Seta de Caverna e a sua origem

No passado, espeleólogos usavam marcadores em cavernas secas para a indicação da saída da caverna. Isso tudo, muito antes do surgimento do mergulho em cavernas.

Posteriormente com o surgimento do mergulho em cavernas na Flórida, alguns mergulhadores perceberam que esses marcadores poderiam beneficiar os mergulhadores e trazer mais segurança. Lewis Holzendorf, acabou tendo a ideia de criar um triângulo de fita em formato de uma flecha para colocar no cabo guia, para indicar a saída ao mergulhador.

Na época essas flechas foram chamadas de “marcadores Dorf”, em homenagem a Lewis.

Com o tempo, percebeu-se que havia alguns problemas com as flechas de fita, pois elas deslizavam pelo cabo guia e eram difíceis de usá-las por causa da falta de tato ou contato dela com a areia ou lodo.

O pioneiro do mergulho em cavernas, Sheck Exley, pediu ao seu colega mergulhador Forrest Wilson, que liderasse um grupo de discussão em um workshop da certificadora NSS, com o objetivo de redesenhar o modelo de seta e aperfeiçoar o modelo existente, de forma que a seta ficasse fixa no cabo e não se deslocasse durante.

Várias ideias foram lançadas, mas Forrest surgiu com um novo modelo (design atual), que acabou sendo aprovado pelos mergulhadores e fabricou centenas delas.

Posteriormente, essas setas passaram a ser chamadas de “flechas de Forrest”, foram comercializadas na operadora Branford Dive Center, que ficava localizada na pequena cidade de Branford ao norte da Flórida, e se tornaram muito popular entre os mergulhadores.

Steve Hudson pediu permissão a Forrest para produzir em massa essas setas para a Dive Rite, e o novo modelo acabou se tornando um padrão mundial.

Foto: Clécio Mayrink

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986 pela CMAS, participando da primeira turma da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount IANTD, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho, fotografia e vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, sendo o idealizador do portal Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP) e responsável pelo tema Mergulho no 1° Atlas dos Esportes do Ministérios dos Esportes.

Atuou na produção de diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência para a mídia, órgãos públicos no país e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO, quando o assunto é mergulho em naufrágio.

Veja também:

Mergulho em Caverna – Uso de câmera pode ser um grande risco

Pouco se comenta sobre o assunto, mas os acidentes dão o indicativo de que o uso de câmeras pode criar riscos no mergulho de caverna.

Relato: Uma pequena caverna e um incidente

Um relato de uma situação complicada enfrentada por um mergulhador em uma caverna marinha usando a configuração sidemount.

A história da Bandeira Vermelha de mergulho

Conheça a história e como surgiu a famosa bandeira vermelha de mergulho que se tornou referência em todo o mundo.

Mergulhadores atropelados e a importância da boia de sinalização

Pelo menos cinco mergulhadores se acidentaram nos últimos meses por não sinalizarem o local onde o mergulho estava sendo realizado.