Em agosto próximo será inaugurado um enorme parque temático submarino com 100 mil metros quadrados de uma cidade insular do Bahrein, onde haverá inclusive, o naufrágio de um avião Boeing 747, anunciou recentemente o país do Golfo Pérsico.

O Bahrein espera atrair mergulhadores de todo o mundo com o extenso local de Diyar Al Muharraq, uma cidade formada por sete ilhas artificiais. Anunciado como o maior parque subaquático do mundo, sua peça central é a aeronave desativada e especialmente preparada para os mergulhadores. O avião de 70m de comprimento é “o maior já submerso”, segundo Zayed bin Rashid Al Zayani, ministro da Indústria, Comércio e Turismo do Bahrein.

O projeto subaquático é o resultado de uma parceria entre o Conselho Supremo de Meio Ambiente, a Autoridade de Turismo e Exposições do Barein (BTEA) e o setor privado. O local de mergulho também contará com uma réplica da casa do comerciante de pérolas do Bahrein, recifes de corais artificiais e esculturas de arte.

Residentes e turistas poderão reservar viagens através de centros de mergulho autorizados até agosto de 2019, disse Al Zayani na última segunda-feira. “Estamos orgulhosos de lançar este projeto ecológico único”, anunciou o ministro.

Autoridades dizem que a nova atração do Bahrein passou por rígidos padrões ambientais e promoverá o crescimento da vida marinha, além de revitalizar o ecossistema local, mas a especialista marinha Adriana Humanes, PhD em Ecologia Marinha da James Cook University, Austrália, e atualmente sediada na Universidade de Newcastle, no Reino Unido, diz que os recifes artificiais de coral nem sempre são ecologicamente corretos.

“Como os recifes de corais em bom estado de saúde se tornam menos abundantes e os mergulhadores se tornam mais qualificados e experientes, os recifes artificiais se tornaram alternativas populares usadas pelos governos e pela indústria do turismo para atrair visitantes a certas áreas de interesse. O mergulho em naufrágios é um dos métodos mais antigos usados ​​para construir recifes artificiais, fornecendo uma estrutura para organismos e peixes marinhos sésseis”, disse Humanes.

A Agência de Turismo e Exposições do Bahrein disse que a aeronave será especialmente preparada antes de ser baixada na água.

“Todas as superfícies dos aviões serão submetidas a uma lavagem de alta pressão com detergentes bio-amigáveis ​​para garantir que todos os revestimentos, óleo e fuligem da pós-produção sejam removidos. Além disso, uma grande quantidade de tempo foi gasta removendo contaminantes da aeronave. Isso incluiu a remoção de toda a fiação, todos os sistemas hidráulicos, pneumáticos, combustível, e todos os adesivos, isolantes, plásticos, borrachas, produtos químicos ou outros tóxicos em potencial”, disse um porta-voz.

Por:

Redação

Se você possui algum conteúdo relacionado ao mergulho e acha que pode ser interessante dividir com outros mergulhadores ?

Clique aqui para entrar em contato conosco e enviar o conteúdo a principal revista eletrônica sobre mergulho do Brasil.