Talvez achar um naufrágio seja um sonho de todo o mergulhador, mais o que fazer caso isso ocorra ?

Basicamente o mergulhador que tenha interesse em buscar as origens do naufrágio encontrado, deve seguir alguns procedimentos básicos. Durante os mergulhos, dados básicos são importantíssimos, como saber por exemplo, se o tipo de casco do navio é de aço ou madeira, se há canhões ao seu redor, material bélico ou de carga, e itens de uso pessoal, pois com base nessas informações, podemos encontrar descrições ou rótulos ao redor destes com algumas pistas.

Iniciando as pesquisas

Nunca mude as peças do local, pois o mais importante durante o estudo, é justamente o posicionamento de tudo em um naufrágio, como o posicionamento das âncoras em relação ao navio por exemplo.

Tenha atenção especial ao encontrar objetos de uso pessoal. Um objeto encontrado no porão de carga, não quer dizer que a origem do navio tenha haver com o país de origem desta carga, pois esta poderá ter um nome de algum país inscrito que não condiz com a origem do navio.

Estime a extensão ocupada pelo navio, posicionamento, se ele está de lado e faça um reconhecimento de proa e popa. Com essa informações básicas, você começa a ter uma ideia do tamanho do navio, facilitando a criação de um croqui. Anote o posicionamento de qualquer tipo de porcelana, objeto pessoal, canhões, caixas e outros, pois isto facilitará a busca por demais peças que venham a estar soterradas sob uma camada de areia.

Encontrando alguma peça, tente saber a época em que este objeto fora construído e procure em uma base de dados de naufrágios, pelos possíveis naufrágios afundados na região próxima ao naufrágio encontrado.

Se este naufrágio estiver nesta relação, ficará  mais fácil a comprovação da origem do naufrágio encontrado e você poderá ter a certeza de que ele é quem você imagina.

Uma opção de busca por informações do naufrágio encontrado é o Cadastro Nacional de Naufrágios no Brasil, disponível aqui no Brasil Mergulho.

Outra forma de busca mais complexa e que é necessário muito tempo e paciência, é uma ida até uma grande biblioteca como por exemplo, a Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro ou através do Museu do próprio Museu da Marinha.

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e no autônomo em 1986, participando da primeira turma de Dive Master da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver e Advanced Cave Sidemount / No Mount, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência em mergulho e naufrágios para diversas entidades como ONU, UNESCO e diversos órgãos públicos no Brasil.