Equipamentos de Mergulho X Animais

O mergulhador deve ter atenção durante a montagem dos equipamentos - Foto: Clécio Mayrink

Quando realizamos um curso de mergulho, quase nunca se fala sobre um aspecto que deveríamos dar atenção: A possibilidade de animais entrarem nos equipamentos.

Sabemos que os equipamentos produzidos pela indústria de mergulho são muito eficientes e seguros, no entanto, nada é preparado contra pequenos animais.

Equipamentos como snorkel, roupa, botas, luvas, reguladores e máscaras, são excelentes locais para que determinados tipos de animais entrem sem que você tome conhecimento. Aliás, você até tomará conhecimento, mas provavelmente numa hora imprópria.

Estava lendo um relato de um mergulhador inglês onde ele contava que estava usando uma máscara Full Face durante um mergulho técnico, e repentinamente percebeu algo estranho andando no canto visual direito da máscara. Imediatamente ele regressou à superfície, removeu a máscara e descobriu que era uma aranha com tamanho considerável. Pior, havia um ninho no local com pequenas “aranhinhas” pra nascer em breve.

Além do susto, ele poderia ter passado por um acidente.

Nossos equipamentos são um chamariz para esses animais, pois são locais que podem prover proteção para eles, e como normalmente ficam úmidos, são atrativos sem precedentes.

Algum tempo atrás, um conhecido estava em Bonito-MS, e ao pegar suas luvas no dia seguinte após o mergulho, resolveu dar uma olhada. Dentro de uma delas havia uma aranha, que acabou entrando durante a noite sem que ninguém percebesse.

Se procurarmos na internet vamos nos deparar com alguns relatos como esses, então, o mergulhador deve tomar cuidado para evitar esse tipo de coisa.

Devemos lembrar que as embarcações de mergulho são guardadas em marinas, onde frequentemente vemos pequenos animais. Logo, de certa forma, existe o risco de algum deles entrar na embarcação a noite e consequentemente, em nossa mala de mergulho durante a navegação, por exemplo.

Em locais onde o mergulho é realizado em água doce, podem haver escorpiões, e devemos ter cuidado em dobro, pois eles adoram locais úmidos.

Protetor de Octopus

Protegendo os Equipamentos

Ao guardar seus equipamentos em uma bolsa de mergulho, mantenha com o zíper fechado. Isso não é o ideal, pois dependendo do modelo de bolsa, ainda assim, algum inseto pode entrar por pequenas frestas, além do problema da umidade, que poderá provocar o aparecimento de fungos e mau odor.

Se você possuir uma área para aguardá-los sem contato direto com o solo, melhor.

Ao pegar sua roupa de mergulho, bota ou luvas, verifique se o interior está limpo. Bata algumas vezes para ter a certeza de que não há nada no interior.

No caso da máscara de mergulho, procure deixá-la dentro da sua própria caixa plástica, assim, ela estará protegida contra animais e possíveis impactos.

Quanto aos reguladores, você pode colocar o prendedor de Octopus, que irá proteger o bocal e bloqueará a passagem do animal para o interior do segundo estágio.

Conclusão

É certo que sempre estaremos vulneráveis quanto aos pequenos animais, e devemos tomar o cuidado de verificar nossos equipamentos sempre antes de usá-los.

Ao retirar seus equipamentos na hora da montagem, é muito comum as pessoas estarem conversando e distraídas, quando o correto seria estar mais atento ao que está sendo feito. É nesse momento em que devemos verificar se está tudo correto, realizando a montagem e preparação com calma e atenção, afinal de contas, não queremos perder o mergulho e tomar um susto inesperado.

Ao retirar seus equipamentos da bolsa, verifique se a roupa, botas e luvas estão limpas e livres de qualquer objeto estranho. Purgue o regulador algumas vezes e verifique o interior do snorkel para ter a certeza de que está tudo sob controle.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.