Como o próprio nome diz, a rede de proteção de cilindro serve para proteger o cilindro contra arranhões e impactos durante o transporte ou na embarcação de mergulho, mas ao longo do tempo, muitos mergulhadores chegaram à conclusão de que ela prejudica mais do que ajuda, e com isso, ela está cada vez mais em desuso.

A principal consequência negativa da rede, é que ela acaba retendo a água salgada nas áreas de contato com o cilindro, contribuindo para a corrosão da parede externa, diminuindo o tempo de vida útil do equipamento.

Alguns mergulhadores utilizam a rede de proteção com o chamado Boot de cilindro, o que piora ainda mais o estado de conservação do cilindro em si.

Os dois acessórios em conjunto, acabam retendo muita água salgada, e o processo de corrosão não fica visível para o mergulhador, porque o processo ocorre no interior do boot, não havendo um acesso facilmente. Leia mais sobre o assunto aqui.

Processo de corrosão no local do boot – Foto: Clécio Mayrink

Outro aspecto também muito debatido pelos ambientalistas, é que as redes contribuem para um desgaste da pintura dos cilindros. A tinta acaba descascando durante o mergulho, e por se tratar de um componente químico, essas pequenas partes de tinta que se soltam contribuem para a intoxicação e morte dos corais.

Por causa desses problemas, cada vez menos encontramos cilindros de mergulho com pintura e utilizando a rede de proteção e boot.

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986, participando da primeira turma de Dive Master da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho e fotografia / vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência quando o assunto é mergulho e naufrágios para a mídia e órgãos públicos no país, e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO.