Revista Mergulhar: Uma referência no mergulho brasileiro

Quando criança, frequentemente saía para pescar com meu pai na Barra da Tijuca, um bairro  na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, e que hoje em dia, está tomada por edifícios espalhados por toda a região.

Naquela época, meados da década de 80, a situação era bem diferente de hoje em dia, porque havia pouca gente morando na região. Muitos até diziam que quem morava por lá, queria distância de tudo, porque a região era repleta de mata e tudo muito bem preservado, tanto, que pescávamos no Canal de Marapendi com águas transparentes, aspecto difícil nos dias atuais.

Foi num final de semana, cansado de ficar esperando algum peixe fisgar a isca, que acabei resolvendo colocar uma máscara de mergulho que havia ganho e decidi olhar a base de um dos pilares da ponte que liga até hoje a Barra da Tijuca ao bairro de São Conrado, e naquele instante, num local improvável, nascia a paixão pelo mergulho.

Com a água transparente e azulada por causa da maré alta, pude observar alguns peixes rodeando os pilares, os caranguejos caminhando pela areia embaixo da água, pequenos badejos entre as rochas laterais do canal, além de vários peixinhos coloridos. Decidi naquele instante que pescar não era uma atividade legal e mergulhar era muito melhor !

Com dificuldade, porque tinha meus 9 ou 10 anos de idade e meus pais não curtiam a ideia de sair para mergulhar, comprei uma máscara melhor com um snorkel e, posteriormente, um par de nadadeiras, mas precisava saber mais sobre o assunto.

Meu conhecimento em mergulho se tornou realidade ao passar por uma banca de jornal  saindo da escola e ver uma revista chamada “Revista Mergulhar”. Passei a comprá-la mensalmente até assiná-la depois. A revista se tornou a principal referência, chegando a ler os mesmos artigos inúmeras vezes e decorar os nomes dos autores, como o Sérgio Costa, Roberto Duarte, Marcus Werneck, dentre outros mais que sempre escreviam inúmeros artigos com os mais variados assuntos.

Ao longo do tempo, coincidentemente duas pessoas da redação faziam faculdade com o meu irmão, o que possibilitou uma ida para conhecer a editora numa ocasião.

Vários aspectos do Brasil Mergulho são baseados nesse início (ou pelo menos tento), porque pra quem nada sabia sobre mergulho, a abrangência dos assuntos, dicas, forma de clareza e tudo mais, contribuíram bastante para o meu conhecimento inicial numa época em que não tínhamos Internet e foram essenciais em vários aspectos. A Revista Mergulhar foi uma excelente referência pra mim e, acredito que para muitos outros mergulhadores daquela época. Acredito também, que boa parte do crescimento do mercado atual do mergulho no Brasil se deve aquela revista, porque ela mostrava o andamento do mergulho no país.

Como tudo na vida, infelizmente a Revista Mergulhar não foi mais editada, deixando um espaço no mercado durante tempos e todos sem uma referência em conteúdo sobre mergulho em português, até surgirem pequenos jornais e posteriormente outras revistas.

Em 1998, durante uma conversa de bar, surgiu a ideia de um site sobre mergulho que se concretizou no Brasil Mergulho de hoje, um portal sobre mergulho abrangendo vários assuntos com vários colaboradores, mas sempre tendo como referência a formatação que a Revista Mergulhar trazia todos os meses aos inúmeros leitores.

Certamente a Revista Mergulhar deixou saudades naqueles que liam todos os meses as matérias e que ainda continua na memória de muitos mergulhadores da antiga.

Agradecimentos ao Flávio Júlio Gomes do Clube do Mergulhador que possui um dos maiores acervos de livros e revistas nacionais sobre mergulho no país, pela foto inicial do artigo.

Abaixo, o Canal de Marapendi num dia com maré alta e águas mais claras, e obviamente, com muito mais residências que no passado.

Foto: Clécio Mayrink

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986 pela CMAS, participando da primeira turma da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount IANTD, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho, fotografia e vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, sendo o idealizador do portal Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP) e responsável pelo tema Mergulho no 1° Atlas dos Esportes do Ministérios dos Esportes.

Atuou na produção de diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência para a mídia, órgãos públicos e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO, quando o assunto é naufrágio.

Veja também:

Ilhas Tijucas: Navegando e mergulhando em apenas 5 minutos

Elas estão próximas da costa da cidade do Rio de Janeiro e permitem bons mergulhos em dias com condições ideais.

Boato: Tubarão-Tigre avistado no Canal de Marapendi no RJ

O filhote foi pego por uma rede de pescadores e trazido para terra.

Dois possíveis novos pontos de mergulho ?

Duas áreas aparecem em imagens de satélite e podem ser bons pontos de mergulho ainda não visitados.

Barra da Tijuca – Boas memórias do mergulho no passado

Canal de Marapendi, na Barra da Tijuca, está sendo degradado pela expansão desenfreada de condomínios e descaso das autoridades.