Usando o Scuba Tector – Realmente funciona ?

Foto: Clécio Mayrink

Depois do primeiro artigo, recebi vários e-mails de pessoas me questionando sobre o Scuba Tector, um detector de metais portátil para mergulho, e decidi escrever um segundo artigo contando a experiência com o produto.

Assim que recebi o Scuba Tector, fiquei bastante curioso pra saber como ele funcionaria embaixo d’água.

O primeiro teste foi realizado em mar e logo de cara, pude verificar que o equipamento tem flutuabilidade negativa, portanto, se deixá-lo cair no mar, ele irá afundar.

O Scuba Tector é comercializado com cabinho plástico em formato de mola para fixá-lo ao colete equilibrador do mergulhador, e como sou extremamente contra esse tipo de fixação por não achar confiável, substituí por um cabo mais grosso de nylon e um mosquetão na extremidade traseira, deixando o segundo mosquetão com uma fita em nylon (que já vem com o produto) fixado na parte inferior do colete, permitindo transportar o Scuba Tector como um “stage” e permitindo soltá-lo facilmente.

Desempenho

Embaixo d’água é possível perceber todos os avisos luminosos, sonoros e de vibração que ele emite ao perceber a presença de metais.

Na ocasião, desci até a profundidade de 34m e ele funcionou perfeitamente e sem problemas de alagamentos.

Um detalhe que me chamou bastante a atenção, é quanto a tampa do comportamento de bateria. O mergulhador deve ter cuidado na colocação e remoção da mesma, principalmente no que diz respeito à estanqueidade do compartimento interno, pois há um o-ring responsável pela vedação e, no momento da colocação desta tampa, o mergulhador deve estar atento para não deixar “morder” o o-ring.

Durante o mergulho nadei rente ao areião à procura de possíveis metais, e ele funciona !

Consegui detectar diversos restos de metais que foram jogados no mar, sendo que vários deles estando alguns bons centímetros embaixo da areia, comprovando que o produto consegue detectar metais mesmo enterrados.

O Scuba Tector vem com uma capinha na cor alaranjada para proteção da bobina sensível aos metais, e segundo o fabricante, você pode usá-lo com esta capa, pois não haverá interferências. Seguindo as recomendações de alguns proprietários do produto no exterior, realizei a fixação dessa capinha usando uma fita isolante comum, dessas comercializadas em lojas de ferragens, que deu um acabamento perfeito e ajudando a proteger a área sensível da bobina.

Conclusão

O Scuba Tector é um produto bastante interessante, portátil e funciona muito bem para o propósito. Ele é prático e fácil de ser transportado, sendo uma excelente ferramenta para pesquisadores do setor arqueológico principalmente, pois ele irá ajudar a ampliar a pesquisa na busca por artefatos.

Vale lembrar que remover antigos objetos de naufrágios é crime federal no Brasil e você não deve fazer isso caso encontre alguma coisa.

Como opinião final, sem dúvidas o Scuba Tector é uma excelente ferramenta e cumpre maravilhosamente bem o propósito e com um custo relativamente baixo.

Por:

Clecio Mayrink
Editor - Brasil Mergulho

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983, no autônomo em 1986 e Dive Master em 1990. Hoje é mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount.

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS, em 2008, é o idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior. Também prestou consultoria para a ONU, UNESCO e diversos órgãos públicos no Brasil.