Entrevista: Renata da Silva Prado

Renata da Silva Prado é formada em Biologia e é Course Director PADI e já mergulhou em diversos países e ministra cursos recreacionais e para a formação de instrutores.

Entrevista

Como foi a sua trajetória até a sua formação com instrutora ?
Sempre pratiquei mergulho livre como esporte mas minha mãe me proibia de fazer o autônomo porque achava muito perigoso. Fiz meu básico com 21 anos, em 92, com um instrutor PDIC.

Em 93 comecei a trabalhar na academia do Projeto Acqua onde conheci a Claumar. Poucos meses depois já estava trabalhando na loja e tinha feito o Avançado, Rescue e Primeiros Socorros. Como eu já carregava muito cilindro por ser funcionária da loja, acabei fazendo o dive master em maio de 94 e o instrutor veio como consequência no fim do ano, já na primeira turma do Diving College.

Quais foram os motivos que a levaram a formação de Course Director pela PADI ?
Em 2001 eu já tinha uma boa experiência profissional como instrutora e tinha acabado de sofrer bastante mudanças na minha vida pessoal, foi então que resolvi colocar objetivos diferentes e maiores na minha vida. Comecei a almejar o Course Director mas consciente de que poderia levar algum tempo para conseguir.

Mesmo assim me dediquei ao trabalho pois acreditava que seria importante para meu crescimento pessoal e profissional. É como finalizar algo que você começou, o Course Director é o último curso dentro da carreira principal de um instrutor. Eu já havia acabado a faculdade (depois de muito esforço) e acreditava que dentro da carreira profissional de mergulho poderia ter ser uma grande conquista pessoal.

Houveram dificuldades durante a formação no que diz respeito a necessidade de estar fora do Brasil ?
Sem dúvida. Embarquei sozinha para a Califórnia e, apesar de ter experiência em viagens para o exterior sozinha, as emoções que experimentei foram únicas e memoráveis. Não sabia muito bem o que esperar do curso e quem da PADI que eu já conhecia estaria por lá.

Tudo isso somado ao fato de ninguém falar português ou entender nossa cultura. Foram duas semanas de curso e, durante a primeira, confesso que tinha dores de cabeça no final do dia devido ao esforço para entender tudo que se falava. Não sou uma pessoa tímida, e consegui fazer muitos amigos na turma de 42 alunos de diferentes partes do mundo relativamente rápido, afinal estávamos todos no mesmo barco !!!  O pessoal da PADI também foi muito bacana e faziam o que podiam para nos sentirmos confortáveis fora de casa.

Qual a sua visão sobre a abrangência atual da PADI no Brasil ?
Acredito que a PADI vem expandindo e o crescimento tem sido lento porém constante. Ainda há muito o que fazer no nosso país e a nossa economia não ajuda muito os pequenos resorts e dive centers.

Nos últimos dez anos vi mudanças para melhor como exames de instrutor sendo feitos em português e os livros originais traduzidos. Estas eram queixas básicas que durante muitos anos fizemos e que hoje são realidade e só tem contribuído para nosso desenvolvimento.

Na sua opinião, o mercado requer mais profissionais qualificados como Course Director para atender a demanda de pretendentes a formação em instrutor ?
Nós ainda somos considerados um mercado em processo de maturação e um dos itens que nos qualifica assim é a pequena formação de instrutores. Isso é devido não somente pelos poucos course directors mas também pelo fator econômico. O curso de instrutor demanda tempo, dinheiro e investimento pessoal.

O candidato começa sua formação nos cursos como Resgate e Dive Master (onde acredito que é construída sua base) e conclui com o curso de instrutor. Ainda temos regiões bastante afastadas e o aluno muitas vezes tem que se deslocar para fazer seus cursos, inclusive o de instrutor. Com a formação de novos course directors em mais regiões do Brasil e consequente maior formação de instrutores, com certeza começamos a diminuir estes custos.

Quais seriam os requisitos para uma formação instrutor PADI e quanto tempo em média um mergulhador necessita para terminar toda a formação ?
Durante o curso de instrutor PADI o candidato recebe orientação quanto ao desenvolvimento de suas habilidades práticas e conhecimento, ampliando o que já adquiriu nos cursos anteriores, principalmente no Dive Master.

podemos dividir o curso em aulas teóricas e sessões práticas de treinamento. Nas práticas ele principalmente começa e desenvolver sua habilidade de ensino, praticando aulas teóricas, de piscina e de águas abertas (no total 12 aulas que ele irá preparar no mínimo). O curso tem um tempo mínimo de 7 dias, mas geralmente é conduzido em mais (em média 10 dias).

Sendo um país de grandes extensões, você saberia dizer se em algum estado especifico, há uma carência de instrutores ou a falta de um bom estudo para o desenvolvimento do mergulho ?
Eu não diria em algum estado específico mas em regiões. Ainda considero as regiões norte, nordeste e centro oeste mais carentes. As regiões sul e sudeste já estão um pouco mais desenvolvidas, mas ainda há potencial de crescimento.

O Brasil só não possui maior potencial de crescimento de atividades de mergulho porque há o problema econômico. Ainda não possuímos uma estabilidade financeira suficientemente boa para permitir o crescimento dos pequenos investidores.

Acho que podemos crescer mais se estivermos voltados principalmente para o público estrangeiro. Nosso país atrai muitos turistas e temos que estar profissionalmente preparados para atendê-los. para isso é necessário manter nossos padrões de qualidade sempre altos.

Por ser a primeira mulher Course Director no Brasil, você percebeu alguma diferenciação ?
Sem ser feminista, acredito que existam diferenças na maneira em que conduzimos os cursos. Os homens e mulheres são diferentes por natureza e conduzem situações de maneiras diferentes.

Muitas vezes, alunas minhas me disseram que se sentiram mais a vontade por eu ser uma instrutora mulher e isso fez com que continuassem o curso. Atualmente temos o público feminino crescendo, pois o mergulho deixou de ter uma imagem militarizada. o número de instrutoras mulheres tendem então a aumentar e daí temos um efeito de bola de neve.

A grande vantagem que vejo nesta situação é que hoje vemos mais casais e famílias mergulhando juntos e compartilhando de experiências únicas e enriquecedoras para seus relacionamentos.

Que conselhos você daria aos interessados na formação em instrutor PADI ?
Acredite no seu potencial. A PADI possui um sistema de treinamento bastante simples e funcional. estude sempre, muito, sobre diferentes assuntos. É necessário mais do que ser um bom mergulhador para se tornar um bom instrutor PADI, pois o mergulho não se trata somente de ser “safo” debaixo d’água, mas também de saber lidar com as pessoas e com negócios.

Redação
Se você possui mais informações sobre o assunto acima, entre em contato com a nossa equipe e ajude a tornar este site ainda mais completo. Isso ajudará os mergulhadores e todos aqueles que estiverem buscando por mais informações.