Fortaleza: Mergulho e Diversão

Foto: Ruver Bandeira

A cidade de Fortaleza, capital do Ceará, está localizada no litoral Atlântico, que com 34 km de praias, no ano de 2010 foi considerada a capital nordestina mais procurada por viajantes nacionais, segundo um estudo de um importante site no ramo hoteleiro. No Brasil, a capital cearense ocupou a 4ª colocação, ficando atrás das cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

Fortaleza conta com um total de 15 praias, onde destacamos a Praia de Iracema, onde há uma das noites mais agitadas com bares e alguns edifícios históricos, como a Igreja de São Pedro, o Estoril e a Ponte Metálica. Além de galerias de arte e o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, atualmente, o principal espaço cultural da cidade, a cidade conta também com museus, teatros, cinemas, bibliotecas e planetário. Na Praia de Meireles encontra-se a avenida “Beira Mar”, que vai até o Mucuripe. Nela está a principal concentração de hotéis da cidade, sendo o clube Náutico, um marco desta praia, onde ocorrem todos os dias, a feira de artesanato mais conhecida da cidade.

A Volta da Jurema, é o local mais nobre do litoral de Fortaleza. O Mucuripe é famoso por sua comunidade de pescadores e pela composição de Raimundo Fagner, que retrata a jangada e o jangadeiro. Já a Praia do Futuro é uma das mais visitadas pelos turistas, com uma longa extensão ocupada por muitas “barracas”, restaurantes especializados em frutos do mar. Um evento típico de Fortaleza é a caranguejada todas às quintas-feiras.

Mergulhando no mar de Fortaleza

São muitos os pontos de mergulho em Fortaleza, onde a maioria, é destinada aos mergulhadores com experiência avançada em mergulho, em razão da profundidade média de 23m e das correntes existentes, principalmente na superfície. Além disso, o tempo de deslocamento entre o porto e o ponto de mergulho, que dura em média 2hs, motivo que pode deixar alguns mergulhadores um pouco “enjoados”.

Para minimizar essa situação, alguns grupos estão providenciando lanchas mais rápidas que poderão encurtar este tempo para cerca de 40min, provendo maior conforto aos mergulhadores

Principais pontos de mergulho da capital do Ceará

Pedra da Risca do Meio

Com uma profundidade variando de 22 e 29m e situado a 10 milhas do Porto do Mucuripe, é outro ponto também obrigatório de mergulho na capital cearense, onde certamente, é o maior recife na região, considerado como o “coração” do Parque Estadual Marinho no Estado do Ceará.

Foi criado em setembro de 1997 e idealizado pela Fundação Netuno em parceria com o Projeto Netuno, com o intuito de proteger a vida marinha e algumas espécies ameaçadas de extinção, além de promover a atividade do mergulho recreacional no estado do Ceará.

Como a profundidade é alcança os 27m e frequentemente encontramos correntes na superfície, é um mergulho indicado para mergulhadores avançados. Este ponto em si, e um ótimo local para os praticantes de foto subaquática, em razão da riqueza marinha local e a pela boa visibilidade da água durante a maior parte do ano, podendo alcançar os 30m em alguns meses.

Este ponto na verdade refere-se a um grande recife coberto por corais numa extensão com quase 1 km. A riqueza marinha é acentuada, onde podemos encontrar lagostas em grandes quantidades, ciliares enormes e em elevado número, onde já foi observado mais de dez ciliares juntos em um único mergulho. Xiras, mariquitas, tubarões-lixa, arraias, guarajubas, tartarugas enormes, frades e outros mais.

Em março de 2011 foi instalada aos 27m de profundidade uma placa onde cita a criação do Parque Marinho, homenageando também aos dois mergulhadores pioneiros no Estado, que durante anos, lutaram pela criação e preservação do mesmo.

Naufrágio do Titanzinho

Este barco pesqueiro de ferro naufragou em 1986 devido ao mar agitado, em razão das condições de tempo não propícias a navegação no dia, e a má distribuição da carga que estava transportando.

Está localizado aos 18m de profundidade e a aproximadamente 6 Km do Porto do Mucuripe. Com uma hora de barco chega-se até o local, estando relativamente próximo da costa.

Sua visibilidade é bastante instável, dependente diretamente das condições do tempo e do mar, e não ultrapassando os 20m. Este naufrágio ainda está inteiro e têm cerca de 10m de comprimento. É um ponto de mergulho interessante e rico em vida marinha. Alguns peixes de passagem como cavalas, galos e pampos podem ser também vistos no local.

Cabeço do Arrastado

Ponto também obrigatório para quem deseja conhecer as belezas marinhas de Fortaleza, ficando dentro dos limites do Parque Estadual Marinho da Risca do Meio, entre 18 e 23m de profundidade, facilitando os mergulhos para quem não possui um nível avançado em mergulho.

O cabeço é um recife extenso com cerca de 300m de comprimento, porém plano, e com rica diversidade marinha, onde é avistar ciliares (em bom número e tamanho), frades, peixes-borboleta, jaguareças, peixes-escorpião, cardumes de mariquitas, de guarajubas, xiras, pequenas moréias pintadas e outros mais.

