Você está atento ao ar que respira em seus mergulhos ?

Muitas vezes a qualidade das estações de recarga são péssimas.

As consequências são devastadoras, principalmente para a saúde, e não poupa os cilindros, reguladores e manômetros.

Os usuários podem detectar o mau cheiro do ar abrindo o cilindro e se posicionando em frente da saída de ar, ou ainda, colocar na saída do ar, um pano branco para observar se ele retém partículas de impurezas ou fica escurecido com óleo ou água. Ar respirável precisa ser muito limpo como a água potável. Cilindros contendo óleo, água no fundo e gravemente oxidados, muitas vezes são usados em diversos locais do país, e a falta do adesivo da inspeção visual assinada por um técnico formado pode ser notada rapidamente.

Um problema comum, é confundir “Teste Hidrostático” com “Inspeção Visual”.

Se você paga somente o valor para um Teste Hidrostático e não lhe cobram a Inspeção Visual, é porque simplesmente ela não foi feita. A má qualidade do ar danifica mais o seu equipamento de mergulho do que a água salgada.

A qualidade do ar disponibilizado em muitos países desenvolvidos, é garantida por lei, e existem normas por exemplo, a EM 12021 e a antiga EN3188. Como infelizmente não existem normas no Brasil relacionadas à Inspeção Visual de Cilindros ou fiscalização da qualidade do ar oferecida aos mergulhadores, é necessário que estes tenham um mínimo de conhecimento, para usarem seus equipamentos, utilizando fontes confiáveis na recarga de cilindros de mergulho.

Principais aspectos que levam um mergulhador a não respirar um “ar” puro e suas consequências:

Compressor de Recarga de Cilindros de Mergulho

Os compressores de “ar respirável” são construídos com 3 ou 4 estágios, onde cada estágio possui um cilindro e um pistão que comprimem o ar. Esse sistema é lubrificado com óleo, o êmbolo dos pistões é provido de anéis de segmento, iguais ao do motor do seu carro, que dentro do possível, têm a função de impedir que o óleo passe para a cabeça do pistão.

Os estágios do compressor são ligados em série, pois dessa forma, o ar que passa por eles, sofre diferenças de pressão e temperatura. Para manter a temperatura dentro de valores toleráveis pelos materiais, o ar passa de um estágio para o outro ao longo de uma serpentina arrefecida, através de um ventilador ligado ao eixo do compressor. O arrefecimento condensa a umidade contida no ar que se mistura ao vapor de óleo. Os dois produtos misturados formam uma emulsão, que é purgada para fora através de válvulas específicas e alguns drenos, que fazem com que grande parte desse material condensado, seja eliminado, permitindo a passagem do ar de um estágio para o outro.

Os passos seguintes entre os outros estágios, vão eliminar parte dos resíduos fazendo com que o ar que sai do último estágio, esteja pronto, seco e filtrado através de um filtro especial.

Recarga1Filtragem

O cartucho de filtragem é composto basicamente de 3 elementos. Um retira a umidade, o outro retém minúsculas partículas e o terceiro, purifica o ar através de vapores de hidrocarbonetos e substâncias ácidas e poluentes de natureza orgânica, como os microrganismos. Para assegurar essa qualidade do ar, é necessário usar cartuchos prescritos pelo fabricante e mantidos à vácuo.

É importante respeitar as especificações do fabricante do compressor, no que diz respeito a indicações presentes nos cartuchos de filtragens. Alguns testes realizados com frequência em sistemas de recargas de cilindros, têm demonstrado que os produtos contidos nos cartuchos não são apropriados, ou por erro de especificação, ou por perda do vácuo do cartucho.

Uma estação de recarga que investiu em um compressor confiável e usa filtragens originais está mais comprometida com qualidade de ar. Já as estações de recarga que utilizam as “recartuchagens” próprias, isto é, reaproveitam os cartuchos originais com produtos de outras empresas, utilizam um carvão ativo para uso em água, e não em “ar e secante”,  atuando de forma incorreta.

Recarga2Acessórios fundamentais para uma boa qualidade do ar

O condensador ou separador de água e óleo, é um sistema de refrigeração que arrefece a saída do ar do compressor. O ar comprimido é arrefecido pelas linhas que conduzem o ar através dos estágios, através pela ventoinha do compressor, e apesar disso, a temperatura que o ar adquire é extremamente alta, daí, a importância em se ter uma excelente ventilação para que as condensações das partículas façam com que toda a impureza existente, saia pelos drenos antes de alcançar a filtragem. Existem separadores que utilizam sistemas de peneira sintetizada e outros por borrifamento.

Também foi observado em algumas recargas, a inexistência de separadores, e sem eles, todo o óleo e água, acabam indo direto para o cartucho saturando, causando imediatamente sérios riscos à saúde.

A duração de um cartucho de filtragem dependerá da temperatura de saída do ar no último estágio. Um filtro que normalmente tem a duração de 33 horas de vida, quando a temperatura local gira entre 20 e 35ºC, pode durar apenas 10 horas. Se o ar é for arrefecido, a duração do filtro aumenta até 6 vezes mais e em até 10 vezes mais em um clima tropical. Além do fator econômico a qualidade do ar também poderá ser notada.

Saber identificar a qualidade do ar que você consome é fundamental, e quando fizer manutenção do regulador, não deixe de pedir as peças substituídas ao técnico responsável pela manutenção, e examine principalmente o filtro do regulador. O filtro não pode sair sujo, porque o ar que você respira deve ser seco e isento de impurezas.

Recarga6Consequências para a saúde

Intoxicação aguda – Dores de cabeça durante ou após o mergulho.

Pneumonia – O mergulhador não só respira ar com cheiro ruim. Ele respira vapor de óleo, oxido de alumínio e outras substâncias nocivas ao pulmão. O óleo lubrificante quando inalado, pode induzir a reação de um “corpo estranho”, podendo ocasionar uma fibrose do pulmão.

Câncer – Se o óleo lubrificante no carregamento do cilindro estiver sob grandes temperaturas, poderá ser alterado, potencializando o seu grau tóxico e perigoso para a saúde do mergulhador, podendo além da pneumonia, provocar no futuro, um câncer no pulmão.

Conclusão

Respirar um “ar” de alta pureza, é mais do que essencial ao ser humano. Ao enviar seus equipamentos de mergulho para a manutenção, não adquira um serviço de qualidade e não se preocupe apenas com o custo. Lembre-se que a sua vida depende do bom funcionamento de todo o sistema embaixo d´água e que você não pode ficar contanto com uma segunda chance.

Infelizmente sabemos que empresas que não estão seguindo um padrão de qualidade mínimo, e devemos estar atentos.

Miguel Lopes
Instrutor de mergulho CMAS nº 77 desde 1990, trabalhando no mercado de mergulho há mais de 20 anos, sendo Master Technician Aqualung. Reconhecido em todo o Brasil devido ao seu grande conhecimento técnico em equipamentos de mergulho, é um dos raros inspetores formados e certificados pela Professional Scuba Inspectors (PSI) no país.