Quando voltamos do mergulho, normalmente lavamos os equipamentos e os deixamos secando para serem guardados posteriormente ou para serem usados no mergulho do dia seguinte, ficando por lá úmidos e expostos ao tempo para que sequem naturalmente.

Justamente por estarem úmidos, equipamentos como roupa de mergulho, luvas, botas, power do colete e segundo estágio do regulador, se tornam o ambiente ideal para alguns tipos de animais, e por causa disso, eles podem atrair um deles para o interior e todo cuidado é pouco.

Animais peçonhentos como aranhas e escorpiões, por exemplo, gostam de ambientes úmidos e protegidos, e os equipamentos acima podem facilmente atraí-los.

Alguns anos atrás um mergulhador que se encontrava no Mar Vermelho, ia colocar seu regulador na sua boca para um teste de passagem de gás e sem purgá-lo, e para sua surpresa, repentinamente saiu um besouro pelo bocal. Por sorte, ele não teve contato físico com o inseto.

Lembro de um amigo meu que estava no Mato Grosso, e quando estava se preparando para realizar o segundo mergulho, balançou seu par de luvas, quando repentinamente uma pequena e perigosa aranha saiu do interior da luva, sendo arremessada em direção ao chão.

Recentemente ao deixar meus equipamentos secando em uma varanda de uma casa de praia, percebi que algumas formigas entraram na bota de mergulho, e pelo tamanho do

Foto: Clécio Mayrink
Foto: Clécio Mayrink

ferrão, certamente teria um incidente doloroso caso vestisse as botas sem saber que havia formigas por lá.

Portanto, sempre que deixar seu material exposto, tenha a certeza de que seu material de mergulho está livre de animais e insetos, evitando assim, o cancelamento do mergulho, e pior, uma possível picada ou mordida inesperada.

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986, participando da primeira turma de Dive Master da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho e fotografia / vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência quando o assunto é mergulho e naufrágios para a mídia e órgãos públicos no país, e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO.