Os computadores de mergulho surgiram anos atrás e eles já comprovaram sua eficiência no mergulho. No passado era comum ver alguns reticentes falarem mal dos computadores chegando a afirmar que eles poderiam apresentar problemas e deixar o mergulhador na mão, mas após tantos anos no mercado e com avanços astronômicos da tecnologia e no processo de fabricação, este equipamento se tornou um dos preferidos dos mergulhadores e são raríssimas as pessoas que ainda insistem em não usá-los.

Tabela Descompressiva

Basicamente os computadores surgiram para administrar o mergulho e repassar ao usuário, dados importantes sobre o mergulho e como o mergulhador deve proceder para a realização de uma descompressão segura.

Obviamente, é importante que o mergulhador saiba a teoria sobre tabelas de descompressão e como proceder durante o mergulho, seja ele descompressivo ou não. Imaginar que qualquer um possa mergulhar sem essa teoria, seria ignorar riscos desnecessários.

Hoje os computadores vão além de simplesmente calcular limites não descompressivos ou a própria descompressão. Alguns modelos chegam a fornecer cálculos aproximados da quantidade de gás restante no cilindro de mergulho e o uso de diferentes misturas de gases, no caso dos computadores voltados para os mergulhadores técnicos.

Precisão

São raros os casos onde computadores de mergulho que apresentaram falhas e forneceram dados incorretos. Com base no número de vendas realizadas todos os canos, podemos afirmar que as falhas são extremamente raras e a probabilidade de mergulhador ter algum problema é realmente baixa.

Outro aspecto que faz a diferença é a precisão. Antigamente muitos mergulhadores usavam profundímetros mecânicos, e mesmo não sendo eletrônicos, sempre apresentavam pequenas diferenças na medição, então, a tese do “eletrônico não tem precisão” é uma “lenda”, pois mesmo os equipamentos mecânicos apresentavam essa diferenças, e pior ainda, os profundímetros de coluna d’água, que no Brasil chegaram a ser fabricados pela Cobra Sub, e após os 6/8m de profundidade, sabe-se lá o que ele marcava, pois não havia precisão alguma.

Hoje os computadores de mergulho são ainda mais precisos, chegando a medir em décimos de centímetros, havendo inclusive, pouca variação na precisão entre eles.

Cálculos para vários mergulhos no mesmo dia

Outra grande vantagem dos computadores de mergulho são os cálculos para vários mergulhos em um mesmo dia. Ele analisa os mergulhos realizados e já sabe os dados que ele deverá fornecer para o próximo mergulho ou durante ele, sem a necessidade do mergulhador perder tempo com a realização de cálculos da tabela descompressiva e coisas do tipo.

Além disso, não há margem para erros, pois um ser humano tem muito mais probabilidade em errar as contas que um computador.

Registro dos Mergulhos – Logs

Computadores possuem o chamado “log de mergulho”, registrando os dados dos últimos mergulhos, facilitando ao mergulhador obter essas informações ao final do dia. Para quem curte registrar essas informações em um caderno ou em uma planilha Excel, por exemplo, basta consultar o computador no final do dia para obter os dados. Alguns modelos permitem inclusive, a visualização gráfica do mergulho.

Nitrox

Se você é um mergulhador com certificação em Nitrox, você também não precisará ficar calculando os limites de profundidade e tempo para o próximo mergulho. Basta adicionar o gás que será utilizado e o computador já realizará todos os cálculos para que você possa mergulhar dentro da margem de segurança.

Altitude X Água Doce

Mergulhos em altitude e em água doce possuem características que diferem dos mergulhos realizados no mar. São mergulhos com cálculos descompressivos diferenciados e com medição de profundidade alterada pela falta da salinidade que é normalmente encontrada na água do mar. O computador irá calcular tudo isso de forma automática pra você.

Multinível

No passado os mergulhos eram realizados usando cálculos descompressivos com base na profundidade máxima a ser alcançada, e sabemos que na maioria das vezes, o mergulho não acontece numa mesma profundidade, havendo absorção diferenciada do nitrogênio pelo organismo do mergulhador, e sendo praticamente impossível de realizar esses cálculos durante o mergulho.

Se o mergulhador deseja realizar um multinível e sabe exatamente como será o mergulho, é possível calcular isso, mas praticamente em 100% dos casos, o mergulhador não sabe o que será feito, tornando inviável fazer qualquer tipo de cálculo de mergulho multinível previamente e de forma manual. Nesse caso, o computador é essencialmente um maravilhoso equipamento, justamente pela realização desses cálculos descompressivos em tempo real.

Tempo e Segurança

O principal benefício que um computador de mergulho traz é o tempo e segurança, pois o computador realizará os cálculos em tempo real e sem erros.

Para mergulhar seguro é imprescindível conhecer como o computador adquirido funciona e ler a fundo o manual de instruções, para saber como configurar o equipamento e compreender todas as informações e alarmes emitidos por ele.

Não adianta mergulhar com um computador e visualizar apenas a profundidade, tempo e limite não descompressivo, você precisa entender o que ele está lhe informando.

Também é imprescindível prover a devida manutenção ao equipamento, principalmente no que diz respeito à bateria, pois já foi comprovado que computadores de mergulho usando bateria com carga baixa, podem apresentar erros na medição, e obviamente, repassar dados incorretos ao mergulhador, tornando o mergulho inseguro.

Já utilizo computador de mergulho desde a época do Aladin, importado na década de 90, e continuo usando outros computadores mais modernos sem ter tido problemas com essas máquinas eletrônicas, pois sempre acreditei que eles vieram para facilitar a vida dos mergulhadores, e se você também deseja ter mais facilidade na hora de mergulhar, recomendo adquirir o seu.

E se você é daqueles mergulhadores da “antiga” e não confia nessas máquinas, talvez a sugestão seja mergulhar com dois deles…

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986, participando da primeira turma de Dive Master da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho e fotografia / vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência quando o assunto é mergulho e naufrágios para a mídia e órgãos públicos no país, e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO.