A Autoridade da Zona Econômica Especial de Aqaba (ASEZA) afundou um LockStar A-1011 TriStar nas águas do Mar Vermelho, próximo ao recife de mergulho Rei Abdullah e adjacente ao Terminal de Contêineres de Aqaba.

O avião TriStar é um comercial não jordaniano que estava fora de serviço e estacionado no Aeroporto Internacional King Hussein há vários anos. A ASEZA o comprou recentemente a aeronave para afundá-lo nas proximidades do avião militar Hércules C130 afundado em novembro de 2017. Hoje, o C130 se tornou ponto de mergulho um lar para as escolas de peixes, corais e organismos marinhos.

Desde então, a ASEZA iniciou todos os preparativos necessários para realizar esse projeto de ecoturismo. Uma empresa nacional foi designada para desmontar a aeronave, transportá-la para o porto de Aqaba e remontá-la lá.

As equipes técnicas da ASEZA descobriram mais de sete pontos da costa da Jordânia para afundar o avião e realizaram uma pesquisa desses locais propostos.

Foi acordado com as partes envolvidas representadas no comitê do projeto para o afundamento próximo ao antigo porto de fosfato a uma profundidade entre 15 e 28m.

O local é completamente isento de recifes de coral, com área de areia relativamente larga e plana. A presença da aeronave permitirá a criação de recifes artificiais com corais, habitat para peixes e outros organismos marinhos e, se tornará um atraente ponto para mergulhadores.

A ASEZA deu grande atenção aos efeitos ambientais e tomou todas as medidas para garantir a proteção e segurança do meio marinho em cooperação com todas as autoridades e associações envolvidas e relevantes. Antes do afundamento, todos os materiais perigosos foram removidos para cumprir as melhores práticas ambientais.

Por:

Redação

Se você possui algum conteúdo relacionado ao mergulho e acha que pode ser interessante dividir com outros mergulhadores ?

Clique aqui para entrar em contato conosco e enviar o conteúdo a principal revista eletrônica sobre mergulho do Brasil.