Data: 16/09/2019

GPS: 8° 46.808’S /  35° 2.978’W (Não confirmada)

Localização: 7Km da costa de Tamandaré-PE

Profundidade (m): 24

Visibilidade (m): 5 – 20

Motivo: Recife Artificial

Estado: Inteiro

CargaVazio

Tipo: Pesqueiro / Pesquisas com casco de aço

Nacionalidade: Brasil

Dimensões (m)16.70

Deslocamento (t)

Armador: Universidade Federal de Pernambuco – UFPE

EstaleiroMercedez Bens

PropulsãoMotor a diesel

FabricaçãoFortaleza – 1973

Notas: Chegou ao Centro de Pesquisa em 1996 exclusivamente para atuar no Programa REVIZEE, navegando em águas nordestinas até 2008 e sendo desativado junto com Riobaldo, em 2017.

Com a extinção da SUDEPE e criação do IBAMA, em 1990, o CEPENE, então renomeado Centro de Pesquisa e Gestão Pesqueira do Nordeste, passou a integrar a estrutura dessa nova autarquia, executando pesquisas para a gestão do uso sustentável dos recursos pesqueiros, do Maranhão até a Bahia, com forte atuação regional com estabelecimento dos núcleos de pesca nas Superintendências do IBAMA. Nessa época, a programação de pesquisa do CEPENE teve um acentuado caráter interinstitucional e manteve permanentemente a formação e capacitação de pessoal.

Em 1995, foi iniciada a parceria entre o CEPENE e o Departamento de Oceanografia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com estudos sobre a conservação dos recifes de coral da região. Estas pesquisas subsidiaram a criação da Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, em 1997, e, no ano seguinte, a parceria deu fruto ao Projeto Recifes Costeiros, atual Instituto Recifes Costeiros (IRCOS).

No ano de 2007, com a criação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), os Centro de Pesquisa passaram por uma fase de indefinição institucional, até que foi publicado o Decreto nº 8.099 de 04 de setembro de 2013, que dispõe sobre a transferência dos Centros especializados do IBAMA para o ICMBio, em caráter definitivo. Em março de 2015, o CEPENE teve seu escopo de atuação ampliado para a conservação da biodiversidade marinha, e seu nome alterado para Centro de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Nordeste. Fonte: ICMBio

Destino final

No dia 16 de setembro de 2019 as embarcações Natureza e Riobaldo foram afundadas para se tornarem recifes artificiais para pesquisas científicas e pontos de mergulho na costa de Tamandaré-PE.