Lente de Mergulho para GoPro 1 e 2

Foto: Clécio Mayrink

Se você tenta ser antenado nas novidades, certamente ficou fanático pelas imagens que a câmera GoPro gera, permitindo os mais variados tipos e formas em captação de imagens. No entanto, quando falamos em imagens de mergulho, a coisa muda um pouco.

Confesso que comprei essa câmera e ao ver os primeiros resultados das imagens captadas dos mergulhos, fiquei um pouco decepcionado, e ao mesmo tempo, sem compreender os motivos.

Conversando com alguns amigos no exterior, recebi a informação de que o problema estava na lente da caixa estanque que é fornecida com a GoPro, pois essa lente apesar de ser fabricada em vidro, ela é uma lente angular, porém, voltada para a captação de imagens na superfície, e não embaixo d’água.

Conversei com o pessoal responsável pelo escritório da GoPro, que aliás, me forneceram o único manual em português da câmera (disponível aqui no Brasil Mergulho), e confirmaram que realmente o problema existe e que no futuro eles pretendem lançar uma lente que corrige esse problema, mas que não há uma previsão de lançamento, pois o como o sucesso da câmera está em alta, a produção dessa lente requer tempo e prioridade, o que não seria o caso no momento.

GoPro-Lente2A solução

Insatisfeito com a resposta, conversei com alguns fabricantes de equipamentos de mergulho, e um deles se dispôs a estudar o caso. Para nossa sorte, após quatro meses, uma das fábricas desenvolveu uma lente que corrige o problema da imagem captada embaixo d’água, utilizando uma lente flat (reta), que é fabricada na Europa, feita com material plástico de alta resistência e transparência.

A lente foi milimetricamente estudada e desenvolvida, e os primeiros resultados demonstram que resolveu o problema, gerando imagens claras e de alta qualidade.

Usando a GoPro configurada em Full HD (1920×1080) a imagem é gerada em perfeitas condições e bem nítidas.

Já no formato HD, ou seja, em 1280×720, a imagem sai vinhetada, o que pode ser corrigido simplesmente dando um simples “zoom” no software de edição de imagens.

Em todo o caso, a maioria das pessoas estão usando a GoPro na captação de imagens em Full HD, sendo assim, a lente se torna perfeita para o mergulho.

GoPro-Lente1

Substituição da lente

A substituição é um processo simples, exigindo apenas uma chave de fenda do tipo Phillips para parafusos de pequenas dimensões.

Inicie o processo de substituição removendo calmamente os parafusos frontais que fixam o aro preto à caixa estanque. Este aro é o responsável pela fixação da lente na caixa estanque e pela vedação da caixa.

Feita a remoção do aro, tome cuidado para não perder os parafusos e retire o domo angular, guardando-o em um local seguro, para uso futuro se necessário. Ele serve somente para proteger a lente da câmera GoPro contra impactos.

Encaixe a lente flat no aro preto de fixação dos parafusos, encaixando suavemente na lente.

Coloque o aro preto já com a lente flat encaixada no local onde se encontrava o domo angular, posicionando os dois de forma correta em relação ao anel de vedação preto.

Aperte os parafusos tomando cuidado para não apertar demais e fazer com que a rosca do parafuso seja danificada pelo excesso de aperto. A própria pressão exercida sob a caixa estanque fará com que o aro preto seja pressionado contra a caixa, mantendo a vedação em perfeito estado.

Observe que à medida que os parafusos são apertados, o anel de vedação preto será pressionado contra a lente flat, não deixando espaços de ar entre a lente e o anel de vedação.

É recomendável um teste sem a câmera antes por precaução.

Aquisição da lente de mergulho

Apesar de parecer simples, o material usado na fabricação (Makrolon) é caro, usado inclusive pela NASA, e chega ao Brasil ao custo de R$ 200 + frete.

Se você deseja mais informações sobre o produto e/ou adquirir uma unidade, clique aqui, e acesse o site do único representante no Brasil.

 

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.