Mergulhadores alinhados e intuição são essenciais

Foto: Clécio Mayrink

Aprendemos nos cursos que mergulhar com um dupla é mais seguro, pois ele se torna uma redundância em vários aspectos na segurança, mas para isso, é preciso que os mergulhadores tenham características similares, empatia e confiança.

Um aspecto muito ruim é descer com alguém que não passe tranquilidade ou possui características muito distintas, o que de certa forma, poderá trazer algum tipo de transtornos desnecessários durante o mergulho.

Antes de mergulhar é preciso estar bem alinhado com o seu dupla.

Naufrágio Pinguino Foto: Clécio Mayrink

Algumas experiências

Lembro bem de uma ocasião em que me encontrava em uma operação de mergulho de um grande amigo na década de 90, e ao pararmos acima do naufrágio Pinguino, ele me pediu pra descer com um de seus clientes e levá-lo pelo corredor do naufrágio, chegando a afirmar que o cliente possuía curso de mergulho em naufrágio.

O mergulho no interior do naufrágio Pinguino era uma coisa normal na década de 90, ou seja, há quase 20 anos atrás. Naquela ocasião fiquei meio pensativo, pois apesar do corredor ser praticamente uma reta por dentro do naufrágio e o ambiente não oferecer grandes riscos (naquela época), tive algum receio em descer com uma pessoa estranha e que não sabia como mergulhava, e foi dito e feito.

Antes de adentrar no Pinguino, passei uma carretilha para que servisse de orientação para o dupla, até que ao chegarmos mais ou menos no meio do corredor do naufrágio e reparei que o sujeito estava com os olhos arregalados. Era stress gerado pelo medo !

No mesmo instante abortei a incursão e pedi que desse meia volta. Se não bastasse, houve uma grande quantidade de silt (baixa visibilidade) provocado pelas nadadeiras dele naquela ocasião. O mergulhador deu meia volta e começou a puxar o cabo guia, fazendo com que o mesmo arrebentasse. Me vi obrigado a pegá-lo pela torneira e literalmente soltá-lo fora do naufrágio, eliminando a situação de risco.

Feito isso, tive que retornar e remover todo cabo solto que estava flutuando para evitar a possibilidade de algum enrosco por outro mergulhador desinformado do ocorrido.

A situação foi contornada e uma nova lição aprendida…

Naquela época todos os mergulhadores realizavam penetrações no Pinguino, independente da certificação. Era uma coisa normal. Hoje, isso seria um absurdo total.

Como mergulhei intensamente em Angra dos Reis, conhecia bem o naufrágio em questão, mas depois daquele dia passei a não mergulhar com qualquer pessoa naquele local, quando envolvida incursão pelo naufrágio.

Naquela ocasião, não havia um conhecimento da minha parte em relação ao desempenho daquele mergulhador e não deveria ter adentrado no naufrágio.

Little River e sua escadaria de acesso a caverna

Se existe receio aborte o mergulho !

Quando o dia começa “estranho” e você principalmente você pretende realizar um mergulho técnico, é hora de pensar se realmente é o dia.

Numa ocasião me encontrava no parque de Little River, nos Estados Unidos, onde iria realizar um mergulho na caverna de lá. Era o último mergulho da viagem e que havia dado tudo 100% certo.

O dia começou com a minha dupla se queixando de cansaço. Era uma pessoa que nadava rápido demais como um torpedo e que gostava de entrar o máximo possível na caverna durante o mergulho, e isso acabava sendo um problema pra mim, pois gosto de apreciar a toda a sua formação da caverna e me atentar aos detalhes do ambiente. Nunca me preocupei em adentrar o máximo possível, e isso essa divisão de objetivos não é boa.

Era fim de tarde, e na ocasião, estávamos com a van abarrotada de malas, compras, além dos passaportes, dinheiro e etc, e durante a montagem dos equipamentos, um grupo de adolescentes ficou parado em um veículo conversível antigo ao lado do nosso, fumando e reparando em tudo que estávamos fazendo, e com o passar dos minutos, comecei a ter uma sensação desagradável.

Minha dupla também desconfiou da atitude dos adolescentes e decidimos abortar e ir embora. Seria o último mergulho do dia e o último da viagem, e será que valeria à pena arriscar tudo por esse último mergulho se havia uma sensação ruim ?

Posteriormente tomamos conhecimento que em Little River, não é raro o arrombamento de veículos, pois como o parque é público, gratuito e recebe pessoas de vários locais, há gente de todos os tipos, inclusive, as de má índole. Segundo um americano da região, agimos corretamente, e provavelmente os adolescentes iriam aguardar que entrássemos na caverna para arrombar nossa van e realizar algum furto.

Naquele dia me encontrava com uma dupla com um perfil de mergulho diferente do meu, que eu não tinha 100% de confiança em suas habilidades e com uma sensação ruim referente aos adolescentes.

Penso que é preciso haver uma sinergia entre os mergulhadores. É preciso haver confiança, saber da capacidade de cada um, haver respeito mútuo e não ultrapassar os limites de cada um.

Intuição ?

Numa outra ocasião me encontrava na região de Pompano Beach e estava mergulhando todos os dias com um amigo brasileiro residente nos Estados Unidos, e num desses dias fomos até um naufrágio bem conhecido pelos mergulhadores de lá.

Era uma quarta-feira, não havia embarcações nas proximidades, e durante a montagem dos equipamentos, de forma única em toda a minha vida, repentinamente deixei de ter a vontade de mergulhar naquele local. Comentei com meu dupla que algo estava me incomodando e decidimos mergulhar em outro naufrágio, e foi o que fizemos.

Uma semana após o meu retorno ao Brasil, meu amigo ligou dizendo que justamente naquele naufrágio, um casal de tubarões cabeça chata (Bull Shark) passou a residir por lá e estava avançando nos mergulhadores, e ao que tudo indicava, a fêmea estaria grávida e o macho queria manter os mergulhadores distantes, realizando uma aproximação perigosa com intenção de ataque, e o melhor, foi realmente não mergulhar por lá.

Conclusão

O deixar de mergulhar de uma hora pra outra seria uma intuição ?  Talvez sim ou não…

Apesar dos 20 anos de experiência em mergulho naquela época e de não querer realizar aquele mergulho específico, meu dupla soube respeitar a minha vontade, e isso é muito importante.

É preciso haver uma confiança e respeito entre os mergulhadores, e se algo não está bem, o melhor é abortar. Se algum dia você não sentir confortável de mergulhar com alguém ou sob uma situação ou determinado local, aborte.

Se algo incomodá-lo sem um motivo específico, aborte.

Muitas vezes é melhor seguir a sua intuição, mergulhar com um dupla que lhe dê confiança e ter um dia tranquilo e sem problemas. O mergulho precisa ser uma atividade de prazer e não um problema pra si, e muitas vezes vemos algum mergulhador dizer que não está bem e acabar forçando um mergulho sem necessidade.

Foto: Clécio Mayrink
Por:
Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983, no autônomo em 1986 e Dive Master em 1990. Hoje é mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior. Também prestou consultoria para a ONU, UNESCO e diversos órgãos públicos no Brasil.