Os corais em sua maioria são pétreos e algumas esponjas também são comuns no local, o que tornam uma beleza cênica. Infelizmente, percebemos o problema do branqueamento, fato esse, que nos deixa bastante preocupados.

Cabeço do Balanço

Outro ponto importante do Parque Marinho Cearense, está situado aos 18m de profundidade e cerca de uma hora e meia de barco partindo do Mucuripe. Trata-se de um recife plano e raso com boa visibilidade (cerca de 20m) e muita concentração de vida marinha, que é um prato cheio para os fotógrafos subaquáticos.

É muito comum encontrarmos tubarões-lixa escondidos em suas pequenas cavernas, lagostas, cardumes volumosos de mariquitas, jaguareças, algumas moréias verdes, frades, garoupas, moréias pintadas, peixes-morcego, cirurgiões, tartarugas, arraias, trombetas caçando e os ciliares. Há também, algumas esponjas tubulares e corais principalmente os do tipo pétrius.

Naufrágio Ipesca V

Essa pequena embarcação de pesca com cerca de 12m de comprimento, casco de ferro e madeira, repousa aos 25m de profundidade e foi intencionalmente naufragada por pescadores em 1999, mais ou menos 28 km a oeste do Porto do Mucuripe, ou 2hs de navegação.

A visibilidade alcança o máximo 10m dependendo ainda do período do ano, e a quantidade de suspensão na água é bem elevada, o que impede a captação de boas imagens do naufrágio. Sobre a vida marinha local, é comum serem avistados grandes cardumes de xiras, cocorocas, salemas, enxadas (parus), galos e outros.

Serra Pelada

Considerado um mergulho de nível avançado, refere-se a um antigo container que naufragou na década de 1980, localizado na metade do caminho entre o Parque Estadual Marinho Cearense e o Porto do Mucuripe. Hoje resta muito pouco da antiga estrutura que está parcialmente enterrada, sobrando praticamente só a armação do container, porém, apesar de ser um ponto bem pequeno podemos encontrar alguns cardumes de peixes-galo, lagostas, moréias, arraias e frades. Infelizmente as operadoras de mergulho praticamente não realizam mais operações para este local.

Naufrágio do avião

Este teve origem em um acidente aéreo ocorrido no dia 27 de junho de 1985.

Analisando as características da aeronave (Avião Bandeirantes) no fundo do mar, pode se ter uma idéia da brutalidade do acidente que tirou a vida dos quatro tripulantes (militares) que estavam no mesmo. O pequeno avião estava partido ao meio na altura das asas, separando a cauda do restante da fuselagem. Uma das asas e seu motor, se encontram juntos do corpo do avião. Infelizmente há relatos de mergulhadores que afirmam que a outra asa do avião estaria há mais de 500m de distância dos destroços.

O naufrágio está situado a 18 milhas do Porto do Mucuripe e a 30m de profundidade num banco de areia, exigindo que o mergulhador seja avançado. A visibilidade da água é boa chegando aos 25m. No início do ano de 2010, os Instrutores de mergulho Marcus Davis e Ciro Gauginski foram juntamente comigo e um grupo de mergulhadores ao avião, após vários anos de inatividade de mergulho recreacional neste local especifico. Ao descer para amarrar o cabo ao naufrágio, Marcus Davis teve uma triste constatação: A de que não restava quase nada do avião, e que uma vez foi considerado como um dos melhores pontos de mergulho de Fortaleza.

Constatou-se que foram removidos a asa, o motor, e que o restante da estrutura, fora dinamitado. Ficamos tristes com o fato, mas como já estávamos lá, aproveitamos o pouco do que restava do mesmo, além da rica vida marinha local. Encontramos alguns Ciliares, frades, peixes trombetas, cirurgiões, mas também é comum a passagem de cardumes de enxadas (parus). Antes existia no local, um pequeno jardim de enguias, que neste mergulho em específico não pode ser avistado.

No Ceará existem diversos outros pontos de mergulhos bem interessantes com vários naufrágios, em praias localizadas fora da Capital. Mas isso é assunto para outro artigo.

Dicas

Meses mais propícios para o mergulho – de Janeiro até junho, período com poucos ventos.

Não esquecer: Beber muita água devido ao forte calor e trazer roupas leves e claras, sem esquecer de um chapéu ou boné, óculos escuros e protetor solar.

Ruver Bandeira

Natural de Fortaleza-CE, é graduado em Geografia, Especialista em Educação, Gestão Escolar, e já participou como facilitador de cursos em educação ambiental.

Além de fotógrafo subaquático, é Rescue Dive pela PADI, e iniciou sua paixão pelo mergulho e fotografia no ano de 1998, após uma viagem realizada ao arquipélago de Fernando de Noronha.

Já escreveu diversos artigos para publicações especializadas em mergulho, registrando suas viagens com o objetivo de mostrar as belezas naturais como a importância da preservação.