Escolhendo seu Equipamento de Vídeo Submarino

Foto: Clécio Mayrink

Como mencionado na coluna anterior, vamos agora discutir a melhor opção para seu equipamento de vídeo, levando em conta certas considerações:

– Você já tem câmara de vídeo, e a mesma é relativamente moderna;
– Você já tem câmara de vídeo, mas o modelo é um tanto antiquado;
– Você não tem câmara de vídeo;
– Resolvido o problema da câmara, que caixa estanque escolher ?

1. Considero câmaras de vídeo atualizadas, sistemas Digital 8, DV e Mini DV. Para a grande maioria das câmaras, existem caixas estanques das mais variadas marcas. É importante mencionar que temos um fabricante nacional de qualidade, a Chroma.

2. Câmeras antiquadas, mas ainda aceitáveis, incluem as câmaras Hi 8 e S-VHS Compact. É improvável que você consiga caixas estanques da maioria das marcas para estas filmadoras, mas pode encomendar sob medida com nosso fabricante nacional, ou procurar no mercado de usados.

Uma orientação sobre usados: não feche negócio sem testar a caixa estanque, o que pode ser feito levando a mesma para um mergulho, SEM A FILMADORA. Este teste, que deve ser também aplicado a caixas novas, previne que você não faca um mau negócio e nem inunde sua filmadora.

Mais um detalhe, quando filmadoras inundam, em 99 % dos casos não há recuperação. O mesmo não se aplica a caixa estanque, especialmente os modelos com controles mecânicos. Se você investe numa caixa para um modelo muito antigo, e num dado mergulho a filmadora inunda, surge mais um grave problema: onde encontrar o mesmo modelo de câmera ?

3. Neste caso, bem vindo ao mundo da era digital. Você não só estará comprando uma filmadora com recursos incríveis, como também uma maquina fotográfica digital (na maioria dos modelos). Ainda, muito menores em volume, estas filmadoras irão usar caixas muito menores e mais leves.

As principais variáveis para sua decisão são:

a) Tamanho da unidade e compatibilidade de sistema. Aliás, brasileiros, usem sistema NTSC. Quase todo monitor de televisão brasileiro aceita este sistema, e não aceita o sistema PAL europeu, da maioria das filmadoras sistema PAL.

Filmadoras pequenas tem uma vantagem obvia de volume e peso, mas tem também uma desvantagem: com caixas pequenas, são muito instáveis debaixo da água, ou seja, e preciso ter braço firme para que as imagens não tenham movimentos bruscos e tremidos.

b) Qualidade da captura da imagem: câmaras com 3 CCDs oferecem melhor qualidade de cores e imagem, mais são mais caras e geralmente maiores do que câmaras com 1 CCD.

c) Disponibilidade de caixa estanque para o modelo a ser escolhido. Vai ai mais um cuidado, as câmaras entram no mercado antes que as caixas, portanto vá devagar.

4 – Escolha da caixa estanque

a) Na minha opinião, caixas mecânicas são as mais confiáveis, pois não tem circuitos que queimam ou quebram (até numa inundação da caixa) e têm menos pontos de vazamento a averiguar. Além disto, costumam ser mais baratas.

b) Outro fato a considerar é a possibilidade da troca de Domos (lentes frontais da caixa estanque), oferecendo sistemas desde macro até grande angular. Algumas marcas oferecem o domo para grande angular com a própria lente, tornando desnecessário que se tenha que comprar esta lente para a filmadora.

c) Filtros de correção de cores intercambiáveis

Algumas caixas permitem a troca de filtros, até debaixo da água. Neste momento, você pode se perguntar o que é filtro de correção de cor, e porque diversos filtros: como mergulhador, lembre-se que vamos perdendo cores e luz com o ganho de profundidade.

Os filtros corrigem, mesmo que parcialmente, este problema e embora possam ser substituídos por sistemas de iluminação (tópico para outro bate-papo), nenhum sistema de luz que eu conheça atinge mais de dois metros de distância, em águas abertas.

d) Botões de Controle

Alguns são mandatários, como ligar / desligar, gravar/pausa, zoom e foco manual / auto-focus. Outros dependem do sistema (botão para fotografia, efeito fader, congelamento de imagem…), mas muitos destes acessam recursos que podem ser produzidos com mais controle e qualidade com um software de edição (outro assunto).

e) Alarme de inundação

Muita caixa tem detectores de umidade, sonoros ou visuais. Na minha opinião, os mesmos mais atrapalham do que ajudam, pois podem ser ativados por alterações de umidade ambiental, e quando ocorre uma inundação, em geral os mesmos não avisam a tempo de se salvar o equipamento. Aliás, um conselho importante: Detectada a inundação completa da caixa, não faça uma subida desesperada à superfície.

Isso o colocará sob risco de vida e praticamente é certo que não há nada a ser feito para salvar a câmera alagada. Caixas transparentes de acrílico podem permitir que se perceba um princípio de alagamento, e até que se salve a câmara num caso leve. Mesmo assim, prefiro as metálicas, mais resistentes e menores em volume.

f) Viewfinder

Alguma caixa tem lentes ampliadoras do viewfinder, outras aceitam a visualização do painel de LCD aberto.

Enfim, este é só um bate-papo inicial sobre idéias na escolha do seu equipamento de vídeo.

Na próxima edição, falaremos de técnicas básicas e manutenção.

Boas águas, de preferência fora da caixa !

Gabriel Ganme

Dr. Gabriel Ganme é médico do esporte, e responsável pelo ambulatório de Medicina dos Esportes de Aventura da Escola Paulista de Medicina, no CETE – UNIFESP.

Mergulha desde 1980 e foi Course Director pela PADI de 1990 até 2016.

Foi Cave Intructor Sponsor (NSS/CDS), Technical Instructor pela TDI e IANTD, e membro da Undersea & Hyperbaric Medical Society.

Atualmente é proprietário de uma clínica especializada em medicina esportiva.