Um “naufrágio” que caiu dos céus

Era primeiro de dezembro de 1944, o aspirante Armando Tróia, (atualmente Brigadeiro reformado) havia decolado da Base Aérea de Santa Cruz (região sul da cidade do Rio de Janeiro) em um avião Vultee Vengeance (A-31) da Força Aérea Brasileira.

A aeronave era usada na tática de instrução avançada e empregada como patrulha, devido ao seu porte e peso.

Aviao-A-31bSendo um monoplano de asa média, chegava atingir 7.000m e alcançava 3.700Km de distância, chegando a velocidade de 450Km/h.

Na época, era equipado com duas metralhadoras Browing .50 no cockpit traseiro e levava até 907Kg em cargas de profundidade, o que a colocava na posição de bombardeiro.

Logo após a decolagem, por volta das 16:15h, repentinamente o motor apresentou problemas mecânicos, fazendo com que a aeronave viesse a cair na Baía de Sepetiba, num pouso forçado.

O piloto não teve ferimentos e ficou em cima da aeronave até o momento em que ela afundou totalmente.

Percebendo que a distância não era tão grande até a praia, Armando Tróia, que era um exímio nadador na época, nadou até lá e correu 3Km até a base militar.

Quarenta e três após o acidente (1987), a pedido do Diretor Geral de Ensino da Aeronáutica na época, o Tenente Brigadeiro Nunes, solicitou ao diretor do Museu Aeroespacial do Rio de Janeiro, para que houvesse a tentativa de resgate do que restou do avião, e com isso, o Brigadeiro Armando Tróia foi chamado para tentar indicar o local provável do afundamento do avião que pilotava.

Aviao-A-31aTempos depois, o Brigadeiro indicou o local e após três semanas de intensas buscas, o avião acabou sendo localizado.

A aeronave estava aos 6m de profundidade, numa água com baixíssima visibilidade e fundo lodoso.

Infelizmente durante o levantamento, o avião se partiu para a tristeza de todos.

Na época, apenas o motor foi retirado intacto da Baía de Sepetiba pelo Grupamento de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros, levando o motor e o que restou para a base aérea.

Atualmente o motor pode ser visto no Museu Aeroespacial e acabou se tornando parte da nossa história militar.

O museu com entrada e estacionamento gratuitos, está localizado no endereço abaixo, sendo um ótimo local para visitação de todos

Av. Marechal Fontenele, 2000 – Campo dos Afonsos, Rio de Janeiro – RJ

Colaboração: Carlos Mayrink

Aviao-A-31c

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.