso.

Passaporte e visto então, nem fala. Um amigo meu já deixou de embarcar por estar com o passaporte vencido, e apesar dele estar com o visto válido, não tem conversa. Foi preciso tirar um novo passaporte, pagando uma taxa onerosa para emissão de passaporte emergencial e aguardar a entrega no dia seguinte. É difícil de acreditar que isso ocorra, mas para quem viaja bastante, não é difícil esquecer desse detalhe.

Cartões de Crédito

Empresas de cartão de crédito como o Visa e Mastercard, possuem um sistema denominado Neural, que é um sistema dotado de alta tecnologia em computação, capaz de realizar milhões de análises por segundo, das transações feitas com os cartões de crédito. O simples fato de passar o cartão durante uma compra, faz com que este sistema faça um rápido estudo quanto ao seu perfil de compras com o cartão, verificando se a compra que está sendo realizada, está dentro do seu perfil. Estando fora, o sistema pode gerar um alerta para a área de fraude ou bloquear o cartão.

Para evitar surpresas desagradáveis durante as viagens internacionais, antes mesmo de viajar, entre em contato com a empresa de cartão de crédito e comunique que você estará viajando, informando o período e destino. Isso diminui as possibilidades de um bloqueio automático do seu cartão por motivos de segurança.

Seguro Viagem e Mergulho

Sem dúvida nenhuma com a aquisição de um seguro viagem, você passa a ter mais tranquilidade caso ocorra algum acidente. No Brasil existem diversas empresas que fornecem este tipo de serviço. Consulte uma operadora de viagens para mais informações. Um lembrete…  na Europa ter um seguro saúde com cobertura mínima de 30.000 euros é obrigatório, não tendo, haverá grandes chances de você não entrar no país.

Bagagens

Veja alguns pontos importantes:

Itens proibidos Atualmente estão proibidos de serem levados na bagagem de mãos os seguintes itens:

  • Dispositivos de alarme;
  • Frascos com mais de 100ml (Shampoo, condicionador, dentre outros.);
  • Pasta de Dente, pomadas, cremes e coisas do gênero.

Havendo a necessidade de levar algo em mãos que seja líquido ou pastoso, contendo menos de 100ml, será necessário acondicionar o produto em uma embalagem plástica e que não tenha dimensões acima de 20x20cm. Itens com mais de 100ml adquiridos no free shop, podem ser levados na bagagem de mãos, desde que tenha sido adquirido dentro da zona de segurança. Não é incomum a pessoa esquecer desse detalhe dos 100ml, e acabar comprando algum item no próprio aeroporto, porém, antes da fiscalização de segurança.

Procure deixar na bagagem de mão, medicamentos mais utilizados, como analgésicos, para um eventual uso durante o voo. Colírio e spray para umedecer as vias respiratórias, são recomendados em voos longos.

Jamais carregue a bagagem de um desconhecido. As chamadas “mulas” ou pessoas que carregam drogas de um destino à outro, eventualmente chegam de forma extremamente gentil pedindo por ajuda, para que alguém carregue sua bagagem durante um curto espaço de tempo, e quem ajuda a traficante, poderá ser penalizado e ser tratado como um, se for pego pelas autoridades. Resumindo, não confiem em ninguém !

Adesivos – Evite colocar adesivos de mergulho em sua bagagem. Em aeroportos como Miami por exemplo, os carregadores de bagagens identificam as malas dos mergulhadores em razão do peso e da bandeira de mergulho exposta em forma de adesivo. Com isso,  logo saberão que na bagagem haverá equipamentos caros. Infelizmente existem ladrões em aeroportos que são atraídos por este detalhe.

Notebooks: Existem alguns relatos de turistas que foram obrigados a ligar o notebook para uma inspeção dos fiscais da imigração americana. Desde 2008, os Estados Unidos autorizaram a polícia aeroportuária a poder ligar os notebooks dos viajantes para a verificação dos dados pessoais contidos em notebooks e uso de software pirata. Portanto, se você é uma dessas pessoas com software ilegal, cuidado !   Você pode acabar sendo preso por uso de software pirata.

