Grandes e imponentes, os dinossauros eram bem ainda maiores do que imaginamos, e muito mais do que apenas os “lagartos terríveis”. Viveram e prosperaram durante a era Mesozóica, e algumas das criaturas viveram ao lado deles.

Tubarões, por exemplo, são algumas das criaturas mais bem sucedidas que já viveram. Seu registro fóssil de 400 milhões de anos e inclui espécies antigas, estranhas e familiares, mas uma descoberta aumenta o legado dessa longa duração desses predadores marinhos.

Dentes fósseis de tubarões foram descobertos recentemente ao lado dos ossos do mais famoso esqueleto completo de T. Rex já encontrado, ajudando a preencher um quadro mais detalhado da vida durante os últimos dias do reinado dos dinossauros.

Pequenos dentes petrificados do tamanho de uma cabeça de alfinete, parecem terem saídos diretamente de um videogame dos anos 80, e tomaram um caminho tortuoso para a descoberta, que começou com a escavação do quase completo Tyrannosaurus.

Conhecido como “Sue” desde 1990, os ossos do tiranossauro foram retirados do solo e a rocha que ajudou a protegê-lo, chamada de matriz, ficou em torno desses ossos mantendo-os sob segurança até o trabalho de arqueologia.

O Museu Field de Chicago, onde Sue reside hoje, salvou essa pedra matriz para estudá-la, e após quase três décadas, gerou um resultado surpreendente. Pequenos dentes de um tubarão que nadava no rio foram identificados.

“Este tubarão viveu na mesma época do T. rex Sue”, disse Pete Makovicky, curador do Museu Field de dinossauros e um dos autores do estudo que descreve a nova espécie. “A maior parte de seu corpo não foi preservado, porque esqueletos de tubarão são feitos de cartilagem, mas encontrar conseguimos encontrar seus dentes fossilizados.”

O paleontólogo da Universidade da Carolina do Norte, Terry Gates, liderou o trabalho para descrever a nova espécie de tubarão no Journal of Paleontology. Cada um dos pequenos dentes triangulares se parece com os persistentes invasores do espaço no clássico Arcade de 1981, Galaga. Assim, Gates e seus colegas nomeado o tubarão Galagadon nordquistae, com o nome da espécie honra de Karen Nordquist, voluntário do museu que encontrou o primeiro dente fossilizado.

Com base em comparações com outros dentes de tubarão fóssil, a equipe Propõe Galagadon pertencia a uma grande família de tubarão chamado Orectolobiformes, ou tubarões tapete. O paleobiólogo Kenshu Shimada, da Universidade DePaul, também concordou com essa identificação.

Enquanto apenas os dentes de Galagadon foram conhecidos até agora, a forma desses animais sugere estão relacionados com os tubarões bambu de hoje, um subconjunto de tubarões encontrados nas águas quentes do Indo-Pacífico.

O que intrigou os paleontólogos sobre Galagadon, no entanto, é o que este tubarão pode revelar sobre o mundo em que o T. Rex Sue vivia. “O novo estudo, incluindo o reconhecimento das novas espécies, lança luz sobre a complexa história evolutiva do sistema de água doce na América do Norte”, diz Shimada.

Até agora, parecia que o corpo de Sue fora depositado em um lago criado por um rio quase seco. Cogita-se que era um habitat relativamente independente, mas a presença de uma espécie de tubarão apenas conhecida no oceano indica que o rio provavelmente estava ligado ao mar, permitindo que Galagadon e outras espécies nadassem para o interior. Sem os dentes de tubarão, os paleontologistas teriam perdido essa conexão.

Por:

Redação

Se você possui algum conteúdo relacionado ao mergulho e acha que pode ser interessante dividir com outros mergulhadores ?

Clique aqui para entrar em contato conosco e enviar o conteúdo a principal revista eletrônica sobre mergulho do Brasil.