Como não entrar na água

Depois do artigo sobre realizar mergulhos saindo de praia, recebemos algumas mensagens com dúvidas sobre como entrar no mar de forma segura pela praia.

São perguntas básicas, mas demonstram que alguns cursos de mergulho precisam de um reforço, pois muitas informações não estão sendo repassadas aos alunos, e o resultado, são alguns exemplos negativos que temos presenciado por aí nos últimos meses.

Quando saímos de praia, a melhor forma de entrar no mar é já entrar com as nadadeiras nos pés, mas de costas para o mar. Dessa forma, o mergulhador consegue andar e adentrar sem dificuldades. Andando de frente, a água iria contra a palheta da nadadeira, o que dificultaria absurdamente o ingresso do mergulhador. Além de não conseguir andar corretamente, o mergulhador vai acabar se desequilibrando e caindo com os equipamentos.

Ande de costas em direção ao mar e quando a altura da água estiver acima dos joelhos, já será possível virar e nadar batendo pernas para sair da arrebentação, se for o caso.

Vale ressaltar que em praias com pedras, como é o caso de Bonaire, esse método não é recomendável. Nesse caso o ideal é entrar no mar, encher o colete e colocar as nadadeiras enquanto estiver flutuando, se não houverem ondas no local, claro.

Outro aspecto importante é a profundidade. Verifique a profundidade antes. Se o local fora raso demais, existe a possibilidade de colisão contra as rochas e se ferir. Em locais onde a profundidade possa ser grande, lembre-se de inflar seu colete e ter a certeza de que a torneira está totalmente aberta e o gás saindo com fluidez.

Foto: Aqualung

Saindo de bote inflável

Quando utilizamos as embarcações das operadoras de mergulho, pulamos na água para entrar, sendo o método mas eficaz e rápido para entrar na água, contudo, muitas vezes utilizamos embarcações de pequeno porte como o bote inflável, aspecto comum nas operações de Live Aboards.

Nesse caso, pular na água é impraticável e o melhor método é sentar no bordo da embarcação e se jogar de costas para a água. Não é nada complicado. O mergulhador deve segurar sua máscara com uma das mãos, e com a outra, segurar o cinto de lastro ou colete equilibrador, olhando antes, se não há mergulhadores na água ou algum tipo de objeto flutuando para não se chocar com ele.

Se for usar algum equipamento fotográfico ou de vídeo, é recomendável pedir ao divemaster ou algum amigo, que lhe entregue o equipamento após a entrada na água, eliminando assim, a possibilidade de choque do equipamento contra a água e risco de danificá-lo.

Esse último aspecto também serve para quem pula na água a partir de uma embarcação, pois o impacto do equipamento é ainda maior e ninguém quer começar o mergulho já com problemas de alagamento, certo ?

Conclusão

A entrada da na água não tem mistérios, sendo um procedimento básico, imprescindível e que todos os mergulhadores devem saber como proceder para evitar transtornos, ou até mesmo, acidentes.

Vídeos

Realizando os procedimentos corretos, evitamos exemplos como nos vídeos abaixo:

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986 pela CMAS, participando da primeira turma da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount IANTD, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho, fotografia e vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, sendo o idealizador do portal Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP) e responsável pelo tema Mergulho no 1° Atlas dos Esportes do Ministérios dos Esportes.

Atuou na produção de diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência para a mídia, órgãos públicos e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO, quando o assunto é naufrágio.

Veja também:

Saídas de Mergulho: Economizando até algo de errado acontecer

Algumas pessoas tentam diminuir os custos das operações de mergulho, na tentativa de atrair mais clientes, e isso pode se tornar uma grande cilada.

Mergulho de Batismo: Os riscos que um guia sem formação oferece

Elas estão presentes em várias praias do país, muitas não possuem treinamento e informação, colocando os clientes sob risco.

Flórida: “Piolhos do mar” estão picando banhistas nas praias

Pequeno tipo de larva oriunda de água-viva, anda causando transtornos aos banhistas no Estado da Flórida, nos Estados Unidos.

Tubarão Azul é encontrado em praia do Rio de Janeiro

Moradores de uma comunidade próxima da praia se deparam com animal na areia