Identificação da bagagem – Eu por exemplo, coloco sempre um pedaço de fita Silver Tape com o meu nome, telefone, endereço e número do voo, pois isto aumentará as chances de recuperação da bagagem, caso ela venha à ser extraviada. Além disso, principalmente nos Estados Unidos, se eles desconfiam de algo no interior de sua bagagem, ficará mais fácil saber quem é o proprietário da mesma e irão chamá-lo para abrir e mostrar o conteúdo.

Normalmente nos Estados Unidos, após o check-in, a mala é levada pelo proprietário para um setor de segurança para que a bagagem passe por um sistema que analisa o interior da bagagem, contra a possibilidade de elementos químicos explosivos, drogas, armas de fogo ou algo que possa trazer perigo a segurança da aeronave. Mesmo após essa verificação e antes do embarque na aeronave, as bagagens passam por um Raio-X e podem novamente serem separadas pelos fiscais para uma averiguação melhor do conteúdo, e estando identificada, pode facilitar o trâmite do problema.

Um exemplo, foi o que ocorreu com um amigo meu que foi chamado pelo alto-falante do aeroporto de Tóquio, no Japão, para comparecer em uma determinada sala da segurança aeroportuária, para abrir a bagagem, permitindo uma vistoria pelos agentes da segurança. No caso dele, o formato da caixa estanque de uma câmera fotográfica DSLR foi a causa, pois o objeto é metálico e de forma incomum. Na ocasião, ele só compreendeu que estava sendo chamado na terceira vez, e sua bagagem já estava à ponto de ser arrombada e logicamente, danificada.

Usando uma identificação com seus dados, facilitará o contato das autoridades até você, caso seja preciso.

Proteção Plástica de Bagagem – Quem já não viu aqueles funcionários do aeroporto colocando um plástico em volta da bagagem ?

Pra quem não sabe, o produto original chama-se Protect Bag, uma marca patenteada e que nada mais é, do que um plástico com uma certa rigidez, que é enrolado na bagagem, afim de evitar a abertura da mesma e/ou comprovar que a mesma foi violada. Como tudo no aeroporto, ele é um produto meio caro para o que é, mas dependendo do que você esteja levando na sua bagagem, é aconselhável a colocação da mesma. Dependendo do destino, é aconselhável levar um rolo de Silver Tape, pois não havendo o Protect Bag, você poderá passar o Silver Tape ao redor da mala. Esse processo não garante que a mala não será aberta, no entanto, a ocasião faz o ladrão, e se uma pessoa cogitar em abrir uma bagagem, com certeza ela irá na bagagem mais fácil de ser aberta.

Se você é daqueles que não acreditam nessa proteção e acham que só um cadeado já é o suficiente, clique aqui e assista uma demonstração de uma abertura de bagagem em segundos utilizando apenas uma caneta. Imagino que depois de assistir esse vídeo, você irá mudar de idéia…

Bagagem Extraviada

Isso é uma das coisas mais indesejáveis que podem ocorrer em uma viagem, mas caso isso ocorra, procure ainda na área de retirada de bagagens, pelo responsável da companhia aérea utilizada para fazer o registro de bagagens extraviadas. Jamais saia do saguão de desembarque à procura deste setor no lado externo e próximo ao check-in dos aeroportos. Independente de qualquer funcionário dizer que você deve resolver isso fora dessa área. Existem normas internacionais para isso e, segundo estas, caso você saia do local de retirada das bagagens, automaticamente você perde o direito quanto a exigência de análise de extravio. Além disso, na maioria dos aeroportos, você não conseguirá retornar a área interna do aeroporto e certamente terá problemas.

Se o responsável pelo setor disser que sua bagagem virá no próximo voo e que não é necessário fazer o registro, insista e obrigue ao mesmo a fazer o boletim de ocorrência e não saia de lá sem ele. Isso é obrigatório em todos os aeroportos, e será o documento oficial que irá comprovar o ocorrido. Se ele se negar, chame a segurança.

