O Instagram vai começar a apagar fotos de usuários que reproduzirem o sinal de “OK” com as mãos. A partir do dia 10 deste mês, o menu de denúncia do aplicativo lista entre os critérios de remoção “gestos do movimento de supremacia branca”. O gesto “OK” foi apropriado pelo movimento branco americano para indicar “white power” nas redes, e a popularização do símbolo o fez entrar para a lista de símbolos de ódio da Liga Antidifamação (ADL, em inglês), organização dos Estados Unidos responsável por monitorar crimes de ódio.

Por causa disso, Instagram adotou novas regras para combater o discurso de ódio no ambiente online com a ferramenta de denúncia de posts, que pode resultar na exclusão do conteúdo considerado ofensivo e até no banimento do usuário da rede social. Como o sinal de “OK” tem um significado original diferente, a ADL recomenda tomar “cuidados especiais para não tirar conclusões precipitadas sobre a intenção de alguém que usou o gesto”, já que em alguns casos ele pode ter sido utilizado com o objetivo de demonstrar aprovação ou indicar que está tudo bem.

Origem da polêmica

Em 2017, alguns usuários do fórum 4Chan divulgaram maliciosamente que o sinal de “OK” era um símbolo do poder supremacista branco. De acordo com o grupo, o gesto significa que os três dedos retos formam a letra “W” (de white, branco em português), enquanto o polegar e o indicador fechados se referem à letra “P” (power, que traduz como poder). A notícia falsa se popularizou entre a extrema-direita, e o sinal passou a ser usado em insultos e mensagens ofensivas no ambiente online.

O símbolo de supremacia branca se popularizou na Internet nos últimos meses e em março, o responsável pelo massacre de 51 pessoas em Christchurch, na Nova Zelândia, realizou o gesto de “OK” ao ser apresentado ao tribunal. Dois meses depois, o Facebook baniu por 30 dias um eleitor de Donald Trump por fazer o sinal de mão “OK” em uma foto.

Por:

Redação

Se você possui algum conteúdo relacionado ao mergulho e acha que pode ser interessante dividir com outros mergulhadores ?

Clique aqui para entrar em contato conosco e enviar o conteúdo a principal revista eletrônica sobre mergulho do Brasil.