Aloha ! Mergulho e Natureza no Havaí – Parte III – Oahu

Em meus artigos anteriores aqui no Brasil Mergulho escrevi sobre a beleza e magia do arquipélago do Havaí. Nos outros textos eu contei minhas experiências passeando e mergulhando nas ilhas Hawaii, também conhecida como Big Island, e Maui. Dessa vez vou compartilhar um pouco sobre minha viagem a Oahu.

Apesar de ser a terceira maior ilha do arquipélago com cerca de 1500 metros quadrados, Oahu é de longe a mais populosa da região, com mais de 875 mil habitantes. Conhecida também como “O Ponto de Encontro” (The Place of Gathering), Oahu oferece um pouco de tudo. De praias selvagens de areia branca a centro de negócios com arranha-céus. De barraca de frutas à beira da estrada a restaurantes 5 estrelas com jantar à luz de velas. E de grandes ondas, em que surfistas deslizam com graciosidade, a pequeninas bolhas de ar que sobem a superfície enquanto mergulhadores apreciam os lindos corais e diversos naufrágios da região.

O Corsair cercado de vida marinha
O Corsair cercado de vida marinha

Acompanhado do meu irmão mais novo, Bruno, e de outros 2 amigos que também mergulham, partimos no fim de janeiro para uma viagem de 6 dias. Como em Oahu os mergulhos estão espalhados por diferentes cantos da ilha e apenas certas operadoras têm acesso a cada um deles, preferi contratar um guia de mergulho e deixá-lo organizar os diferentes mergulhos com as diversas operadoras. Dessa forma, nós poderíamos aproveitar mais a viagem sem ter que se preocupar em marcar cada mergulho, saber como chegar lá, etc…

Roger, experiente instrutor da região, conhecido também como Turtleguy, foi o nosso guia durante 3 dias e sem dúvida fez a diferença, pois tornou nossos mergulhos muito mais práticos e eficientes. Após nos buscar na porta do hotel com sua van, Roger nos levava aonde saía cada mergulho, mergulhava com a gente e tirava qualquer dúvida. Já de volta a terra firme, Roger nos servia sanduíches e bebidas enquanto preenchíamos e enfeitávamos os log books com as dezenas de carimbos que ele e sua esposam criaram.

Oahu03

Costa Leste

No dia seguinte a nossa chegada, às 6 da matina, Roger já nos esperava na entrada do hotel em Waikiki. Nesse dia iríamos mergulhar na costa leste da ilha onde está a maioria dos pontos de mergulho. O primeiro mergulho foi no Corsair – um dos naufrágios mais fundos e mais visitados da ilha, à 33m de profundidade. É também, o único naufrágio da ilha que não

foi afundado intencionalmente (após ficar sem combustível durante um treinamento em 1946, o piloto ejetou e deixou o avião se chocar ao mar).

Além da óbvia atração de se visitar o naufrágio de um autêntico avião da II Guerra Mundial, esse mergulho tem o bônus de ser o único lugar em Oahu onde se pode visitar um campo com centenas de enguias-de-jardim (garden eels). É importante observar as enguias de longe, pois ao se aproximar elas se recolhem abaixo da areia. Com exceção do avião, só há areia no local o que faz com que os peixes da região busquem abrigo e alimento no naufrágio. Em certos momentos há tanto peixe ao redor e em cima do avião que fica difícil avistá-lo.

Naufrágio Sea Tiger
Naufrágio Sea Tiger

O segundo mergulho foi na mesma região, no local conhecido como Koko Craters, onde se encontram diversas pequenas crateras a cerca de 12 metros de profundidade. Com a proteção das crateras e baixa profundidade, Koko Craters é abrigo para dezenas de tartarugas verdes (hawaiian green sea turtles). Tivemos a sorte de encontrar também algumas moréias e um peixe-escorpião. Outro antigo morador do local é a estátua de Budha.  

Costa Sul

O Sea Tiger – naufrágio mais próximo de Waikiki – foi o cenário de nosso primeiro mergulho no dia seguinte. A embarcação chinesa, na época chamada Yun Fong Seong No. 303, entrou no canal de Honolulu em 1992 com cerca de 90 imigrantes ilegais chineses e acabou sendo apreendida pela Guarda Costal Americana. Após passar por alguns donos, uma empresa de passeios submarinos comprou a

Foto: David Bellas, Hickam AFB
Foto: David Bellas, Hickam AFB

embarcação por U$ 1. Mas só

depois de 2 anos de burocracia e um investimento de quase meio milhão de dólares em limpeza e preparação, que os donos conseguiram afundar o Sea Tiger para o desfrute de seus passageiros e mergulhadores.

Com cerca de 50m de comprimento e 12m de largura, o Sea Tiger repousa no fundo de areia em posição normal fazendo desse naufrágio um excelente mergulho. Enquanto alguns mergulhadores gostam de começar pela torre que está à 21m de profundidade, outros preferem descer direto ao fundo do casco à 38m. É muito comum encontrar grupos de arraias-pintadas (white spotted eagle rays), cardumes de baiacus, moréias, e até peixe-sapo. Outros visitantes do Sea Tiger, embora mais raros, são os golfinhos, tubarões tigres e arraias jamanta.

O humuhumunukunukuapua'a
O humuhumunukunukuapua’a

Se você tem treinamento em naufrágio ou estiver acompanhado de um guia pode tentar algumas das possíveis penetrações. Os corredores externos são as penetrações mais acessíveis. Vale também visitar a sala do timão e o motor.

O segundo mergulho foi raso e básico no local conhecido como Kaiser Reef. De interessante vimos algumas moréias, diversos tipos de peixes-borboleta e peixes-trombeta. Outro habitante tradicional do local é o peixe com provavelmente o nome mais longo do mundo – humuhumunukunukuapua’a. Uma primo havaiano da família do peixe-gatilho (reef triggerfish).

Naufrágio Mahi
Naufrágio Mahi

Costa Oeste

Fechamos os mergulhos da viagem com chave de ouro no terceiro dia, com dois excelentes mergulhos na costa oeste de Oahu.

Afundado originalmente em 1982 como um projeto de recife artificial, o Mahi se tornou o mergulho mais popular da ilha. A embarcação de 60m de comprimento repousa à 29m de profundidade e serve de abrigo para Oahu12uma variedade de vida marinha. Devido a sua condição de preservação, esse naufrágio não oferece penetrações seguras.

Com visibilidade usual entre 15m e 30m é muito comum encontrar-se grandes cardumes de baiacus-de-espinho, peixes-borboleta, arraias-pitadas, polvos e grande variedade de peixes tropicais.

Avistamos um cardume com 12 arraias-pintadas nadando graciosamente. Infelizmente, a distância e o fato da minha câmera estar começando a alagar não ajudaram a registrar uma boa foto. Diversos relatos indicam que também é comum encontrar um dos dois tubarões galha-branca residentes do local – George e Martha. Apesar de não termos a sorte de encontrar nem um nem outro, ainda tínhamos mais um mergulho pela frente.

Tubarão Galha Branca em Makaha Caverns - Foto: Lisa Miller
Tubarão Galha Branca em Makaha Caverns – Foto: Lisa Miller

Nosso segundo mergulho foi no local conhecido como Makaha Caverns, onde dois túneis de lava submarinos se encontram. Túneis de lava são formados quando a lava flui por dentro de uma superfície sólida, e ao escorrer, deixa para trás um túnel. As cavernas ficam a pouca profundidade, entre 10m e 15m e são suficientemente espaçosas para serem exploradas. As formações de lava – túneis, arcos e colunas – por si só já fazem deste um dos mergulhos mais populares da região. Além dos diversos invertebrados e pequenas criaturas que habitam os furos da superfície porosa, as cavernas costuma também abrigar tartarugas e tubarões de galha-branca. Foi em uma dessas cavernas que pudemos observar durante alguns minutos um tubarão de galha-branca com cerca de 1,80m de comprimento.

Além dos 6 excepcionais mergulhos, tiramos as tardes e os últimos 2 dias da viagem para outras atividades como fazer snorkeling na reserva marinha de Hanauma Bay, admirar altos tubos nas ondas do North Shore, se perder no maior labirinto natural do mundo (Dole Plantation), apreciar um lindo templo budista, conhecer a fazenda de nozes de macadamia que serve de localação para o seriado Lost, e aprender mais sobre a importante história de Pearl Harbor.

Reserva marinha de Hanauma Bay
Reserva marinha de Hanauma Bay

Outra ótima atividade para fazer é mergulhar no universo gastronômico da ilha. É possível encontrar pequenos restaurantes com deliciosa comida típica, como o Ono Hawaiian Foods em Honolulu. Por U$ 10 você prova tudo que a culinária havaiana tem de bom e sai de barriga cheia. Devido ao grande número de imigrantes japoneses, Oahu é também um ótimo lugar para comer um sushi e tomar um sake.

Novamente o Havaí não me decepcionou. Mais uma ilha explorada acima e embaixo d’água e mais uma prova da magia que é o arquipélago do Havaí, cercado de beleza e diversão por todos os lados.

Outros famosos mergulhos em Oahu:

Costa Leste – Mergulho de correnteza no China Wall e o naufrágio Baby Barge.

Costa Sul – Naufrágios YO-257 e San Pedro

Costa Oeste – Black Rock e Land of Oz

Costa Norte – O North Shore também oferece ótimos mergulhos como o Haleiwa Wall e Sharks Cove, mas esses só são acessíveis durante o verão.

Yan ao lado da estátua do lendário surfista Duke Kahanamoku em Waikiki
Yan ao lado da estátua do lendário surfista Duke Kahanamoku em Waikiki

Recomendações

Roger “Turtleguy” Miller – Roger e sua esposa Lisa são experientes instrutores e guias de mergulho. Além de terem um ótimo relacionamento com cada uma das operadoras em Oahu, eles conhecem cada ponto de mergulho como a palma da mão. Para marcar mergulhos guiados com Roger ou Lisa entre em contato pelo site deles.

Hotel Ohana East Waikiki – Hotel simples e agradável em ótima localização. Com tarifas acessíveis, o hotel é ideal para quem deseja conforto sem frescuras. Fica localizado no centro de Waikiki, perto as lojas e restaurantes e a poucos blocos da praia.

Discount Hawaii Car Rental – O site traz algumas das melhores ofertas de diversas locadoras. Se o cliente desejar algo diferente do site basta entrar em contato que eles procuram o melhor negócio.

 

< Artigo Anterior

Yan Grossman

Mergulha desde 1991 e trabalha com Marketing Digital.

Além de adorar o mar, gosta muito das montanhas geladas e é criador do site de snowboarding e viagens para a neve Snowbrasil.com