Além disso, jamais deixe o ticket de bagagem com outras pessoas. Isso é um comprovante de que você despachou sua bagagem pela companhia aérea e ninguém precisa ficar com esse ticket. Somente, ter ciência da numeração da bagagem e nada mais além disso.

Se você tomou ciência ao chegar no Brasil que sua bagagem foi extraviada, solicite o registro da ocorrência e procure a fiscalização aduaneira para informar o fato e mostrar o registro, para assegurar o direito de sua cota de isenção.

A companhia aérea tem até trinta (30) dias para devolver a sua bagagem em sua residência. Ao receber a bagagem, verifique imediatamente a integridade da mesma, pois no Brasil, já foram pegas quadrilhas especializadas em furto de objetos de bagagens extraviadas.

Cadeado-TSACadeados

Após os ataques do 11 de setembro, a TSA (Transportation Security Administration), um órgão americano de segurança nos transportes, passou a solicitar a utilização de cadeados homologados por ela e que permitam a sua abertura através de chaves mestras. A principal diferença deles, é que se um agente de segurança aeroportuário desconfiar de sua bagagem, ele verá o modelo de cadeado utilizado na mala e fará a abertura da mesma com uma chave mestra relacionada para fazer a vistoria, sem a necessidade de arrombar / danificar sua bagagem. No passado, eles arrombavam sem a menor preocupação, e não se dão ao trabalho de chamar os viajantes para abrir a bagagem.

Se possível, adquira esses cadeados nos Estados Unidos, pois custam menos que no Brasil. Normalmente, algo em torno de 8 à 12 dólares. Atualmente já encontramos com certa facilidade no Brasil, mas verifique a qualidade, marca e se há o símbolo padrão TSA emborrachado na lateral. Na parte inferior, deverá ter uma entrada para a inserção de uma chave e a numeração correspondente à ela, e evite os cadeados com o corpo plástico. A própria Samsonite comercializa esses cadeados, e já me deparei com um que tinha seu corpo externo em plástico, não sendo muito residente.

Objetos cortantes

Por causa do terrorismo, a segurança nos aeroportos aumentou muito, logo, você não pode levar na bagagem acompanhada (de mãos), objetos cortantes como tesoura, canivete, faca de mergulho ou objetos pontiagudos. Apesar dos avisos, muita gente ainda esquece desse detalhe. Quem viaja com frequência e passa pela vistoria de embarque, acaba sempre vendo uma caixa plástica cheia desses objetos que foram deixados para trás pelos viajantes, justamente por não poderem entrar na área de segurança de embarque com tais objetos.

Infelizmente no Brasil, esses item são deixados para trás e sabe lá o que esse pessoal da segurança faz. Na Europa,por exemplo, é criada uma ficha cadastral para que o proprietário do objeto possa recuperá-lo ao retornar para a cidade deixada.

Body Scan e Raio-X

Com o problema do terrorismo mundial, os aeroportos ampliaram o uso do raio X na inspeção dos passageiros. Na tentativa de melhorar essa verificação e agilizar o processo de inspeção, surgiu o Body Scan, um equipamento que como o próprio nome diz, ele “escaneia” o corpo humano, em busca de pequenos traços de drogas e explosivos, assim como materiais que estejam escondidos na roupa ou no interior do corpo, como é o caso das “mulas” que transportam cocaína no estômago.

Muitas pessoas reclamaram desse equipamento, porque ele exibia o resultado do scan realizado com uma grande perfeição, delineando todas as curvas do corpo do passageiro. O software do Body Scan foi alterado, exibindo hoje, um desenho de uma pessoa e sem tantos detalhes. Havendo algum ponto que deverá ser verificado pela segurança aeroportuária, o desenho da pessoa no monitor será exibido com uma mancha amarela ou vermelha na área à ser verificada.

Muitas vezes são formadas duas filas, sendo uma para o raio X e outra para o Body Scan, dando aos passageiros a opção de escolha  por qual delas passar. Recomendo a fila do Body Scan, pois a tecnologia é mais avançada e sua liberação mais rápida, pois com o raio X possui muitas limitações, muitas vezes é preciso tirar os sapatos, cinto e coisas do tipo, fazendo com que esta fila ande mais devagar.

