Regulador – Porque devo comprá-lo ?

Quem nunca saiu para mergulhar e acabou percebendo que o regulador alugado em uma determinada operadora, estava com o bocal mastigado ou com vazamentos nas conexões da mangueira ?

Ou ainda pior, quando não há o botão de purga ou um dos o-ring’s está se desfazendo…

Enfim, existem algumas chances de encontrar um equipamento de aluguel em estado bem desagradável, e normalmente só descobrimos isso aos 45 minutos do segundo tempo. Literalmente em cima da hora.

Lembro de uma ocasião, onde acabei tendo que pegar um regulador alugado para um stage, e ao utilizá-lo, durante a inspiração vinha gás e água ao mesmo tempo… o diafragma de saída de ar estava velho, e como não fora não substituído, permitia durante que a água do mar penetrasse no regulador durante a inspiração.

Resumindo, Regulador = Vida

Economizar no item mais importante dos equipamentos de mergulho, é restringir a comodidade, tranquilidade e sossego durante os mergulhos. Mergulhamos para curtir as belezas naturais em meio à tranquilidade. Precisamos respirar bem para aproveitar os poucos minutos que passamos embaixo d’água.

E vamos economizar justamente nisso ?

Felizmente os equipamentos de mergulho são extremamente confiáveis e raramente apresentam algum tipo de falha no sistema durante a imersão, e em função disso, muitos mergulhadores se sentem à vontade para não ter seu próprio regulador, preferindo alugar os mesmos nas saídas de mergulho.

Se você mergulha acima de cinco vezes ao ano, talvez seja a hora de ponderar esse custo.

Leve em consideração os seguintes pontos:

Confiabilidade

Confiar em seu equipamento é primordial. Além disso, ter um regulador, é saber o quanto ele foi utilizado e se está em condições de uso. Quando o equipamento é seu, você tem em mãos, o histórico do equipamento.

Higiene

Tem coisa pior do que ter que usar um regulador usado ?   Imagine quantas pessoas já utilizaram o equipamento. Higiene é pessoal…

Manutenção

Regulador não dá problema, desde que ele esteja com a manutenção em dia. Hoje, existem dezenas de centros técnicos à disposição dos mergulhadores, para realizar a inspeção e manutenção necessária nos equipamentos, não levando muito tempo para devolvê-lo com o serviço realizado. Basta deixá-lo na operadora e buscá-lo na data confirmada. Isso dá trabalho ?   Claro que não…

Durabilidade

Regulador bem tratado é sinônimo de equipamento durável. Conheço gente que mergulha com reguladores adquiridos a mais de 10 ou até 20 anos. São alguns cotonetes (cabeças brancas) do mergulho que conheço. É lógico que não é o ideal, pois os equipamentos passam por um processo de avanço tecnológico rápido, e grandes melhorias na performance, tamanho e leveza são trazidos a cada ano, o que não deixam de ser uma prova da qualidade empregada nos equipamentos.

Regulador bem tratado e com manutenção em dia, é melhor do que garantia de fábrica.

Custo baixo

Se você acredita que o custo de um regulador é alto, para e reveja seus conceitos.

Imagine que um regulador custe R$ 1.000. No Brasil, encontramos a facilidade de pagamento em parcelas, o que não acontece na maioria dos países. Normalmente possuem 1 (um) ano de garantia. Se resta dúvida, pare e refaça as contas.

Hoje em dia, uma simples pizza ou um chopp com os amigos, não sai por menos de R$ 50. Uma saída no Rio de Janeiro, gira em torno dos R$ 140. Em São Paulo, acima de R$ 200.

E vamos economizar logo no que mais precisamos para respirar embaixo d’água ?

Se você possui um regulador de qualidade, você:

  • Irá respirar melhor, face à performance do produto adquirido e quantidade de vezes que o mesmo foi utilizado;
  • Saberá que a manutenção está em dia;
  • Saberá que o equipamento estará higienicamente limpo;
  • Não encontrará bocal mastigado;
  • Possíveis outros problemas não mencionados aqui…

Além de tudo isso, ainda não vêm aquele “cara” lhe cobrando os R$ 20 de aluguel de equipamentos, ao final da operação de mergulho.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.