Aymoré

Data: 27/07/1920

GPS: 23º 51,535′ S / 45º 25,856′ W

Localização: Ilhabela – Ponta do Ribeirão do lado da Praia do Curral, a 50m da costa, com águas calmas e abrigadas.

Profundidade (m): 4 – 18

Visibilidade (m): 2 – 6

Motivo: Mau tempo

Estado: Desmantelado

Carga: Munição, malas postais e passageiros

Tipo: Cargueiro à vapor

Nacionalidade: Inglaterra

Dimensões (m): 60.7 / 8.5 / 3.6

Deslocamento (t)

Armador: Loyd Brasileiro em 1890

Estaleiro: Armstrong Mitchell & Co.

Propulsão

Fabricação: 1883

Notas: Na última viajem (Montevidéu – Rio de Janeiro – 07/1920), teve problemas em seu leme, fez uma parada para reparos em Santos no dia 17/07/1920, ficando até o dia 21, onde seguiu para o seu destino.

No dia seguinte com uma chuva e ventos fortes, o navio aproximou-se da entrada Sul do canal de São Sebastião e encontrou fortes correntes que o arrastaram para os costões da ilha, batendo contra a Pedra do Ribeirão, sofrendo sérias avarias na proa e começou a afundar lentamente. Rapidamente todos a bordo conseguiram sair, mais toda a carga foi perdida.

O naufrágio encontra-se paralelo ao costão com sua proa a menos de 1m do píer.

É possível avistar um guincho, parte das correntes, algumas ferragens da proa e diversos turcos. Próximas ao guincho, estão visíveis partes do cavername e do casco e dois cabeços de amarração.

Aproximadamente a 15m de distância da proa, posicionada no centro dos destroços, está a grande caldeira, onde existem dois condensadores menores e outras peças do sistema de vapor. Há indícios de outra caldeira, que provavelmente teria explodido.

Seguindo em direção da popa, podemos notar partes dos costados de bombordo e boreste com respectivos cavernames em alinhamento, e ao centro está a máquina propulsora, com virabrequins, pistões, camisas ainda conectadas ao eixo, que segue ainda apoiado sobre seus mancais no sentido da popa. Ao longo dele existem muitas partes enterradas e descobertas.

O eixo penetra no casco, ainda inteiro da popa, que mantém sua integridade. O encaixe do leme permanece em sua posição original, enquanto o leme está caído a bombordo. O hélice permanece no local, porém suas pás foram cortadas.

Veja também: