Você já ouvi falar em docking station ?   E o que isso tem haver com mergulho ?

A resposta é: depende.

Se você fotografa ou grava alguns vídeos durante as viagens de mergulho, o assunto tem tudo haver.

No passado era comum levarmos um notebook para as viagens, para que fosse possível baixar as imagens, tratá-las e até publicá-las nas redes sociais, contudo, com os problemas cada vez mais frequentes com bagagens despachadas, os mergulhadores acabaram tendo que se adaptar e levar cada vez menos itens em suas viagens, e isso inclui o notebook.

Como alternativa surgiu numa época remota, o Netbook, que era um notebook com pequenas dimensões e com processamento inferior. Quebrava um gralho, mas ainda era um pouco complicado transportá-lo. Posteriormente vieram os tablet´s, e agora, os telefones celulares.

Algum tempo atrás escrevi um artigo sobre a possibilidade na realização de backups diretamente no telefone celular, usando apenas um adaptador de cartões de memória e um cabo OTG, mas agora, a coisa vai além, pois alguns celulares se transformam numa verdadeira estação de trabalho, permitindo não só baixar as imagens, como tratá-las e usá-los como um computador de mesa, quando utilizado com uma base interface denominada Docking Station.

Docking station Baseus Foto: Divulgação

Docking Station da Baseus

Quando vi o anúncio, tratei logo buscar por informações e alguns reviews, e acreditando no produto, comprei o meu docking station.

Ele nada mais é do que uma base interface pesando algumas poucas gramas, onde encaixamos apenas o celular em um conector e o transforma em um computador de mesa. Essa base além de recarregar o celular, possui algumas saídas para cartões de memória, além de entrada USB e HDMI, permitindo a integração com teclado, mouse e um monitor ou TV.

Resumindo, você tem um celular com teclado, mouse e leitor de cartões, com saída de vídeo para um monitor ou TV, e se estiver viajando, basta usar a TV do quarto do hotel para transformá-la em um monitor de computador.

Meu celular é um Samsung da linha Galaxy, e a própria Samsung possui um docking station com preço mais salgado, algo em torno dos 80/100 dólares, mas descobri um docking station de uma marca famosa no continente asiático e que começou a ficar famoso por aqui também, e chama-se Baseus.

Paguei o equivalente à U$ 22 em uma unidade no eBay (R$ 160 no Mercado Livre), e na ocasião, também adquiri um teclado Bluetooth ao custo de U$ 8, e após 40/50 dias aproximadamente, eles chegaram via Correios.

Foto: Clécio Mayrink

Testando

Com a base em mãos, conectei o cabo USB no carregador de celular, cabo HDMI na TV e encaixei o celular na base. Com a TV ligada, selecionei a opção de HDMI do celular e pronto, lá estava a imagem do celular no padrão 16:9 na tela.

Realmente tinha em mãos, uma estação de trabalho, pois é como se você estivesse vendo uma tela do Windows à sua frente.

Com o receptor USB do mouse sem fio conectado na docking station, facilmente você aciona os ícones da tela com a setinha do mouse e consegue trabalhar como num computador tradicional de mesa.

Usando o gerenciador de arquivos, você pode movê-los para qualquer local como num drive. É possível inserir modelos diferentes de cartão de memória na própria base, ficando tudo mais fácil.

Você não só consegue realizar os backups, como pode editar as imagens, usar o navegador, as redes sociais e tudo (ou quase tudo) que faria em um desktop tradicional, e levando em conta as dimensões, leveza dessa base e dos acessórios, é possível transportá-los com tranquilidade e facilidade em uma viagem com bagagem reduzida.

AnyCast M9

Itens Adicionais

Além da docking station, usei alguns itens adicionais como o teclado Bluetooth e um mouse sem fio.

É interessante adquirir um cabo HDMI mais longo, pois levando em consideração que nem sempre a TV do quarto do hotel possa estar próxima de alguma mesa ou cama, você poderá ter problemas usando um cabo HDMI curto. É possível comprar um cabo HDMI com comprimento maior em lojas de eletrônica. Em São Paulo, na Santa Efigênia você acha com facilidade.

Pensando numa possibilidade mais além, adquiri um acessório denominado AnyCast M9, também vendido no eBay ao custo médio de uns U$ 8. Ele é o concorrente “pobre” do Google ChromeCast, e quando plugado na TV, ela poderá receber via WiFi ou Bluetooth, o sinal de vídeo do celular, sendo desnecessário o cabo HDMI.

Nas vezes em que utilizei, funcionou bem e o celular transmitia a tela para a TV, mas configurá-lo não foi tão simples e em algumas ocasiões, enfrentei dificuldades para conectá-lo por causa de interferências. Ele é bom no sentido de eliminar o cabo HDMI, mas complicado quando resolve não conectar.

É fato que os chineses estão melhorando muito seus produtos, mas ainda perdem no quesito usabilidade.

Docking Station Baseus – Foto: Divulgação

Conclusões

Quem capta imagens durante as viagens de mergulho, ter uma docking station dessas é interessante e prática, pois como levamos muita quantidade de equipamentos, deixar de levar um notebook e levar no lugar um acessório que pesa algumas poucas gramas, certamente vai facilitar a vida do mergulhador. O custo é baixo e a praticidade excelente, além de você encontrar a docking station para Android e iOS.

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986, participando da primeira turma de Dive Master da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho e fotografia / vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência quando o assunto é mergulho e naufrágios para a mídia e órgãos públicos no país, e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO.