Pra quem não sabe, a Dive Gear Express é uma loja de equipamentos e acessórios para mergulho, localizada na Flórida, Estados Unidos, sendo uma loja bem conhecida pelos mergulhadores brasileiros, principalmente em razão dos preços.

Algum tempo atrás adquiri duas mangueiras de 6’ de alta pressão comercializada por eles, para serem usadas com manômetros na minha configuração de sidemount, e tempos depois, infelizmente notei dois problemas nessas mangueiras da marca DGX, que por se tratar de um problema recorrente, colocam o mergulho sob risco.

Em uma das mangueiras, repentinamente surgiram dois pequenos rasgos, dando a impressão de que a mangueira teria passado por um local cortante, o que não aconteceu. Com o tempo de uso, certamente esses rasgos iriam aumentar de tamanho, provocando vazamento de gás dos cilindros, tornando o mergulho arriscado. Vale ressaltar, que a mangueira em questão não ficou exposta ao sol e foi adquirida alguns meses atrás.

Na outra mangueira surgiram 3 micros furos, que ao abrir o gás do cilindro, esses furos exalavam micro bolhas de gás, tornando também o mergulho sob risco de acidente.

Diante das duas situações anormais e preocupantes, entrei em contato com a Dive Gear Express, principalmente com o intuito de alertá-los sobre os problemas, e como iria aos Estados Unidos em seguida, poderia passar na loja para mostrar o problema. Combinei então que levaria as mangueiras para uma análise deles.

É sabido que não só a Dive Gear Express, como outras empresas do mercado, andaram adquirindo mangueiras de fornecedores na China com “qualidade duvidosa”, e que em 2019, diversos lotes de mangueiras apresentaram uma série de problemas de fabricação, ocasionando inúmeros recalls (Recall da DGX aqui), obrigando aos proprietários a imediata interrupção do uso e substituição diretamente nos distribuidores.

Ao apresentar as mangueiras na loja, chamei a atenção quanto aos riscos que elas poderiam colocar o mergulhador desavisado, e para minha surpresa, infelizmente não foi dada a merecida atenção ao caso, e a troca delas também me foi negada, aspecto incomum quando falamos de atendimento nos Estados Unidos.

Mangueira com micro furo onde ocorreu o vazamento – Foto: Clécio Mayrink

Confesso que fiquei decepcionado com a forma como o problema foi visto, pois trataram com pouco caso, e a lição aprendida após essa situação, é que devemos redobrar o cuidado ao adquirir mangueiras de qualquer fornecedor. Além da possibilidade de acidentes, caso ocorra algo mais sério, certamente será mais difícil e complicado resolvê-lo, ficando o mergulhador na mão.

Quanto as mangueiras da marca DGX da Dive Gear Express, após os dois problemas identificados e a falta de atenção pelo lojista, fica a recomendação para pensar duas vezes antes de adquirir um produto que em poucos meses apresentou problemas tão sérios ao mergulhador.

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986 pela CMAS, participando da primeira turma da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount IANTD, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho, fotografia e vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, sendo o idealizador do portal Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP).

Atuou na produção de diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência para a mídia, órgãos públicos no país e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO, quando o assunto é mergulho em naufrágio.