Baterias

Sempre devem ser transportadas em malas e nunca em bagagens de mão. Baterias em bagagem de mãos, permitiriam a ignição de uma bomba por exemplo, e com os ataques terroristas, os agentes aeroportuários não estão permitindo o transporte delas na bagagem despachada. Se você possui uma lanterna HID por exemplo, leve a bateria no canister na mala de mão.

A partir de janeiro de 2008, a TSA criou mais uma norma quanto ao transporte de baterias para voos que passem pelos Estados Unidos. Uma delas, é colocar uma fita adesiva nos contatos das pilhas e baterias que forem nas bagagens, e que estejam desconectadas dos equipamentos. A finalidade disso, é evitar que esta pilha ou bateria, seja um facilitador para incêndios e explosões. Baterias de Lítio por exemplo, se aquecidas, se tornam explosivas.

Benjamim / Adaptadores de Tomadas

Quando viajar ao exterior, verifique antes o tipo de tomada utilizada no país de destino. Diversos países como o próprio Estados Unidos, utilizam encaixes de tomada diferentes dos modelos normalmente utilizados no Brasil, e se você necessitar recarregar uma lanterna ou uma câmera fotográfica, por exemplo, terá problemas com essas diferenças de plugs.

Atualmente é possível encontrar um alguns tipos de adaptadores do tipo universal, que apesar de “meio carinho” (algo em torno dos R$ 45) você encaixa a tomada do aparelho no adaptador e este na parede, usando uma das diversas possibilidades de plugs que ele trás.

Equipamentos caros e sensíveis à variação de pressão

Se possível, leve em sua bagagem de mão, o regulador, computador de mergulho e roupa seca, caso possua uma. Se algum funcionário da companhia aérea ou agente aeroportuário reclamar dos reguladores e/ou na bagagem de mãos, informe ao mesmo que esses equipamentos são para mergulho e que são sensíveis as variações de pressão. Se não houver jeito, peça um documento que responsabilize alguém do aeroporto. Logicamente, ninguém irá se responsabilizar e sempre liberam você com os equipamentos na bagagem de mãos.

Em 2006 tive um problema os Estados Unidos com uma atendente chefe de uma companhia americana que não queria permitir que eu levasse os reguladores na bagagem de mãos, e acreditem…  porque segundo ela, eu poderia segurar pela mangueira e bater com o 1º Estágio na cabeça de alguém durante o voo. Na ocasião, mostrei a mesma que a constava nas regras do site da “própria companhia em questão”, que era permitido levar o regulador em bagagem de mãos. Bati pé no assunto e tiveram que liberar o acesso. É aconselhável acessar o site da companhia aérea a qual se pretende utilizar antes da viagem, e imprimir a página que informa o que é, e o que não é permitido levar nas bagagens de mão e despachada.

Declaração da Receita Federal

Este órgão federal, é o responsável pela fiscalização na entrada e saída de objetos e produtos no Brasil. Em viagens internacionais, até outubro de 2010, era obrigatório o preenchimento de uma declaração (DST – Declaração de Saída Temporária) onde constava os produtos importados com os seus respectivos números de série dos itens que você estava portando na saída do Brasil, para quando retornar, ter uma forma de comprovante, que tais itens não foram adquiridos nesta viagem, não entrando assim, na cota.

Após outubro de 2010, essa declaração não é mais expedida e todo produto que tenha número de série e caso você seja parado pelo pessoal da Receita Federal na alfândega, será preciso apresentar a nota fiscal de compra ou a declaração de nacionalização do produto, que significa, que quando você chegou de uma viagem do exterior anteriormente, você declarou o produto junto à Receita Federal do Brasil e pagou os tributos do mesmo.

Quanto a quota, o limite continua sendo US$ 500 americanos, e o que passar disso, você deve declarar e pagar o tributo imposto pelo governo brasileiro, que é de 50% sob o valor que ultrapassar os US$ 500.

