Regras de ouro para uma penetração segura em naufrágios

Foto: Clécio Mayrink

1 – Trabalhem em equipe. Contem com mergulhadores qualificados e treinados em mergulho em naufrágios.

2- Façam uma detalhada pesquisa, coletando através de diferentes fontes e, sempre que possível, o maior número de informações a respeito, tais como motivo do afundamento, posição do navio no fundo, condições atuais do naufrágio…

3 – Tenham a certeza de que a carga, se eventualmente ainda não resgatada, não ofereça risco aos mergulhadores, como por exemplo no caso de produtos químicos perigosos ou material bélico.

4 – Identifiquem a localização do naufrágio e extraiam posições precisas nas cartas náuticas de detalhe da região e no GPS.

5 – Informem-se com outros mergulhadores e pescadores da região a respeito das condições ambientais (profundidade, temperatura da água, correntes predominantes, visibilidade, tipo de fundo, ventos, marés…)

6 – Respeitem o nível de penetração de acordo com o nível de habilidades e treinamento de cada mergulhador.

7 – Configurem os equipamentos minimizando risco de enrosco e de arrasto e escolham a mistura respiratória ideal de acordo com o nível de penetração eleito.

8 – Adaptem suas mangueiras para medidas específicas e sempre protejam as mesmas.

9 – Usem swivel de primeiro e segundo estágios aumentando a proteção da mangueira.

10 – Usem mangueira longa nas penetrações.

11 – Usem conexões DIN.

12 – Usem duas facas.

13 – Usem pelo menos duas lanternas principais e uma reserva.

14 – Sempre que possível, utilizem down-line (cabo entre seu barco e o naufrágio).

15 – Utilizem John Line para descompressão e/ou parada de segurança no Down Line.

16 – Explorem sempre em primeiro lugar o naufrágio externamente para identificar com exatidão pontos de luz e pontos de penetração.

17 – Mapeiem o exterior do naufrágio antes de penetrarem.

18 – Dêem atenção especial à classificação estrutural, à estabilidade da seção a ser penetrada bem como sua atual arquitetura.

19 – Aperfeiçoem constantemente o equilíbrio hidrostático.

20 – Usem sempre uma segunda fivela no cinto de lastro.

21 – Dominem as técnicas de carretilha com proficiência.

22 – Jamais deixem o cabo guia no interior do naufrágio após uma penetração.

23 – Respeitem sempre a Regra dos Terços.

24 – Dominem a utilização dos sinais manuais indicativos de possíveis problemas durante o mergulho bem como os utilizados para coordenar a carretilha.

25 – Minimizem o risco de SILT dentro do naufrágio alterando o batimento de perna fazendo uso da batida de meio ciclo.

26 – Deixem misturas descompressivas, se for o caso, junto ao ponto de penetração ou por onde vocês pretendam sair.

27 – Pratiquem parada de descompressão no pára-quedas ou no Deco Mark.

28 – Mantenham aptidão física compatível com as exigências da atividade.

29 – Mantenham exame médico e imunizações em dia.

30 – Respeitem a zona de conforto de cada mergulhador.

31 – Dominem o uso de tabelas e computadores, bem como as técnicas de paradas de segurança e de descompressão.

32 – Tenham sempre disponível um kit de Primeiros Socorros e O2.

33 – Frente a uma emergência, a máxima: Pare, Pense, Aja.

34 – A sua segurança depende exclusivamente da sua atitude e experiência. Seja profilático e não se submeta a riscos desnecessários.

35 – Planeje muito seu mergulho e mergulhe com o seu plano.

36 – Evite equipamentos desnecessários: Se você não precisa, não leve. (Bill Main)

37 – Não faça mergulhos profundos com ar comprimido.

38 – Façam treinamento técnico se vocês pretendem ultrapassar limites descompressivos.

39 – Calculem seu consumo de ar na profundidade com ampla margem de segurança.

40 – Tomem cuidado especial com a fauna e flora marinha.

41 – Tenham um plano de emergência adaptado a região.

42 – Lembrem-se, por fim, dos detalhes: eles são essenciais e fazem a diferença.

Clecio Mayrink

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount).

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou como consultor para a ONU, UNESCO, Segurança Pública, além de diversos órgãos públicos no Brasil.