Reguladores de descompressão merecem total atenção

Nos mergulhos descompressivos você usará por muito tempo os reguladores secundários de descompressão, e neste caso, você é tão dependente desses reguladores quanto do regulador primário, porque se algum deles falhar, o mergulho rapidamente se tornará um problema e você precisará de um plano B.

Além da confiabilidade, é enganoso acreditar que reguladores para descompressão não necessitem de alto desempenho. Quando regressamos do mergulho para a realização de uma “deco” (descompressão), normalmente é o momento em que o mergulhador já está mais cansado (pelo esforço físico) e mais desidratado, e respirar com melhor fluidez fará uma grande diferença para ele.

Em algumas ocasiões a descompressão pode acabar sendo realizada sob condições desagradáveis, como correnteza e fortes ondulações provocadas pela virada repentina do mar, agora imagine ter que ficar numa determinada profundidade respirando por um regulador de baixo desempenho, exigindo mais esforço respiratório sob essas condições ?

Outro aspecto importante, é que reguladores sem manutenção ou ajustados de forma incorreta podem ter o desempenho comprometido, independentemente da profundidade.

Tenho visto muitos mergulhadores não darem a devida atenção para os reguladores descompressivos, vindo a utilizar qualquer regulador que encontram pela frente e de menor preço para uso nos stages, o que é um grande erro. Ele está pensando no bolso e não na qualidade do mergulho que vai realizar.

Todos os reguladores secundários merecem ter a mesma atenção e respeito que os reguladores principais.

Devemos ter em mente que o mergulho é uma atividade que depende de um somatório de aspectos para que tudo transcorra bem e da melhor forma possível. Se um aspecto se torna um desconforto, isso poderá criar uma “bola de neve” e gerar como resultado, um dia de mergulho ruim, ou até um acidente.

Se planejamos tanto para realizar um bom mergulho, não podemos economizar no que é básico e principal embaixo d’água, que é respirar bem.

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986 pela CMAS, participando da primeira turma da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount IANTD, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho, fotografia e vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, sendo o idealizador do portal Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP) e responsável pelo tema Mergulho no 1° Atlas dos Esportes do Ministérios dos Esportes.

Atuou na produção de diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência para a mídia, órgãos públicos e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO, quando o assunto é naufrágio.

Veja também:

Flexibilidade no controle do estresse descompressivo

Computadores de mergulho facilitam muito a vida dos usuários, mas podendo reconfigurá-lo durante o mergulho, o desempenho é ainda melhor.

Fita de Auto fusão – Uma ajuda na remoção do regulador

Alguns reguladores criam dificuldades na sua remoção da torneira, pela falta de ranhuras mais profundas, mas uma fita especial pode resolver isso.

Computador de Mergulho: 8 motivos para você ter o seu

Os computadores de mergulho surgiram anos atrás e eles já comprovaram sua eficiência no mergulho. Alguns motivos para você ter o seu.

Filme Plástico – Protegendo o Segundo Estágio contra insetos

Usando um pedaço simples de filme plástico de cozinha, o mergulhador pode evitar uma grande dor de cabeça na hora de mergulhar.