Exemplo 1:  Gastei US$ 480 em compras => Não precisa pagar imposto

Exemplo 2:  Gastei US$ 600 em compras => Será preciso pagar 50% de imposto sob a diferença dos US$ 500, que neste caso, o imposto seria tributado em cima dos US$ 100 convertidos na moeda brasileira ao câmbio emitido pelo Banco Central do Brasil no dia. O tributo é pago na hora, na agência do Banco do Brasil dentro do setor. O produto será cadastrado no sistema da Receita, e estará nacionalizado.

Mais detalhes sobre a legislação sobre bagagem, podem ser encontrados no site da Receita Federal ou clicando aqui e assistindo ao vídeo com mais informações.

Excesso de Peso

Tome cuidado com o excesso de peso da bagagens. Pagar quota extra em viagens aéreas é sempre muito caro.

Atualmente a companhias aéreas permitem viajar com uma bagagem de até 20Kg ou 23Kg em voo domésticos, isto é, em voos domésticos no Brasil, e duas bagagens com até 32 Kg ou 45 Kg cada, para viagens internacionais de longa distância. Bagagens de mãos, devem possuem o limite entre 5 Kg à 18Kg. De qualquer forma, você precisa confirmar o limite com a companhia aérea, pois as companhias estão trabalhando com pesagem diferenciada conforme o destino, milhagem e aeronaves. Voos pela América do Sul, a cota gira em torno dos 20 à 23Kg o limite total, mas em alguns casos, podem chegar aos 45 Kg, conforme a companhia aérea.

Em casa de ferragens, normalmente encontramos um equipamento muito simples e barato, que permite a medição de peso da bagagem. Se você está carregando muita coisa, convém dar uma conferida no peso da mala antes de ir para o aeroporto, afim de dividir o peso entre elas de forma mais adequada.

Uma boa dica para aqueles que estão sempre ultrapassando os limites permitidos de peso, é chegar sempre muito cedo no aeroporto e ser um dos primeiros a fazer o check-in. Para cada voo, os atendentes de check-in possuem a informação do voo e aeronave, inclusive, a quantidade de quilos já embarcados, e a quantidade de quilos ainda disponíveis para a acomodação de bagagens na aeronave. A cada check-in realizado, este limite vai diminuindo gradativamente. Os últimos a realizarem o check-in, estarão sob a possibilidade de serem penalizados pelo excesso de bagagem, pois os atendentes estarão mais cautelosos com o peso extra das bagagens, para que o limite de segurança da aeronave não seja ultrapassado.

Caso tenha que pagar por um excesso de peso, diga então que irá pagar mas que deseja um comprovante que informe que o excesso de peso foi pago, evitando assim, que o atendente embolse seu dinheiro. já passei por uma situação muito esquisita com uma companhia americana, onde a atendente muito mal educava só queria que eu pagasse e dizia que não daria o comprovante, pois não tinha como emiti-lo. Imaginem vocês que o custo era de US$ 100 por bagagem…  vocês conseguem imaginar um brasileiro soltando uma nota de US$ 100 sem nenhum comprovante ?  sem chance…

Caixas Estanques

Quem sempre leva caixas estanques para câmeras fotográficas ou filmadoras, ou ainda, lanternas de mergulho, não devem carregá-las com suas tampas fechadas. Coloque a tampa na caixa, mas não a feche totalmente, deixando que uma passagem de ar para o interior do compartimento do equipamento em si. Ou então, retire o o-ring principal e feche a tampa traseira.

Ao nível do mar estamos sob a pressão de 1 atmosfera (1 ATM), e a pressão de cabine de um avião, gira em torno dos 0.7 / 0.8 ATM. Sendo assim, a pressão na cabine é inferior a pressão do nível do mar. Quando uma caixa estanque é fechada estando a mesma em um ambiente com 1 ATM, haverá uma expansão do ar no interior do compartimento, havendo uma força atuante de dentro para fora. As caixas estanques são fabricadas para sustentar pressões de fora para dentro. Essa pequena variação pode ser irrisória, mas já houveram casos de pessoas com problemas em equipamentos ou terem alguns o-ring’s danificados. Outras pessoas, transportaram câmeras em caixas estanques fechadas durante o voo, e as caixas apresentaram alagamento em razão dos o-rings ficarem danificados ou fora do posicionamento em relação ao berço.

