Para a tribo do mergulho, Belize entrou no mapa após a apresentação do “The Great Blue Hole” pelo famoso oceanógrafo Jacques Cousteau ainda na década de 70. De lá para cá, as cidades mais próximas à atração começaram a se desenvolver e trazendo anualmente novos turistas para a região, sendo a cidade de San Pablo a mais movimentada para o turismo de mergulho.

Porém, desconhecida pela grande maioria dos brasileiros, Belize também tem locais interessantes para o mergulho na região sul do país. Conhecida como Gladden Spit, esse ponto tem sido aos poucos procurados por aventureiros em busca de surpresas em mergulhos imprevisíveis no azul.

Voltando um pouco ao bê-á-bá para quem não sabe onde fica exatamente Belize, é um pequeno país na América Central que faz fronteira ao norte com o México e a oeste com a Guatemala. Independente da Inglaterra a poucas décadas (1981), Belize é o único país na América Central cuja língua oficial é o inglês, mas o espanhol e o crioulo são bastante utilizados dependendo da região e aceitos como línguas regionais. Apesar de independente, Belize ainda é integrante da Comunidade das Nações sob o reinado da Inglaterra.

Ao longo de sua costa, Belize possui diversas ilhas que são muito procuradas por turistas pelas suas praias e mergulhadores pelos paredões de recifes e corais. Ao Norte, fica o local mais badalado e procurado pelos mergulhadores, como a já citada cidade de San Pedro, a segunda maior de Belize e destino principal. Mais próximo à cidade de Belize temos o atol de Turneffe, um ótimo local para mergulhos, e ao sul, a cidade de Placencia (ponto principal para os mergulhos em Gladden Spit).

Gladden Spit

Gladden Spit and Silk Cayes é um parque marinho a cerca de 1:20h de navegação de Placencia. Este parque possui alguns sites de mergulhos com corais bem preservados e uma boa diversidade de vida marinha. A grande atração, porém, são os mergulhos no azul depois dos paredões, mas estes mergulhos são feitos apenas em épocas determinadas. Entre os meses de março e junho (melhor abril e maio), nos dias próximos à lua cheia, uma diversidade de espécies de peixes se juntam para o acasalamento. Essa agregação de cardumes de peixes de diversas espécies atrai grandes predadores, sendo a atração principal, o encontro com os tubarões baleia. (Que no meu caso, infelizmente não tive a felicidade de encontrá-los).

A data exata é uma incógnita. Procurando informações em diversos sites, cada operadora tem o seu segredo e data mágica. Uns dizem ser 2 dias antes da lua cheia e os 3 seguintes, outros dizem 5 dias após a lua cheia, etc. O plano é reservar alguns dias próximo à lua cheia e dar a sorte de encontrar com eles em algum mergulho. Logicamente a grande maioria vai a Gladden Spit à procura das baleias, mas mesmo sem avistá-las, a possibilidade de encontro com outras tantas espécies oceânicas também existe. No meu caso, fiz 6 mergulhos por lá. Mergulhei com tartarugas, cardumes de xaréu, tubarões, duas espécies de golfinhos, além de raias, e até um peixe boi durante o intervalo de superfície. Porém, em um dos mergulhos, vi apenas 2 peixes!

Passei praticamente 50 minutos vendo apenas água…

Foto: Arley Eishima

Cuidados e Recomendações

Mergulhar no azul, deixar a correnteza te levar, pode ser um mergulho bem tranquilo. Porém a falta de referência pode fazer um mergulhador com pouca experiência facilmente extrapolar os seus limites, descendo mais do que deveria ou causar um certo desconforto por estar literalmente no meio do nada. Ouvir atentamente ao briefing, obedecer às orientações do dive master como nunca ficar abaixo dele, são regras básicas para um mergulho seguro e com menos stress.

O mergulho no azul como o nome sugere é em mar aberto. Neste ambiente, o barco está mais exposto às ondulações do mar na superfície, o que pode tornar a vida dos mergulhadores que sofrem de enjoo um pouco mais complicada. Além disso, esse tipo de mergulho não é feito chegando-se a um local determinado e caindo na água de forma tranquila. A embarcação sai da área abrigada do parque e o capitão segue alguns indicativos onde seria um local mais provável de se encontrar as baleias. Isso pode ser rápido ou levar

Foto: Arley Eishima

algum tempo. Pode fazer o barco parar e seguir algumas vezes e isso gera uma certa ansiedade. Ao definir o ponto de entrada na água, é requerido que todos os mergulhadores estejam prontos para descer para que o grupo não fique disperso, então disciplina e agilidade são importantes para um mergulho deste tipo.

Intervalo de Superfície

Não há muito o que fazer no lado sul de Belize. A cidade é bem tranquila tendo alguns restaurantes, bares e sorveteria no centro da cidade.

Para os amantes do ecoturismo, existem passeios por algumas ruínas maias e cavernas alagadas da região. Um passeio bastante divertido são as tirolesas (Zipline) que podem chegar a velocidades consideráveis dependendo de sua coragem e afinidade com o equipamento. Fora isso, atividade ligados ao mar como velejar ou stand-up são opções possíveis.

Dicas

Indo para Placencia, ou optando por ficar em uma ilha, seja norte ou sul, provavelmente irá ter que pegar um voo interno ou um transfer de barco. Esses transfers e voos internos são feitos em barcos / aviões pequenos que tem / impõe limite para bagagem e dessa forma é recomendado que não leve uma mala muito grande. Apesar disso, mesmo com as restrições de tamanho e peso que as companhias notificam, não é feito nenhuma checagem quanto a excesso, mesmo no meu caso que estava nitidamente com excesso não foi cobrado nenhum adicional.

É bom estar preparado financeiramente para os gastos no país. Apesar de ser um país pequeno, subdesenvolvido, com várias limitações em sua infraestrutura, Belize é um país muito caro. Gasta-se muito para produtos e serviços que de longe chegam a altura do valor cobrado. Caro para comer, para beber, fazer um passeio, mesmo o supermercado local onde os moradores frequentam é caro.

Segundo um dos gerentes do hotel que fiquei, esse custo maior é em função de Belize ser ainda um país de custo alto com baixa demanda de turistas. O fato positivo nisso tudo é que um serviço caro que não atrai muitos turistas talvez gere menos impacto ecológico. Culpa nossa ou não, a minha percepção foi de que no lado Atlântico, Belize é de longe o pais com os corais mais preservados e bonitos de se ver. O que não se justifica pagar numa garrafa de água ou uma isca de peixe, vale cada centavo para apreciar os belos recifes de corais que vi por lá.

Curioso é que apesar da influência inglesa no pais, como por exemplo a face da rainha Elizabeth II em sua moeda, o dólar de Belize segue uma paridade com o dólar americano de 2 para 1, a tomada segue o padrão americano, assim como a direção não seguiu a mão inglesa.

Foto: Arley Eishima

Por:

Arley Eishima

Engenheiro e mergulhador avançado pela PADI desde 2001 com especializações em Nitrox e Biologia Marinha.

Já mergulhou em diversos pontos no Brasil e no exterior.

Costuma conciliar 3 dos seus maiores hobbys em uma só atividade no mergulho: Mergulhar, fotografar e identificar os seres em seu catálogo pessoal de biologia marinha.