Muitos mergulhadores sempre sonham em mergulhar algum dia com cilindros de carbono, e isso virou uma realidade, pelo menos no exterior.

Atualmente a empresa Worthington, dos Estados Unidos, está produzindo e comercializando alguns cilindros de carbono para mergulho, e alguns centros de mergulho da Europa já utilizam estes cilindros normalmente em suas operações comerciais.

Alumínio X Carbono – Foto: László Mocsári

As principais vantagens dos cilindros de carbono são:

  • Cilindros mais leves em comparação aos cilindros de alumínio;
  • O mergulhador necessita apenas 1 ou 2Kg de lastro para afundar;
  • Podem ser usados com oxigênio 100%;
  • Pressão de ruptura: 851 BAR contra 430 BAR em cilindros de alumínio;
  • Suportam pressões maiores (300 BAR), chegando a ter 56% mais que o cilindro convencional.

A desvantagem é o preço, pois o custo médio é duas vezes mais que o cilindro tradicional, contudo, essa diferença deve diminuir com o tempo.

Conhecendo de perto

Nosso colaborador László Mocsári esteve na França e pôde conhecer de perto os cilindros de carbono em um grande centro de mergulho local.

O uso destes cilindros já é uma normalidade por lá, e outro aspecto que chamou nossa atenção, são os diferenciais no processo de recarga de alguns grandes centros de mergulho, como a recarga com misturas de gases de forma automatizada.

O processo é feito por um computador que realiza todo o gerenciamento dos gases, sem a intervenção do operador, tendo como grande vantagem, a precisão na mistura final e por não haver a possibilidade de erros.

Outro aspecto notado, é a adoção de uma rosca diferenciada DIN em reguladores para oxigênio 100%, o que aumenta a segurança do mergulhador.

Mais informações sobre os cilindros no site da Worthington

Para ver os cilindros prontos e montados, acesse o site carbondive.com

Colaboração: László Mocsari

Recarga automatizada – Foto: László Mocsári

Por:

Redação

Se você possui algum conteúdo relacionado ao mergulho e acha que pode ser interessante dividir com outros mergulhadores ?

Clique aqui para entrar em contato conosco e enviar o conteúdo a principal revista eletrônica sobre mergulho do Brasil.