Os modelos mais novos das caixas Pelicam que guardam equipamentos de mergulho, estão livres deste problema, pois estas, possuem uma válvula de controle de variação pressão, regulando a pressão interna com a externa de forma automatizada.

Ingestão de Líquidos

Durante longos voos, respiramos um ar mais seco e que é renovado por filtros purificadores e umidificadores presentes no avião. A desidratação do organismo é iminente, e a ingestão de líquidos antes e durante o voo, não só contribuirá para a hidratação do nosso organismo, como ajudará na dissolução de nitrogênio residual, caso esteja retornando após alguns dias de mergulho. Neste caso, o viajante deverá ingerir ainda mais líquidos antes dos voos. Apesar dos computadores liberarem o mergulhador para voar após algumas horas, já foram noticiados alguns raros casos de doença descompressiva.

Informações importantes

  • Viajando para o exterior, busque na internet e anote os telefones e endereços de pontos importantes, como centros médicos, restaurantes, embaixada brasileira e outras referências que podem ajudá-lo durante a viagem;
  • Evite comprar passagens de última hora, pois os preços costumam ser bem mais altos, e principalmente, para trecho único internacional. Recentemente um brasileiro foi parado por estar com um SSSS escrito em seu bilhete, e feito pela atendente da companhia aérea. Ao entrar na imigração de saída nos Estados Unidos, ele foi parado e revistado por inteiro. A sigla SSSS (Secundary search at security) é para chamar a atenção da segurança do aeroporto, para um possível passageiro problemático. Na ocasião, além da vistoria, colocaram o rapaz sentado em uma cadeira que incrivelmente faz uma análise de vestígios de drogas ou explosivos. O rapaz foi liberado, pois não havia nada de errado com ele e seu cadastro na Interpol, e o motivo para tanto alarde era justamente a compra de uma passagem de trecho único internacional, adquirida de última hora e feita por uma lan house, dando o entender que poderia ser um fugitivo. Nessa brincadeira, perdeu-se 1h e quase perdeu o voo;
  • Tenha sempre uma caneta em mãos. Antes de desembarcar, seja no Brasil ou no Exterior, você terá que preencher uma declaração de imigração e de bagagem, e nem sempre encontrará uma caneta disponível;
  • O Google Earth e Google Street ajudam muito na hora de escolher hotéis e saber como é a vizinhança do local onde se pretende ficar, e você ainda consegue obter as marcas GPS da localidade, para uma possível plotagem em um GPS ou em um telefone celular com GPS, por exemplo. Isso pode ajudar na hora de voltar para o hotel à noite por exemplo. Com o GPS, saberá em que direção o hotel se encontra;
  • Uma boa referência na busca e reserva de hotéis com preços reduzidos é o site Booking.com, e para uma referência sobre hotéis e cidades, o TripAdvisor, onde milhares de turistas colocam suas observações, dando uma boa orientação para aqueles que pretendem viajar;
  • Realizando uma reserva de hotel pela Internet, aguarde umas 2h e entre em contato com o hotel para confirmar se a reserva consta de fato no sistema deles. Não são raros alguns sites de busca de passagens e reservas de hotéis apresentarem algum tipo de problema no sistema, e a reserva não ser realizada no sistema do hotel.

Conclusão

Espero ter ajudado com essas dicas, pois são importantes para quem pretende viajar.

Se você pretende viajar aos Estados Unidos, entre no site Safe Travel do departamento de transportes dos Estados Unidos, e verifique se existe alguma nova restrição aos viajantes, afim de evitar surpresas desagradáveis durante a viagem.

Se você tem alguma outra dica, entre em contato para que possamos publicá-la aqui e avisar aos demais mergulhadores.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.