Mergulhando no Parcel do Sudoeste

Foto: Clécio Mayrink

Ao redor da Laje de Santos existem alguns parceis que acabam não sendo visitados pelas operadoras de mergulho da região, por serem um mergulho mais complicado de ser realizado.

O mergulhador fica totalmente desabrigado, estando sujeito as correntes e mudanças repentinas.

Visitar esses parceis requer mergulhadores com experiência, com equipamentos de segurança e uma equipe de superfície bem treinada para um monitoramento integral e possível resgate dos mergulhadores fora da posição inicial do mergulho.

Recentemente tive a oportunidade de conhecer o Parcel do Sudoeste (também conhecido como Parcel do Sul), que está distante apenas 700m da Laje de Santos. Minha visita ocorreu durante a incursão de um grupo de pesquisadores que estão realizando um estudo pela região da Laje.

Foto: Clécio Mayrink

Mergulho

Apesar do verão já ter passado, a região da Laje de Santos continua recebendo águas extremamente claras e, quando nos aproximamos do parcel, já era possível avistá-lo do barco, pois a coloração da água muda, sendo possível até avistar o fundo.

Não demorou muito para nos equiparmos e caímos na água. Um dia ensolarado e zero de corrente no local. O fundo estava logo abaixo, algo entorno dos 10-12m de profundidade.

De cara vemos uma formação rochosa como se fossem placas sobrepostas. Em algumas partes, encontramos algumas cavidades onde há um acúmulo de peixes e outros seres marinhos.

Durante toda a extensão avistamos diversos cardumes, e tive a impressão de que os peixes estavam mais ariscos. Muito provavelmente por não estarem acostumados com a visita de mergulhadores.

Uma pequena tartaruga veio nos receber, olhando pra gente com uma cara do tipo “o que vocês estão fazendo aqui ?   Estão perdidos ?”

Nos observou e depois foi embora calmamente como se já conhecesse os mergulhadores.

A visibilidade no dia alcançava os 20m, o que permitiu ter uma noção melhor do parcel. Foi um mergulho interessante e bem bonito.

GPS: 24° 19,606’S / 46° 11,129′ W

Agradecimentos

Ao Júnior Mello da Fundação Florestal e toda a equipe de pesquisadores, pelo apoio na visitação deste local.

 

Imagens

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983, no autônomo em 1986 e Dive Master em 1990. Hoje é mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior. Também prestou consultoria para a ONU, UNESCO e diversos órgãos públicos no Brasil.