Ao redor da Laje de Santos existem alguns parceis que acabam não sendo visitados pelas operadoras de mergulho da região, por serem um mergulho mais complicado de ser realizado.

O mergulhador fica totalmente desabrigado, estando sujeito as correntes e mudanças repentinas.

Visitar esses parceis requer mergulhadores com experiência, com equipamentos de segurança e uma equipe de superfície bem treinada para um monitoramento integral e possível resgate dos mergulhadores fora da posição inicial do mergulho.

Recentemente tive a oportunidade de conhecer o Parcel do Sudoeste (também conhecido como Parcel do Sul), que está distante apenas 700m da Laje de Santos. Minha visita ocorreu durante a incursão de um grupo de pesquisadores que estão realizando um estudo pela região da Laje.

Foto: Clécio Mayrink

Mergulho

Apesar do verão já ter passado, a região da Laje de Santos continua recebendo águas extremamente claras e, quando nos aproximamos do parcel, já era possível avistá-lo do barco, pois a coloração da água muda, sendo possível até avistar o fundo.

Não demorou muito para nos equiparmos e caímos na água. Um dia ensolarado e zero de corrente no local. O fundo estava logo abaixo, algo entorno dos 10-12m de profundidade.

De cara vemos uma formação rochosa como se fossem placas sobrepostas. Em algumas partes, encontramos algumas cavidades onde há um acúmulo de peixes e outros seres marinhos.

Durante toda a extensão avistamos diversos cardumes, e tive a impressão de que os peixes estavam mais ariscos. Muito provavelmente por não estarem acostumados com a visita de mergulhadores.

Uma pequena tartaruga veio nos receber, olhando pra gente com uma cara do tipo “o que vocês estão fazendo aqui ?   Estão perdidos ?”

Nos observou e depois foi embora calmamente como se já conhecesse os mergulhadores.

A visibilidade no dia alcançava os 20m, o que permitiu ter uma noção melhor do parcel. Foi um mergulho interessante e bem bonito.

GPS: 24° 19,606’S / 46° 11,129′ W

Agradecimentos

Ao Júnior Mello da Fundação Florestal e toda a equipe de pesquisadores, pelo apoio na visitação deste local.

 

Imagens

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983 e autônomo em 1986, participando da primeira turma de Dive Master da PADI no Rio de Janeiro em 1990. É mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver, Advanced Cave Sidemount / No Mount, possuindo mais de 30 anos de experiência em mergulho e fotografia / vídeo subaquático.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior, sendo uma referência quando o assunto é mergulho e naufrágios para a mídia e órgãos públicos no país, e diversas entidades internacionais como a ONU e UNESCO.