Atualmente as redes sociais ganharam espaço e se tornaram essa febre que todos já conhecem, e com isso, muitos empresários passaram acreditar que essas ferramentas são a melhor mídia para atrair mais clientes. Será ?

Segundo uma fonte próxima e que trabalha em uma das maiores empresas de redes sociais do mercado, cada post feito por um usuário alcança menos de 10% da sua lista de amigos ou pessoas em uma página ou grupo, e somente se houver uma interação entre quem posta e os conectados, haverá mais chances dessas pessoas acabarem lendo o que você publicou. Quem não leu, é porque simplesmente o sistema da rede social não exibiu seu post.

Um aspecto que daria mais peso e consequentemente, atrai mais leitores, é a assiduidade de postagens e a relevância do conteúdo publicado em si, mas nem tudo são flores.

Segundo duas fontes, ao pagar pela ampliação da abrangência de pessoas que verão seu post, você automaticamente entra para a lista de “pagantes” da rede social, e uma vez que você pagou pela ampliação de visualização de posts e curtidas, nunca mais você terá a mesma visibilidade se não pagar novamente.

Falsas Curtidas

Em uma reportagem publicada pela Revista Superinteressante, o autor da matéria criou duas páginas, sendo que uma delas, não dizia coisa com coisa, e a outra, citava apenas o nome do autor ao contrário, e acreditem, as páginas receberam várias curtidas.

O autor indagou as pessoas porque estavam curtindo essas páginas e simplesmente as pessoas diziam coisas truncadas e dando o entender que seriam “robôs” (o próprio sistema simulando uma pessoa) ou simplesmente, informando que havia achado interessante a página e não respondiam mais nada depois.

Resumindo, o autor acabou comprovando que havia robôs ou pessoas curtindo coisas sem nem prestar atenção no que estavam vendo.

A matéria é bem interessante e pode ser lida nesse link.

Conclusão

O objetivo desses post é mostrar que você deve tomar cuidado com a publicidade paga em sites de redes sociais e em sites de buscas, pois há muita coisa por trás desses sistemas e que não sabemos exatamente como a coisa funciona.

Tudo indica que existe o sistema atua para arrecadar mais, porém, ele não lhe trará um resultado satisfatório.

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986, participando da primeira turma de Dive Master da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho e fotografia / vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência quando o assunto é mergulho e naufrágios para a mídia e órgãos públicos no país, e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO.