Projeto Pandora

Desde o início de 2008 um grupo de pesquisadores e mergulhadores do Rio de Janeiro vem desenvolvendo um trabalho de levantamento piloto em áreas de naufrágios conhecidos e em pontos preestabelecidos.

O grupo integrado pelo engenheiro e mergulhador técnico Fabio Conti, pelo Comandante das embarcações envolvidas e mergulhador técnico Luiz Basílio e pelo instrutor de mergulho técnico Roberto Luz (Bob), conta ainda com o professor Gilberto Dias do Laboratório de Geologia Marinha-LAGEMAR da Universidade Federal Fluminense, perito no emprego de equipamentos de alta tecnologia, e um auxiliar, o marinheiro Marcos Adriano.

Sucessivas saídas com cerca de onze horas de labuta diária conduziram à confirmação de alguns pontos e a resultados negativos de um grande número de outras indicações.

Uma das marcações mais estudadas foi confirmada recentemente.

A aproximadamente 35 milhas náuticas da boca da Baía de Guanabara, a uma profundidade máxima de 120 metros, a imagem de multifeixe mostrou uma embarcação com cerca de 100 metros de extensão e 12 metros de largura.

Imagens obtidas por ROV permitem inferir tratar-se de uma embarcação de estrutura metálica, bastante danificada.

Uma operação de mergulho já está em fase de planejamento final e tão logo executada terá seus resultados divulgados, bem como as marcações que, no momento, apenas foram fornecidas aos eventuais participantes da mesma.

Imagem obtida pelo Side Scan
Imagem obtida pelo Side Scan
Clecio Mayrink

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount).

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou como consultor para a ONU, UNESCO, Segurança Pública, além de diversos órgãos públicos no Brasil.