Válvulas J e K – Provavelmente você não sabe por que são chamadas assim

Se você perguntar ao instrutor de mergulho porque as válvulas se chamam “J ou K”, provavelmente vai escutar a seguinte resposta:

Válvula J é a válvula com reserva e a Válvula K é sem reserva

 

Isso até é verdade, mas você sabe por que elas se chamam J e K ?

Alguns chegam a afirmar que a válvula J (com reserva) teria esse nome em razão do formato da haste metálica de acionamento da reserva ser parecida com a letra “J”, mas o nome não veio disso.

Antigamente na relação de preços de equipamentos de mergulho da Aqualung para distribuidores, os itens eram listados por letras, e a válvula com reserva era o item J na listagem.

Já a válvula sem reserva, era o item K na lista.

Com o tempo, os vendedores passaram a chamá-las de válvulas J e K, e o mercado acabou adotando o nome sem saber por que se chamavam assim.

 

Mas o que são válvulas J ?

No passado quando o manômetro de imersão não existia no mercado, o mergulhador só tinha uma ideia razoável da quantidade de gás no cilindro através do cálculo entre tempo de fundo X consumo médio e profundidade, ou seja, não havia uma precisão.

Com o uso da válvula J, quando a pressão caía e alcançava certo patamar, algo em torno dos 500 a 750 PSI, a pressão fornecida ao segundo estágio do regulador diminuía bastante, fazendo com que o mergulhador percebesse que estava ficando difícil respirar, e consequentemente, alertando-o que o gás do cilindro atingira o “limite de segurança” adotado naquela época.

Com isso, o mergulhador acessava uma haste metálica para puxá-la para baixo, e ao fazer isso, a haste acionava um mecanismo presente na válvula J que acabava permitindo que o restante do gás saísse sem a restrição de “alerta ao mergulhador”, e com isso, a respiração voltava ao normal, permitindo que o mergulhador retornasse até a superfície respirando normalmente e ciente de que a pressão gás no cilindro de mergulho já estava baixa.

Com o uso do manômetro, esse tipo de válvula foi substituída pelo modelo “K” (sem reserva), tornando o mergulho muito mais seguro e preciso.

Colaboração: Miguel Lopes e Vagner Marretti

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986 pela CMAS, participando da primeira turma da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount IANTD, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho, fotografia e vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, sendo o idealizador do portal Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP).

Atuou na produção de diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência para a mídia, órgãos públicos no país e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO, quando o assunto é mergulho em naufrágio.

Veja também:

Fita de Auto fusão – Uma ajuda na remoção do regulador

Alguns reguladores criam dificuldades na sua remoção da torneira, pela falta de ranhuras mais profundas, mas uma fita especial pode resolver isso.

Mergulho na História – Torneira com reserva, já ouviu falar ?

No passado elas eram peças fundamentais na segurança do mergulhador, e felizmente caíram em desuso com o advento do manômetro de imersão.

Manômetros, Mangueiras e suas medidas

Equipamentos imprescindíveis ao mergulhador, requerem total atenção na manutenção e suas medidas para um mergulho seguro e confortável.

Manômetro Ponny Bottle Nitrox da IST

Com dimensões bem reduzidas, é um excelente acessório para quem mergulha usando roupa seca com cilindros do tipo Ponny Bottle e argônio.