Emergence du Ressel – França

Quem gosta de mergulho em caverna, normalmente está sempre buscando novidades e novos locais para a realização de mergulhos em ambientes fechados.

Dordogne é um destino popular entre os mergulhadores especializados em cavernas. Essa região possui diversas cavernas longas e profundas que a cada dia, vão sendo exploradas através da criação e execução de projetos de mapeamentos.

Face as dificuldades na execução de mergulhos nas cavernas brasileiras, muitos mergulhadores de caverna têm viajado com frequência ao exterior e encontrando belíssimos locais, como o Emergence du Ressel, na França, que é uma caverna que desemboca em um rio, ao lado de uma pequena estrada no interior deste país.

O acesso ao local é gratuito, não é necessário apresentar nenhuma certificação de mergulho, bastando os mergulhadores pararem seus veículos no canteiro da estrada, equipar e cair na água. Não há impedimentos ou pessoas administrando o local. Sem dúvida, um sonho para todo o mergulhador de caverna.

Os primeiros mergulhos foram realizados em 1968 pelo grupo espeleo Auvergnate, e posteriormente, o pioneiro mergulhador alemão Jochen Hasenmayer, atingiu um ponto a 1.750m da base em 1981. Tempos depois o mergulhador suíço Olivier Isler em 1990 desceu até os 80m profundidade, alcançando a “ar”, a distância de 1.950m. Após isso, um íngreme declive leva os mergulhadores a uma área de sumps, sendo um total de 5 sumps conhecidos.

Alguns anos atrás mergulhadores chegaram a realizar um mergulho que durou 24 horas, e chegaram até desmoronamento que não permite a continuação do mergulho. Chega-se a conclusão que o fim da caverna está muito além do imaginado.

Mergulho

Por ser uma das cavernas mais frequentadas e conhecidas da Europa, a caverna é bem cabeada, o que facilita a incursão dos mergulhadores certificados ao interior da caverna.

Para acessá-la, deve-se entrar pelo rio e nadar mais ou menos 50 metros, onde é encontrado o cabo de incursão para a caverna, que fica aos 6m de profundidade em média. Neste local, a temperatura média da água gira em torno dos 14ºC, sendo imprescindível a utilização de roupa seca.

Cookies são necessários durante o mergulho e normalmente as carretilhas não são utilizadas.

A visibilidade gira em torno dos 20m, podendo cair para os 4m, em épocas de chuvas intensas.

Algumas vezes os mergulhadores passam por diversos cardumes, dando um show a parte ao mergulho.

Após 9 ou 12 minutos de incursão na caverna (conforme o ritmo dos mergulhadores), chega-se ao primeiro “T” da caverna que está aos 120m da entrada da caverna, onde você poderá escolher se deseja ir pelo túnel fundo ou raso. Esta bifurcação dá acesso a 2 galerias, que se juntam novamente nos 270m do conduto.

Esses dois túneis chegam próximos um do outro, descendo até os 30-35 metros de profundidade.

Dicas

Há um camping em Marcilhac-sur-Célé, cidade mais próxima que fica apenas 5 minutos de carro. No camping você pode alugar uma cabana ou uma barraca, ou ainda, montar a sua própria barraca.

Jantar e almoço podem ser feitos no terreno do camping também. Em Marcilhac-sur-Célé há um pequeno supermercado, restaurante e uma padaria.

Você pode fazer um agradável passeio pela aldeia, conhecendo o histórico da região que é muito interessante.

Evite o período de chuvas, pois a visibilidade reduz bastante.

Durante o verão, o local fica repleto de mergulhadores franceses, alemães, poloneses, holandeses e ingleses. Procure chegar cedo para encontrar uma visibilidade melhor no local.

A localicação GPS é esta: 44° 33,727 N / 1° 46,338 E

Primeiros Socorros

Se você pretende mergulhar neste local, fique atento a todas as situações para um possível socorro, pois o local é desprovido de atendimento para emergências e os telefones celulares não pegam no local. Não existem também telefones públicos, dificultando toda e qualquer chamada em caso de uma emergência.

Conclusão

Existem outras cavernas na região como Trou Madam, La Doux de Coly, Goufree de Cabouy e Fountain de St George, mas isso fica para um próximo artigo.

Heleen Graauw

Nascida na Holanda, é uma mergulhadora técnica conceituada na Europa, mergulhando frequentemente em cavernas com o time Wethorse Productions, que realizam expedições de mergulhos técnicos.

Ela foi a inventora do produto She-P, a primeira Pee-Valve para mulheres.