Recentemente vi duas escolas de mergulho oferecendo cursos com preços baixíssimos em relação aos valores praticados pelo mercado, e fiquei pensando como essas “escolas” conseguem se mantém no mercado.

Obviamente os profissionais (ou não) que trabalham com o mergulho, precisam ter algum lucro para o seu sustento no mercado, e se o lucro é baixo, certamente o primeiro quesito que cai é a qualidade do curso, e o resultado disso, é o que temos presenciado nas operações de mergulho… Pessoas despreparadas e, muitas vezes, sem as mínimas condições de mergulhar.

O problema chega ao ponto preocupante e muitas vezes, chega a dar a impressão que algumas certificadoras não estão preocupadas com a qualidade mantida por essas “escolas”. Me refiro a uma posição mais rígida e firme, tomando ações de investigação e/ou expulsão dos envolvidos quando os cursos estão fora dos padrões dos standards.

Infelizmente vemos no mercado, “profissional” literalmente vendendo certificados, na tentativa de obter mais e mais mergulhadores certificados, cujo intuito é aumentar o número de formados e exibir um número incondizente com a realidade, se utilizarmos os padrões de segurança mínimos que deveriam ser aplicados nos cursos de mergulho.

Outro problema que nós do Brasil Mergulho tomamos conhecimento recentemente, é a existência de escola de mergulho colocando aluno de divemaster ministrando cursos de mergulho autônomo básico, o que é o cúmulo do absurdo.

É claro que num mercado sadio, sempre haverá uma variação de preços ao consumidor, mas essa variação entre o mínimo e o máximo precisa estar dentro de uma margem segura, caso contrário, o cliente estará “praticamente pagando por uma possibilidade de suicídio”, e não por um treinamento sério, como imaginado.

Outro aspecto que também deve ser observado antes da contratação de um curso de mergulho é a qualidade dos equipamentos utilizados durante o curso. Muitas vezes são produtos de baixa qualidade e sem a manutenção apropriada.

Um momento onde justamente o instrutor / lojista poderia mostrar as diferenças entre os equipamentos aos alunos, e quem sabe, até conseguir a possibilidade de vender algum produto de melhor qualidade para ele, infelizmente muitos não possuem estoques de equipamentos para a venda e não conseguem enxergar a possibilidade comercial que tem em mãos, perdendo uma grande chance de venda por uma visão diminuta e arcaica.

Foto: Clécio Mayrink

Aspectos importantes antes da realização de um curso

Se você pretende realizar um curso ou alguma outra especialidade de mergulho, não se apegue somente ao preço. Procure verificar principalmente alguns aspectos como:

  • Certificadora está conveniada com a escola;
  • Duração do curso (horas / dias);
  • Quantos anos de experiência o instrutor possui e se ele também será o responsável pelas aulas teóricas e práticas;
  • Onde serão as aulas (Sala / Piscina / Prova Prática);
  • Condições dos equipamentos de mergulho usados durante o curso;

Você está pagando por um curso, logo, tem o direito de obter todos os detalhes. Mas lembre-se daquela velha história…

Sempre haverá alguém fazendo preço mais baixo, mas o quanto vale sua vida ?

Acho que a imagem da chamada deste post já dá um bom significado, não acha ?

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986, participando da primeira turma de Dive Master da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho e fotografia / vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência quando o assunto é mergulho e naufrágios para a mídia e órgãos públicos no país, e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO.