Camargo: Buscas a um naufrágio já achado com dinheiro público

Era década de 90 quando nos finais de semana, para a cidade de Angra dos Reis mergulhar com os clientes da Easy Diving, uma antiga escola e operadora de mergulho que existiu na Barra da Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro.

As opções de operadoras de mergulho em Angra dos Reis na época, eram poucas, e utilizávamos a estrutura da antiga e conhecida Pousada do Jamanta, onde o seu proprietário era conhecido  pelo apelido de “Jamanta”. Reza a lenda que ele ganhou esse apelido por causa de um acidente que teria tido com uma arraia jamanta no passado.

Naquela época, a pousada possuía estrutura relativamente simples, e diversas outras escolas levavam seus clientes para lá.

O “Jamanta”, infelizmente faleceu alguns anos atrás, e foi sem dúvida, um dos pioneiros do mergulho no Brasil. Ele conhecia o mar de Angra dos Reis e Ilha Grande na palma das mãos, e sempre contava fatos históricos e detalhes em interessantes sobre a região.

Na época não tínhamos GPS, e ele nos levava com precisão até os naufrágios simplesmente usando marcas em terra como referência, e a precisão era de cair o queixo.

Numa dessas ocasiões, ele comentou sobre um navio negreiro que pouca gente conhecia, e que era pouco visitado. O naufrágio já havia passado por saques e restava muito pouco dele. A curiosidade falou mais alto e pedimos que levasse nosso grupo até o local.

Lembro que navegamos bastante até lá. Chegamos até o ponto de mergulho, ao largo de uma ilha.

O naufrágio se encontra a poucos metros da superfície, onde é possível ver o que restou do do seu casco de madeira. Lembro até de ver alguns cravos em bronze no local, que comprovam a idade do naufrágio… 1862

É o navio negreiro Camargo, um navio que transportava escravos no passado.

É um mergulho fácil de ser feito, pois está em local bem abrigado, mas o local se tornou sítio arqueológico e atualmente é preciso ter autorização para mergulhar no local.

Dinheiro público sendo jogado no lixo

Alguns anos atrás, um conhecido arqueologista anunciou em alguns meios de comunicação, inclusive, em um fórum de mergulhadores, a criação de um projeto patrocinado com verba pública, para a realização das buscas ao navio negreiro Camargo, e posteriormente, pesquisas arqueológicas submarinas no local.

Para a realização desse projeto, o governo iria liberar uma verba superior à R$ 100.000 para a execução dos trabalhos.

A grande questão, é que o naufrágio não só já foi descoberto na década de 80, como já foi visitado inúmeras vezes pelos mergulhadores cariocas.

E fica a pergunta… vão buscar o que já foi achado ?

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.